Montagem da Bienal 2016: entrevista com o artista Michael Linares

1979, Bayamón, Porto Rico. Vive em San Juan, Porto Rico
Michael Linares trabalha com instalação, vídeo, pintura e escultura. Sua obra volta-se, frequentemente, para a reflexão sobre o modo como um objeto pode vir a se tornar arte – ou deixar de ser arte. Linares investiga as narrativas artísticas mediante a prática da apropriação para resgatar propostas de outros artistas e reativá- las de forma crítica, utilizando, porém, o recurso do humor. Una historia aleatoria del palo [Uma história aleatória do pau] (2014) e Museu do Pau(2013-2016) fazem parte de uma extensa pesquisa do artista sobre como o mesmo objeto ou material ganha diferentes atribuições e acepções ao longo do tempo e em diversas culturas. Por meio de uma grande coleção de paus e de objetos derivados desse elemento rudimentar, incluindo um vídeo que retrata seus diferentes usos, Linares cria uma espécie de inventário que combina o gesto artístico a um sentido antropológico, interessado em interpretar a cultura em um contexto museológico específico. Linares age como o colecionador que retira as coisas de seu contexto e os insere na superfície aparentemente neutra do museu, no qual passam a se conectar com valores estéticos museológicos e se distanciam de sua qualidade utilitária.

Texto – Fonte

Veja também

Bienal 2016: Ebony G. Patterson e suas obras que retratam a cultura e a violência em Kingston, Jamaica

Joy de Paula109 Posts

É aquela que faz tudo. Liga os pontos dentro do Arteref. Ela fala com artistas, colunistas e assessores e escreve as notícias. Faz com que tudo tenha sentido dentro de um portal que foi feito para ajudar a todos a entender um pouco mais sobre arte.

2 Comments

Leave a Comment

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Lost Password