Exposições e lançamento de catálogo na Zipper Galeria

James Kudo - Sem Título, 2015

O que é? Abertura das exposições “Oximoros” e “Deconstruyendo el Tiempo/Espacio: Chuyillache”, individuais de James Kudo e Diego Arregui respectivamente –  com curadorias de Denise Matar e Denise Gadelha – e lançamento do catálogo Zip’Up temporada 2014.

Quem são os artistas? James Kudo vive e trabalha em São Paulo. Nascido em Pereira Barreto (no ano de 1967), o artista graduou-se na Faculdade de Belas Artes e na Art Student League, Nova York / EUA. Com uma extensa lista de exposições coletivas e individuais, o artista recebe destaque pela participação em 100 Painters of Tomorrow (Londres), em coletiva no Paço das Artes (Duplo Olhar – Coleção Sérgio Carvalho) e individuais na Alemanha, Japão e Estados Unidos.
Diego Arregui é peruano mas atualmente vive e trabalha no Chile. Formado em fotografia, ao longo dos seus estudos desenvolveu instalações experimentais as quais estabeleceram diálogos desta linguagem com outras utilizadas na arte – como a escultura e a performance.

O que terá na mostra? O artista estrangeiro irá apresentar uma instalação e James Kudo uma série com 13 pinturas e duas instalações site-specific.

Sobre o espaço: A Zipper Galeria (idealizada por Fabio Cimino) tem desempenhado papel fundamental no lançamento e na consolidação de grandes nomes da arte contemporânea brasileira. Desde sua fundação, no ano de 2010, a galeria é focada na prospecção, divulgação, promoção e inserção de diferentes artistas.

Abertura: Terça-feira, 24 de fevereiro, das 19h às 22h.

Período expositivo: 25 de fevereiro a 21 de março de 2015.

Diego-Arregui

Daniel Arregui

Visando dar início à uma série de intercâmbios, a Zipper Galeria apresenta individual do peruano Diego Arregui. Explorando os planos bidimensionais da fotografia, o artista irá reconstruir a imagem distribuindo suas partes pelo espaço.

Usando, para esta estratégia, a projeção, o artista irá dividir a imagem e fazer com que ela dialogue com o entorno arquitetônico.

Desta maneira, Arregui intercepta a fotografia para acrescer esta de outros significados e convida, com isso, o público a circular o seu interior.

3850A

James Kudo - Sem Título, 2014

Reunindo 13 pinturas e duas instalações site-specific, James Kudo liberta as águas nesta individual.

Com este tema sempre presente em sua produção (talvez pelo fato de Kudo ter visto sua cidade natal submergir durante a construção de uma represa), o artista metaforicamente fará o líquido jorrar de suas telas na mostra intitulada Oximoro.

Oximoro é uma figura de linguagem que combina ideias opostas com o objetivo de criar uma terceira, e, nas palavras da curadora Denise Mattar, James Kudo é um criador de oximoros:

“Nas suas colagens, pintadas à mão, as cores são estridentemente silenciosas e nas paisagens, docemente venenosas, tudo parece fixo – na eternidade do instante. O  trabalho de Kudo se constrói em relatos, onde a ficção e a não ficção estão continuamente mescladas. São memórias imaginadas borrando a linha entre o real e o irreal. Na reconstrução desse painel de memórias, Kudo cola os fragmentos opondo referências.”

3859A

James Kudo  - Sem Título, 2015

Além das aberturas, no dia 24 de fevereiro a galeria irá também apresentar o lançamento do catálogo da temporada 2014 do projeto Zip’Up.

Desde 2011 o Zip’Up é responsável por levar à Zipper mostras concedidas por jovens/independentes curadores que são incumbidos de apresentar trabalhos sem representação em São Paulo.

O projeto já trouxe nomes de diferentes artistas, curadores e coletivos e, agora em 2015, serão convidados nomes estrangeiros e uma indicação de artista por um colecionador.

3852A

James Kudo - Sem Título, 2014

Paulo Varella1139 Posts

Estudou cinema na NTFS( UK), Administração de Empresas na FGV e Química na USP. Trabalhou com fotografia, cinema autoral e publicitário em Londres nos anos 90 e no Brasil desde então. Sua formação lhe conferiu entre muitas qualidades, uma expertise em estética da imagem, habilidade na administração de conteúdo e pessoas e conhecimento profundo sobre materiais. Por muito tempo Paulo participou do cenário da produção artística em Londres, Paris e Hamburgo de onde veio a inspiração para iniciar o Arteref no Brasil: Um local para unir pessoas com um mesmo interesse, a arte contemporânea. Faz o contato e organiza encontros com os curadores, artistas e colecionadores que representam o conteúdo do qual falamos no Arte Ref

0 Comments

Leave a Comment

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Lost Password