A singularidade do Butô

 “Até a lembrança do cachorro do vizinho ainda vive no meu corpo”, do Núcleo Experimental de Butô, que investiga os desdobramentos dessa manifestação artística no Brasil após mais de cinco décadas de sua fundação em Tóquio, é o espetáculo do primeiro Cartografia do Possível de junho, programa do Centro de Referência da Dança (CRDSP), nos dias 1 e 2 (sexta e sábado), às 19h.

A montagem cênica busca encontrar portas de acesso a essa forma de expressão de sentimentos e sentidos pelo uso do corpo, repleta de inquietações ainda não exploradas. É também uma tentativa de desvincular o butô da associação imediata com a cultura japonesa, uma vez que o projeto político-artístico de Tatsumi Hijikata – fundador do movimento que criaria o Butô, no pós-guerra – compreende, em suas imagens poéticas, a relevância da Terra e do Cosmos, fazendo com que o Butô seja entendido de um modo universal e multicultural. Isto fica claro quando ele diz para um artista inglês: “eu vim de Tôhoku, mas há Tôhoku em todo o mundo”.

O trabalho, que conta com a provocação artística de Mônica Cristina Bernardes, que também responde pela iluminação; cenário e figurino assinados por Padu Cecconello; e sonoplastia de Stefanie Hz, resulta da dissertação de mestrado “(Po)éticas do ctônico: primeiros movimentos do butô no Brasil” (UNICAMP), de Thiago Abel, coordenador e idealizador do Núcleo Experimental de Butô.

______________________________________

Serviço:

1 e 2/6 (sexta e sábado), às 19h

“Até a lembrança do cachorro do vizinho ainda vive no meu corpo”, do Núcleo Experimental de Butô

Sala Ivonice Satie

Lotação: 70 lugares

Duração: 60  Minutos

Classificação indicativa: 12 anos

Grátis

Centro de Referência da Dança de São Paulo – CRDSP

Baixos do Viaduto do Chá, s/n – acesso pela Rua Formosa (próximo às estações Anhangabaú do Metro).

Informações: 32143249 | 953013769

 

 

Paulo Varella1446 Posts

Estudou cinema na NTFS( UK), Administração de Empresas na FGV e Química na USP. Trabalhou com fotografia, cinema autoral e publicitário em Londres nos anos 90 e no Brasil desde então. Sua formação lhe conferiu entre muitas qualidades, uma expertise em estética da imagem, habilidade na administração de conteúdo e pessoas e conhecimento profundo sobre materiais. Por muito tempo Paulo participou do cenário da produção artística em Londres, Paris e Hamburgo de onde veio a inspiração para iniciar o Arteref no Brasil: Um local para unir pessoas com um mesmo interesse, a arte contemporânea. Faz o contato e organiza encontros com os curadores, artistas e colecionadores que representam o conteúdo do qual falamos no Arte Ref

0 Comments

Leave a Comment

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Lost Password