O Conceito de design de Renata Lima

Gostaria que você me falasse um pouco sobre você, sobre como você trabalha, como são os seus projetos.

O meu escritório começou em Recife, que é a minha cidade natal. Desde a faculdade o escritório funciona principalmente atendendo o público de projetos de pequeno e médio porte, atendendo clientes residenciais e alguns comerciais.

Os projetos do escritório são bem contemporâneos. A equipe está sempre se reciclando para ficar antenado em relação aos materiais novos participando de feiras e workshops para implementar nos projetos dos clientes, mantendo a identidade deles, que prezamos muito.

E é um escritório que tem você e assistentes ou você trabalha em conjunto com outros arquitetos?

Sou eu e alguns assistentes, agora como eu estou vindo para São Paulo, nós estamos trabalhando muito com pessoas terceirizadas, pois eles me dão um suporte lá em recife e aqui tenho algumas parcerias. Tenho um escritório lá e outro aqui.


Qual é a correlação entre a arte e os seus projetos?

Acho que a arte é um dos elementos que trazem essa identidade ao projeto, além das cores e das texturas que se usa, a arte é o que dá o grande crivo da identidade do usuário, do cliente que está ali.

E quando um cliente não pensa nessa parte artística, você costuma conversar sobre isso?

Acontece muito do cliente não dar valor, muitos procuram um arquiteto em revistas de decoração, mas eles não entendem que aquilo tudo é um conjunto de elementos de arte e que às vezes ele não enxerga, não identifica. Simplesmente olha o todo e não vê que aquela poltrona que está ali é assinada, que existe um quadro ali. E isso tudo a gente vai explicando e vai inserindo no projeto, vai chamando a atenção do cliente para isso.
Acontece muito do cliente não entender isso e no final do projeto fica completamente apaixonado por arte. Acaba virando um consumidor.

O que não pode falta num projeto teu?

Como eu sou de recife, lá tem um apelo artesanal muito forte. Temos peças lindíssimas que são assinadas por grandes artesãos da região e eu pessoalmente gosto muito. Mas lógico que tem clientes que não se identificam com aquilo pois são peças muito rusticas e as vezes não conversa com a proposta do projeto. Eu sempre tento inserir alguma obra de arte que tenha a ver com o conceito. Fotografias e gravuras, por exemplo, combinam melhor em ambientes mais modernos.

Mas também acredito o rústico pode combinar com uma decoração mais contemporânea. Eu pessoalmente gosto muito dessa mistura. Acho que esse conjunto consegue trazer uma contemporaneidade para aquela peça.

Como você costuma buscar essas obras? Você tem alguém que cuida desta parte?

Aqui em SP ainda não. Em Recife eu tenho alguns pintores e artistas que já são perpetuados na região. Aqui, estou a pouco menos de um ano, então ainda estou buscando parcerias. Sei de algo pela Vila Madalena. Achei a Photoarts Gallery muito interessante, é um perfil parecido com a Urban Arts, que eu já conhecia, mas com uma tecnologia diferente, que não precisa de moldura. Muito bacana.

Eu gosto muito de quadro sem moldura, é clean e você destaca também a cor da parede, trabalhar mais com a decoração. Por exemplo, você coloca um papel de parede, coloca o quadro e ao tirar a moldura, tira mais um elemento ali para conversar com aquilo tudo. Fica mais leve, clean.

 

E em alguma ocasião você já teve que montar um projeto apartir de uma obra?

Já aconteceu uma vez de o cliente já ter uma obra de família e querer inserir no ambiente. A gente conseguiu fazer com que a obra se destacasse, porque realmente era um vaso muito bonito. Ficou bem inserido no local. Mas isso depende bastante do cliente. Assim como tem clientes que chegam sem ter a arte em mente, tem aqueles que já buscam um arquiteto por que querem destacar isso dentro da casa. Eles querem que a case fique parecida com uma galeria, e eu gosto. Isso é o que a gente faz, pois dá uma outra versão para o projeto.

E como você insere uma obra de arte em um ambiente corporativo?

Fiz um restaurante em Recife que o dono queria demonstrar as raízes dele, então inserimos vários elementos artesanais da região, fizemos uma adesivação na parede de uma imagem em alta definição da Praia da Boa Viagem, ficou lindo!

E como é a decoração da sua casa?

A minha casa em São Paulo tem muito de Recife, não consigo sair do meu berço (risos). Eu gosto muito da palha, da madeira com vidro. Adoro um ambiente muito colorido também,  então a minha casa é basicamente isso. Por exemplo, ao invés de um painel, coloquei a minha televisão em uma parede coberta com chita. Ficou bem bacana por que o colorido da chita alegrou o ambiente.

 

Equipe Editorial2224 Posts

<p>Os artigos assinados pela equipe editorial representam um conjunto de colaboradores que vão desde os editores da revista até os assessores de imprensa que sugeriram as pautas.</p>

0 Comments

Leave a Comment

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Lost Password