Christian Boltanski compartilha seus batimentos cardíacos em instalação na Baró Galeria

Qual a exposição? “Heartbeats”, de Christian Boltanski.

Quem é o artista? Christian Boltanski nasceu em 1944, em Paris e atualmente vive e trabalha em Malakoff, na França. Escultor, fotógrafo, pintor e cineasta, é considerado hoje um dos mais consagrados artistas contemporâneos. O francês foi vencedor de diversos prêmios, participou das principais mostras de arte do mundo e teve grandes retrospectivas e individuais nas mais renomadas instituições de arte.

O que terá a mostra? A mostra é composta por uma única instalação imersiva composta por 61 espelhos negros de tamanhos variados, uma lâmpada incandescente e um vídeo que convidam o público a, quase literalmente, mergulhar no coração do artista.

Sobre o espaço: Baró Galeria abriu suas portas em 2010 e desde então se estabeleceu como referência em arte internacional no circuito brasileiro. Dirigida pela espanhola Maria Baró, a galeria busca aprofundar o diálogo entre artistas, curadores, colecionadores e instituições culturais através, principalmente, de trabalhos site-specific.

Abertura: 1 de agosto de 2015, das 16h às 20h

Período expositivo: De 3 de agosto a 12 de setembro de 2015

Christian Boltanski trouxe para a sua primeira exposição em uma galeria na América Latina, a obra Heartbeats, uma intalação que compartilha com os visitantes seus próprios batimentos cardíacos. Por meio de amplificadores, os sons ressoam pelo ambiente convidando o público para um mergulho no coração do artista.

A instalação é inspirada em sua outra obra “Les Archives du Coeur” (Os Arquivos do Coraçãoque, desde 2005, vem percorrendo diversas instituições de arte coletando batimentos cardíacos de audiências ao redor do mundo em uma espécie de registro existencial universal, segundo o próprio artista.

Nas duas, o órgão, comumente associado ao símbolo da vida, se apresenta como o elo comum entre espectadores e artista, ao mesmo tempo que compõe a singularidade de todos os seres.

Arquivos e memórias fazem parte do fascínio do artista desde 1960. Para Boltanski, eles representam grandes paradoxos: se por um lado são uma forma potente e preciosa de reconquistar as perdas, por outro são passíveis de limitações e inverdades. A partir destes pensamentos, seus trabalhos lançam reflexões acerca da morte, da passagem do tempo e da luta pela conservação das “pequenas memórias emocionais”. Para ele, essas últimas confrontam aquelas registradas em livros de história por serem as grandes colecionadoras das particularidades das experiências humanas.

Paulo Varella1207 Posts

Estudou cinema na NTFS( UK), Administração de Empresas na FGV e Química na USP. Trabalhou com fotografia, cinema autoral e publicitário em Londres nos anos 90 e no Brasil desde então. Sua formação lhe conferiu entre muitas qualidades, uma expertise em estética da imagem, habilidade na administração de conteúdo e pessoas e conhecimento profundo sobre materiais. Por muito tempo Paulo participou do cenário da produção artística em Londres, Paris e Hamburgo de onde veio a inspiração para iniciar o Arteref no Brasil: Um local para unir pessoas com um mesmo interesse, a arte contemporânea. Faz o contato e organiza encontros com os curadores, artistas e colecionadores que representam o conteúdo do qual falamos no Arte Ref

0 Comments

Leave a Comment

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Lost Password