Yuri Tripodi: proposições artísticas, cotidiano e espaço urbano

Ul-traje para ocasiões fúnebres (2014) - Fotografia: Camila Picolo e Rafael Amambahy

Yuri ficou amplamente conhecido após sua polêmica proposição (como chama algumas de suas produções) “Ul-traje para ocasiões fúnebres”. O artista compôs um figurino como um sistema sígnico (cada acessório intencionalmente propunha significações associadas à morte, ao luto, à velório) e entrou dentro da igreja da sé, um dos símbolos da igreja católica na cidade de São Paulo. O fato de ter gerado polêmica foi o de, (além da organização simbológica) na composição de seu figurino, Yuri utilizar pouco tecido, deixando a mostra seus trajes íntimos (mínimos). A repercussão do trabalho foi imensa e levou à reações que o artista não esperava, como ameaças de morte e evidente violência por parte de defensores da religião.

Yuri Ultraje 3

Ul-traje para ocasiões fúnebres (2014) - Fotografia: Camila Picolo e Rafael Amambahy

As ameaças claras de violência levaram o artista a recorrer à defensoria pública do estado de São Paulo, deixando evidente o quanto os dogmas religiosos ainda estão muito presentes em nossa vida social. É de se questionar o quanto uma religião que, supostamente, prega a paz e a boa convivência, pode reagir com ameaças explícitas de violência. As reações, nesse sentido, completaram a hipótese do artista que pensa que a ação castradora da igreja ainda repercute muito em nossas subjetividades.

Além deste trabalho, o artista já realizou outra proposição em Salvador, onde desfilou com um figurino também projetado para a ocasião. Neste trabalho, Yuri desenvolveu um biquini/maiô que, ao usá-lo em uma praia, colocava seu corpo em estado de risco, curiosidade e questionamento sobre os modos de existir da sociedade. Deixa de lado a sunga para homens e veste um fio dental. Nesta proposição, podemos ver no registro da experiência a repercussão instantânea; meninos extrovertidos e pessoas curiosas seguiram/se comunicaram com o artista e foram surpreendidos pela figura.

Yuri Bikini 2

Bikini Quadradão (2014)

As experiências que Yuri propõe são carregadas de diversas camadas simbólicas. Alguns podem olhar (com uma visão distorcida) e dizer que são desrespeitosas, mas vão muito além de uma simples falta de educação… talvez a palavra adequada seja provocação. O artista acaba por provocar pela ousadia de suas proposições e produções. E provocar não necessariamente é algo negativo, revelam ideias, ponto de vistas radicais, transformadores.

Yuri veio até nosso estúdio e conversou pessoalmente conosco. Conversamos sobre muita coisa. Suas produções, pontos de vistas, seu percurso… Gravamos a conversa e editamos um vídeo e um podcast de áudio, que podem ser vistos/ouvidos a seguir:

Entrevista com Yuri Tripodi (Agosto de 2014) from arteref on Vimeo.

Yuri Bikini 3

Bikini Quadradão (2014)

*Índice de perguntas do podcast de áudio: Transcrição Perguntas

Yuri em breve lançará um nova proposta, intitulada sintáxi pra paripe. Um filme experimental e uma apresentação musical fazem parte do projeto.

Sintáxi pra paripe

Síntaxi pra paripe - Em breve

Paulo Varella1225 Posts

Estudou cinema na NTFS( UK), Administração de Empresas na FGV e Química na USP. Trabalhou com fotografia, cinema autoral e publicitário em Londres nos anos 90 e no Brasil desde então. Sua formação lhe conferiu entre muitas qualidades, uma expertise em estética da imagem, habilidade na administração de conteúdo e pessoas e conhecimento profundo sobre materiais. Por muito tempo Paulo participou do cenário da produção artística em Londres, Paris e Hamburgo de onde veio a inspiração para iniciar o Arteref no Brasil: Um local para unir pessoas com um mesmo interesse, a arte contemporânea. Faz o contato e organiza encontros com os curadores, artistas e colecionadores que representam o conteúdo do qual falamos no Arte Ref

0 Comments

Leave a Comment

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Lost Password