“Porto, Tempo, Paisagem

Pinacoteca Benedicto Calixto, Santos, 2017

A mostra: “Porto, Tempo, Paisagem”, apresenta uma releitura do artista Paulo von Poser (São Paulo, 1960) a partir das obras de Benedicto Calixto (Itanhaém, 1853 – 1927). Ambos os artistas, pertencentes a épocas distintas, possuem algo em comum: o amor pela paisagem portuária da cidade de Santos.

Benedicto morou em Santos a partir de 1881, e a cidade serviu de inspiração para diversas pinturas, e, em 1882 foi convidado para fazer pinturas no Teatro Guarany, da mesma cidade, o que resultou em uma bolsa de estudos à Paris.

Paulo, que mora na cidade de São Paulo, iniciou seu contato com a cidade de Santos em 1986, ano que passou a lecionar desenho na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo de Santos (FAUS), e, em 2007 quando pintou o teto e foyer do Teatro Guarany, que, passados mais de 100 anos de sua inauguração, encontrava-se em ruínas, sendo reconstruído então pela Prefeitura de Santos. (Infelizmente durante o restauro nada do trabalho de Benedicto pode ser salvo, e Paulo utilizou algumas pinturas do mesmo, dentre outras, como referência para a execução da nova pintura).

Para esta mostra, o artista apresenta doze trabalhos, entre desenhos e pinturas inéditas (feitos a partir da observação direta da paisagem do Porto e de pinturas originais de Benedicto Calixto presentes nos acervos da Pinacoteca Benedicto Calixto, e nas coleções do Itaú Cultural e BM&F Bovespa). Paulo também pesquisou o arquivo do Museu Paulista da Universidade de São Paulo, onde selecionou vinte e sete fotografias originais tiradas por Benedicto, e que serão exibidas na cidade de Santos pela primeira vez.

“Benedicto foi sem dúvidas um artista, pesquisador e historiador cosmopolita.” Paulo von Poser

Lápis e Pincel

Criados para comunicar a representação da sensibilidade humana, converteram-se nos veículos primais do imaginário desejo de fruição e materialidade da obra de arte. Instrumento de origem mineral, o lápis risca, escreve, cromatiza, gera códigos e texturas, provoca ruídos. De gênese animal, o pincel conduz, espalha, sobrepõe e afaga massas de tinta, deixa rastros e evoca silêncio. Os contornos de um são cobertos pelas cores do outro. Atribuições, supostamente opostas, pressentem do destino resignado de ambos; a pintura é cativa do desenho, este, por sua vez, aspira com o meio pictórico.

Juntos, lápis e pincel articulam linhas, formas, relevos e planos tal qual o enlace de Paulo von Poser com a obra de Benedicto Calixto. O diálogo proposto entre desenho e pintura conspira contra as dissonâncias e oferece cumplicidade entre eles. Unifica seus desejos e empresta um sentido à vida que se almeja eternizar.

Gino Caldatto

Pintura e fotografia: tempo e paisagem

Pintura e fotografia duas formas de linguagens autônomas, rivalizadas na origem, construíram no tempo estreita cumplicidade. A fotografia revelou, desde sua invenção na primeira metade do século XIX, inúmeras possibilidades técnicas e visuais surpreendentes, exercendo influências sobre o olhar pictórico.

A mostra dos trabalhos de Paulo von Poser inspirados na obra do pintor Benedicto Calixto atesta estreita relação entre pintura, desenho e fotografia, sobrepondo a barreira do tempo.

A seleção de vinte e sete registros fotográficos de Calixto, pertencentes ao Museu Paulista, realizados pelo pintor com o aparelho fotográfico que trouxe de Paris no ano de 1884, apresenta a fascinação e familiaridade do pintor com a imagem obtida, de modo análogo von Poser utiliza da fotografia como meio de produção e documentação do processo criativo de seus trabalhos.

Narrativas visuais realizadas em momentos temporais diferentes, a relação entre pintura e fotografia é resolvida por eles como uma ligação natural da produção tecnológica de seu tempo.

Colaboração entre essas expressões artísticas auxiliou Benedicto e Paulo na construção imagética de suas trajetórias, seus períodos e cenários urbanos distintos, desvendando e resignificando momentos de uma cidade sempre em transição.

PAISAGEM TEMPO

O porto do Bispo, Praia e rampa do Consulado, Santos, 1882, obras realizadas por Benedicto Calixto, fontes de inspiração para Paulo von Poser produzir uma releitura pessoal dessas paisagens, percorrendo os mesmos lugares e enquadramentos realizados e idealizados por Calixto. Dois artistas com uma distância espacial de mais de um século, seduzidos pela fascinante temática, a área portuária da cidade de Santos.

O recorte imagético de lugares marcantes da identidade urbana junto à coletividade. Agregam uma série de elementos estimulantes da herança patrimonial da região, por meio do registro da Serra do Mar, o cais, monte Serrate, o edifício da Bolsa Oficial de Café, paisagens culturais que expressam momentos passados e atuais, conformando-se em suportes da memória histórica daqueles que vivem em seu território

 

Paulo Varella1239 Posts

Estudou cinema na NTFS( UK), Administração de Empresas na FGV e Química na USP. Trabalhou com fotografia, cinema autoral e publicitário em Londres nos anos 90 e no Brasil desde então. Sua formação lhe conferiu entre muitas qualidades, uma expertise em estética da imagem, habilidade na administração de conteúdo e pessoas e conhecimento profundo sobre materiais. Por muito tempo Paulo participou do cenário da produção artística em Londres, Paris e Hamburgo de onde veio a inspiração para iniciar o Arteref no Brasil: Um local para unir pessoas com um mesmo interesse, a arte contemporânea. Faz o contato e organiza encontros com os curadores, artistas e colecionadores que representam o conteúdo do qual falamos no Arte Ref

0 Comments

Leave a Comment

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Lost Password