8 termos italianos usados em arte que você precisa saber

Contraposto
(Contrapor)

Termo italiano para descrever uma postura do corpo humano, numa pintura ou escultura, em que a parte superior do tronco está virado no mesmo eixo que as pernas mas num plano diferente.

contrapposto-900x500
O Doríforo, do escultor grego Policleto, exemplo clássico do contrapposto – cópia romana em bronze.

Afresco
(fresco)

Afresco (português brasileiro), Fresco (português europeu) ou Affresco (em italiano) é uma técnica artística onde a pintura ocorre em tetos ou paredes. Esta técnica consiste em pintar sobre camada de revestimento de cimento fresco, gesso ou nata de cal. A pintura também pode ser realizada em revestimento úmido, desde que a tinta possa ser fixada.
O afresco pode ocorrer também numa parede revestida por argamassa recente aplicada a uma parede.
Esta técnica de pintura é bastante antiga, sendo utilizada, principalmente, na Grécia e Roma. Na cidade arqueológica de Pompéia, que foi destruída pela erupção do vulcão Vesúvio, os arqueólogos encontraram vários afrescos que mostraram cenas da vida cotidiana da civilização romana.

Os afrescos que mais se destacaram na história da arte foram os realizados por Michelangelo Buonarotti, um dos mais importantes artistas italianos do Renascimento Cultural. Este artista fez lindos afrescos, com temas bíblicos, na Capela Sistina (Vaticano).

affresco-900x500
Afresco de Christoph Thomas Scheffler presente no teto da igreja Sankt Paulin, Alemanha.

Chiaroscuro
(Claro-escuro)

chiaroscuro (palavra italiana para “luz e sombra” ou, mais literalmente, «claro-escuro») é uma das estratégias inovadoras da pintura renascentista do século XV, junto ao sfumato. O chiaroscuro se define pelo contraste entre luz e sombra na representação de um objeto. A técnica exige conhecimentos de perspectiva, dos efeitos físicos que a luz provoca nas diversas superfícies, dos brilhos, das tintas que estão sendo utilizadas e de sua matização. O chiaroscuro define os objetos representados sem usar linhas de contorno em todo o perímetro, mas principalmente pelo contraste entre as tonalidades do objeto e do fundo; faz parte de uma idealização que inclui a experiência da pintura, contrariando, de certo modo, a linearidade que caracteriza a pintura do Renascimento – os personagens de Leonardo existem em um espaço primariamente definido pela luz, em oposição a uma estrutura definida a partir da perspectiva na qual corpos e objetos são distribuídos individualmente.

chiaroscuro-david_goliath_grt-900x500
Exemplo de efeito claro-escuro. David e Golias, Caravaggio.

Sfumato
(A vaporar-se como fuymaça)

O sfumato é uma técnica artística usada para gerar suaves gradientes entre as tonalidades, é comumente aplicado em desenhos ou pinturas. Sfumato vem do italiano “sfumare”, que significa “de tom baixo” ou “evaporar como fumaça”.
Em materiais de ficção como grafite, pastel seco ou carvão, o sfumato pode ser realizado esfregando-se o dedo no suporte pictórico, para que os riscos desapareçam e fique apenas o degradê.
Outro recurso é usar o esfuminho, um tipo de lápis com algodão na ponta, que substitui o dedo a fim de evitar a interferência da oleosidade da pele.

monalisa_sfumato-900x500
Detalhe da técnica de sfumato no rosto de Mona Lisa: retirar as pinceladas aparentes de uma pintura usando verniz de madeira, que corrói a tinta, deixando um gradiente perfeito no local. É praticamente impossível perceber pinceladas nas obras de Leonardo da Vinci.

Impasto
(em pasta)

Impasto é uma técnica utilizada em pintura onde a tinta (em particular a de óleo) é espalhada numa área da tela, ou mesmo em toda a tela, de forma tão espessa que as marcas dos objectos utilizados para pintar (p.ex. pincel, espátula) são visíveis na pintura. A tinta também pode ser misturada directamente na tela. Quando fica seco, o impasto dá textura e relevo à representação. O termo impasto tem origem italiana e quer dizer “mistura”.

impasto-cordelia_wilson_-_taos_mountain_trail_home-900x500
Taos Mountain, Trail Home de Cordelia Wilson (c. 1920). Pintura do início do século XX elaborada com uma técnica de impasto bastante marcada.

Pentimento
(arrependimento)

Um arrependimento na arte é um trabalho em andamento repensar que um artista coloca no lugar, mascarando a versão mais antiga que não está satisfeito.
Estas alterações na pintura é frequentemente escondido com várias camadas de cor, mas não é pouco frequente que elas aparecem também visível a olho nu, através de diferenças subtis no tom, talvez devido ao tempo que tornou mais fina for a camada exterior. Em outros casos, os arrependimentos são visíveis aos raios X

Além do interesse de reconstruir o processo criativo, o arrependimento também é uma ferramenta fundamental na atribuição processo: apenas um original tem arrependimentos, nunca copia.
Mesmo na escultura é possível ter segundos pensamentos, mas geralmente não deixam vestígios. Famosos são esses segundos pensamentos de Michelangelo em Moisés , que trouxe o artista a riscolpire, com grande teste de virtuosismo, peças inteiras, como a cabeça e o joelho.

petimento-arrependimento-antonello_da_messina_061-900x500
O mundi Salvator de Antonello da Messina , onde você vê um arrependimento clara sobre o decote do Cristo.

Tondo
(volta)

Tondo (no plural tondi) é uma composição de pintura ou escultura realizada sobre um suporte de formato redondo no interior de um disco, e não em retângulo como é corrente na pintura. O termo provém da língua italiana, sendo uma aférese da palavra rotondo (redondo).

tondo-michelangelo_buonarroti_-_tondo_doni_-_google_art_project-143f467b68a7255cb3d-900x500
Tondo Doni de Michelangelo.

Non Finito
(não finito)

Não finito é uma expressão italiana , traduzido literalmente como “não terminou”, que se aplica na arte aos contextos funciona ao qual é atribuído um valor estéticoprecisamente por causasua imperfeição ou falta de acabamento (sejauma característica do estilo voluntariamente escolhido pelo autor ouresultado do acaso, no momento em que ele foi forçado a deixar o emprego), 1 o quetambém chamado de “estética do inacabado” (em francês esthétique de l’inachevé ). Nas palavras de Rembrandt , “a obra está terminada quando o artista decide que ele está acabado”; 3enquanto as de Whistler , referindo-se pintores ” como burguesa ” ( preciosidade oukitsch ), “suas obras podem ser terminado, mas o que é certo é que eles não são iniciados. “Assim considerado, o non finito não está inacabada, mas o que não é” profiling ” sugere ao invés de representar, usa traços simples, ” abosquejados ” para chegar ao essencial , sem se perder em detalhes.

non-finito-leonardo_da_vinci_-_adorazione_dei_magi_-_google_art_project-900x500
Adoração dos Magi (Leonardo) , 1481-1482.

Veja também:

7 termos franceses usados em arte que você precisa saber

 

 

 

 

 

 

 

Joy de Paula109 Posts

É aquela que faz tudo. Liga os pontos dentro do Arteref. Ela fala com artistas, colunistas e assessores e escreve as notícias. Faz com que tudo tenha sentido dentro de um portal que foi feito para ajudar a todos a entender um pouco mais sobre arte.

1 Comment

Leave a Comment

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Lost Password