Polícia belga invade casas em busca de obras falsificadas

A polícia está expandindo sua busca depois que quatro revendedores de arte registraram uma queixa sobre obras da vanguarda russa estarem sendo falsificadas.

A investigação sobre uma possível aparecimento de obras forjadas da vanguarda  russa  está se intensificando na Bélgica, onde uma queixa civil levou a polícia a invadir casas em todo o país.

Objetos, incluindo uma caixa e uma roca, supostamente decorados por Kazimir Malevich. No fundo: pinturas de Pavel Filonov, Yury Annenkov, Aleksandra Ekster e Kazimir Malevich. Imagem (cortesia do Museu de Belas Artes de Ghent.)

Em janeiro, o Museu Voor Schone Kunsten, em Ghent, encerrou uma exposição de supostas falsificações depois que alguns especialistas em arte manifestaram preocupação quanto à autenticidade das obras em exibição. Agora, um grupo de quatro negociantes de arte em Nova York e Londres e o descendente de um dos artistas cujo trabalho foi supostamente incluído uniram forças para registrar uma queixa civil.

Uma pintura conhecida de Yury Annenkov (esquerda) e um trabalho em exibição na contestada exposição em Ghent. Cortesia da Fundação Dieleghem.

Em resposta à queixa, o Ministério Público de Ghent e a Polícia Federal realizaram várias buscas em East Flanders. Os alvos dos ataques não foram nomeados, mas especialistas acreditam que as vendas de artefatos russos falsificados se espalharam por meio de dois alemães condenados na semana passada por terem vendido falsificações russas.

Investigadores também continuam investigando a coleção de Igor e Olga Toporovsky, que emprestaram obras da Fundação Dieleghem à exposição de Ghent.

Igor e Olga Toporovsky

No início deste mês, como parte das consequências da exposição fraudulenta, Catherine de Zegher foi suspensa do cargo de diretora do museu de Ghent, com a diretoria citando uma “perda de confiança” em sua liderança.

Catherine de Zegher

A exposição, “Modernismo Russo de 1910 a 1930”, apresentava os trabalhos de Wassily Kandinsky, Kazimir Malevich, Alexander Rodchenko, Vladimir Tatlin e outros.

James Butterwick, Richard Nagy, Ivor Braka, Natalia Murray e Alex Lachmann estavam entre os negociantes de arte que questionaram a autenticidade das obras em uma carta aberta.

Paulo Varella1489 Posts

Estudou cinema na NTFS( UK), Administração de Empresas na FGV e Química na USP. Trabalhou com fotografia, cinema autoral e publicitário em Londres nos anos 90 e no Brasil desde então. Sua formação lhe conferiu entre muitas qualidades, uma expertise em estética da imagem, habilidade na administração de conteúdo e pessoas e conhecimento profundo sobre materiais. Por muito tempo Paulo participou do cenário da produção artística em Londres, Paris e Hamburgo de onde veio a inspiração para iniciar o Arteref no Brasil: Um local para unir pessoas com um mesmo interesse, a arte contemporânea. Faz o contato e organiza encontros com os curadores, artistas e colecionadores que representam o conteúdo do qual falamos no Arte Ref

0 Comments

Leave a Comment

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Lost Password