Anima na Bolsa de Arte

Carregando Eventos

« Todos Eventos

Anima na Bolsa de Arte

outubro 9 - novembro 14

Como se configurariam os restos do reino vegetal se ele fosse extinto? Essa premissa ficcional dá o tom de Anima, individual de Marcelo Zocchio na Galeria Bolsa de Arte. Com abertura no dia 7 de outubro, das 11h às 16h, a exposição traz cerca de dez obras, entre inéditas e produzidas pelo artista nos últimos cinco anos em técnicas diversas (escultura, instalação, fotografia), tendo como matéria-prima a fotografia, a  madeira bruta e peças reaproveitadas. Essas também dão corpo à instalação Somente o Necessário, que Zocchio apresenta paralelamente no MAC USP (até 26 de novembro informações em www.mac.usp.br).

 

O universo conceitual de Marcelo Zocchio contém sempre um dado de inquietação quanto aos excessos da ação humana sobre o mundo, compreendida em sua conformação mais cotidiana. As marcas materiais da existência humana sobre o planeta estão no foco do artista paulistano, sejam elas as falhas da urbanização e as construções inúteis realizadas pelas diferentes gestões políticas ou os rastros deixados pela passagem do tempo (como a obsolescência de aparelhos eletrônicos e a má conservação de prédios e ambientes públicos).

 

Em Anima, uma distopia natural serve como base para o jogo de intervenções sobre madeira, vinda em estado bruto ou reaproveitada. Parte-se do pressuposto ficcional de que, se a vegetação do planeta cessasse de existir, seus restos seriam reconfigurados pela ação do tempo ou por uma força interna remanescente. Mas pela manipulação de Zocchio, estabelece-se um jogo paradoxal entre intervenção natural e humana.

 

Dessa maneira, galhos comuns de pitangueira perdem sua aparência orgânica na reconfiguração de contornos construtivos em Transformer Stenocalyx (2012). Esse jogo formal externo internaliza-se em Transformer Cedrela (2012). Aqui, troncos de cedro e outras árvores são escavados e ganham enxertos geométricos: pequenos cubos de madeira reaproveitada de diversos tipos, encaixados nos ocos de suas extremidades.

 

Numa instalação no teto da galeria, inverte-se a relação entre ação natural e artificial. Diversas vigas de madeira, encontradas em caçambas de construção ou nas calçadas

da cidade, ganham em suas extremidades perpendiculares ao chão a imagem impressa de uma árvore (como em fotos da série Biometria, 2015, que também figuram na mostra). Marcelo Zocchio menciona a forma orgânica original naquilo que no presente tornou-se artificial, moldado utilitariamente para servir à empresa humana.

 

Utilizando o mesmo jogo de remissão ao natural, trabalhos da série Réplica exibem fotos de árvores ladeadas por esculturas inspiradas em suas formas, confeccionadas em madeira processada de construção. Seja no orgânico manipulado ou no artifício que tem sua origem exposta, em Anima Marcelo Zocchio faz refletir sobre a velocidade e a inconsequência da intervenção humana sobre a natureza no espelhamento dos diferentes estados da matéria orgânica no tempo.

 

Sobre o artista

Marcelo Zocchio nasceu em São Paulo, em 1963, cidade onde vive e trabalha. Estudou fotografia no International Center of Photography (NY) entre 1990 e 1991. Anexou a produção de esculturas e instalações às imagens. Foi contemplado com o Edital ProAc (2016), Prêmio Porto Seguro de Fotografia (2005) e Prêmio Nacional de Fotografia – Funarte (1996). Entre as mais de 50 exposições de que participou ao longo da carreira estão as individuais Marcelo Zocchio e a Imagem Materializada (Pinacoteca do Estado de São Paulo, curadoria Tadeu Chiarelli, 2016); Repaisagem (Casa da Imagem, São Paulo, 2012); e Segunda Mão (Centro Universitário Maria Antônia, São Paulo, 2011); e as coletivas Past/Future/Present – Contemporary Brazilian Art from the Museum of Modern Art de São Paulo (Phoenix Art Museum, EUA, 2017); Convocatória para um Mobiliário Brasileiro (MASP, curadoria Jonathas de Andrade, 2017); e Natureza Franciscana (Museu de Arte Moderna de São Paulo, curadoria Felipe Chaimovich, 2016). Suas obras estão em coleções de instituições como Fundação Padre Anchieta, Museu da Cidade de São Paulo, Pinacoteca do Estado de São Paulo, MAM SP, MAM Rio e MASP. Publicou os livros Marcelo Zocchio e a Imagem Materializada (Pinacoteca de São Paulo, 2016); Repaisagem (São Paulo, 2012) e Pequeno Dicionário Ilustrado de Expressões Idiomáticas, em parceria com Everton Ballardin (1999).

 

Sobre a galeria

A Galeria Bolsa de Arte iniciou suas atividades no ano de 1980, na cidade de Porto Alegre. Trabalhando com arte contemporânea desde então, a galeria representa alguns dos nomes mais significativos no mercado nacional, mas sempre com a preocupação de lançar novos talentos. Nestes quase 40 anos de atividade, já realizou mais de 250 exposições, além de participar ativamente de feiras, tanto no Brasil quanto no exterior.

Em março de 2011, muda-se para uma nova sede em Porto Alegre, com aproximadamente 800 metros quadrados. Em abril de 2014, abre filial na cidade de São Paulo.

 

SERVIÇO

Marcelo Zocchio – Anima

Abertura: 7 de outubro (sábado), das 11h às 16h

Visitação: 9 de outubro a 14 de novembro

Onde: Galeria Bolsa de Arte (R. Mourato Coelho, 790, Vila Madalena, SP, tels. 11.3097-9673/ 3812-7137)

Horário: segunda a sexta, das 10h às 19h; sábados, das 11h às 17h

Entrada franca

http://www.bolsadearte.com.br

https://www.facebook.com/galeriabolsadearte

http://instagram.com/galeriabolsadearte

saopaulo@bolsadearte.com.br

Detalhes

Início:
outubro 9
Final:
novembro 14

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Lost Password