Os futuros nomes da moda na Exposição “Figurações”

 A relação entre a Moda e a Imagem, a partir do ponto de vista conceitual e artístico, pode ser conferida na exposição “FIGURAÇÕES“, no próximo sábado15 de julho, a partir das 10h, na Oficina Cultural Oswald de Andrade, em São Paulo. A atividade é resultado do trabalho de 14 estudantes, em dois meses, no curso “Figurações do Tempo: relações entre Moda e Imagem”, coordenado e ministrado pelo pesquisador em Filosofia pela UNIFESP (Universidade Federal de São Paulo), Brunno Almeida Maia, pelo fotógrafo paulistano Gal Oppido, e pelo chapeleiro Eduardo Laurino (FASM – Faculdade Santa Marcelina). A atividade gratuita inclui aula aberta sobre a Moda e a Fotografia nos séculos XIX e XX, com o Prof. Brunno Almeida Maia, e a performance “Gavetas”, do projeto “Amar (ante)”, do performer Sergio Amarante.

Com 84 fotografias, em tamanhos 10X15 e 30X45, “FIGURAÇÕES” tem a curadoria de fotografia de Gal Oppido e Iago Ferrão. A coletiva apresenta os olhares de jovens e veteranos artistas e fotógrafos como Andreza Aguida, Beatriz Gomes, Bronie Lozneanu, Fernanda Estima, Isadora Tortaro, Marta de Divitiis, Mauro Spolaor, Monica Rosa, Oscar Steiner, Regina Azevedo, Robson Morales, Rose Steinmetz, Saulo Vieira e Sergio Amarante, sobre a relação entre a vestimenta – como objeto de extensão do corpo – a imagem e a própria concepção de Moda. Além das fotografias, objetos-roupas, confeccionados nas aulas de Eduardo Laurino, compõem a concepção da exposição.

Na série de fotografias da modelo Andreza Aguida, prevalece o autorretrato e a criação de peças que se ajustam a qualquer parte do corpo; Beatriz Gomes, por seu turno, demonstra a influência da arquitetura em seu trabalho, por meio de questões referentes à abstração do corpo pela geometria e (de) composição; a atual discussão sobre as expressões e identidades de gêneros se redimensionam no feminino de Fernanda Estima, que revisita a figura mítica de Iemanjá, pertencente ao imaginário afro-brasileiro; Isadora Tortaro busca o “fim de processo”, alegorizado como um fio, no qual o tecido é o elemento da história, e o arame, o tempo; “Simulacro” de Mauro Spolaor está associado à simulação, à ação de simular, com a máscara como objeto privilegiado, numa captura imagética de um estado de ser, liberto de códigos, assumido de seu eu verdadeiro, sem representações.

A Máscara-Samurai, os objetos-roupa inspirados, especialmente, nos vestidos-origami da coleção Nintai (paciência, em japonês) das uruguaias Mercedes Arocena e Lucia Benitez, a luminária-Sakura, objeto-casa, e a árvore dos desejos, objeto-orgânico, inspirada no Tanabata, tradicional festival japonês que acontece no mês de julho, são signos que compõem o trabalho de Regina Azevedo; a jornalista e produtora de moda Marta De Divitiis busca a representação do dualismo interno e externo, com a máscara e a gola, que pode se transformar em punhos ou chapéu, de linhas duras e geométricas; Monica Rosa inspira-se em referências da cultura popular, como as máscaras do Carnaval veneziano, e símbolos de poder como a coroa; Oscar Steiner busca o jogo de luz e sombras, em imagens como “Alice”, “LU” e “Retângulo”; o corpo humano e os seus dualismos, entre o sagrado e o profano, o feminino e o masculino, a carne-matéria e alma-espirito, se erotizam nas fotografias de Robson MoralesRose Steinmetz busca referências na cultura queer, dialogada com o artista pop Andy Warhol, e as alegorias de Walter Benjamin, expostas no Angelus NovusSaulo Vieira continua no âmbito da pesquisa em representações tridimensionais que tem como base sua formação como arquiteto. E, por último, Sergio Amarante se vale da perspectiva de um corpo masculino que busca reconhecer e entender o seu feminino presente.

A programação da exposição “FIGURAÇÕES” inclui aula aberta e gratuita, das 10h às 13h, sobre “Moda e Fotografia nos séculos XIX e XX“, com o pesquisador em Filosofia pela UNIFESP (Universidade Federal de São Paulo), e escritor Brunno Almeida Maia; às 14h15, o performer Sergio Amarante apresenta a performance “Gaveta“, do projeto “Amar (ante)”, inspirada no encontro entre o feminino e o masculino. A exposição segue das 14h15 às 17h no anexo Casa da Oficina Cultural Oswald de Andrade.

Para se inscrever para a aula aberta, que possui apenas 25 (vinte e cinco) vagas, basta enviar um e-mail com Nome, RG, Telefone e E-mail para contato parabrunnoalmeidamaia@gmail.com. As demais atividades – performance e exposição – não necessitam de inscrição.

Figurações” é uma iniciativa do Projeto “A Literatura e a Moda”, Oficina Cultural Oswald de Andrade, POIESIS – Instituto de Apoio à Cultura, à Língua e à Literatura, Governo do Estado de São Paulo, Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, e apoios institucionais da TexPrima Loja Oficina e Baobá Comunicação Cultura e Conteúdo.

SOBRE O CURSO

Figurações do Tempo: relações entre Moda e Imagem” investiga a relação existente entre a imagem, o corpo, o belo e as concepções de beleza na moda a partir do ponto de vista da Filosofia. Dividida em três disciplinas “História do Pensamento e Filosofia de Moda”, “Laboratório de Criação” e “Linguagem Visual”, e com caráter processual e prático, o objetivo é que o estudante exercite o olhar por meio da ampliação do repertório de pesquisa, a partir das discussões teóricas para criar ensaios visuais, inspirados nos eixos temáticos, nos textos, escritores, pensadores e nas discussões surgidas ao longo do processo de investigação e de pesquisa.

A Serpente, por Robson Morales e Iago Ferrão

Para tal tarefa, a Oficina Cultural Oswald de Andrade convidou Almeida Maia para a coordenação e docência da oficina. Idealizador do projeto “A Literatura e a Moda”, que investiga os diálogos entre moda, literatura, filosofia e arte, Almeida Maia ministra cursos, workshops e palestras desde o ano de 2012 em espaços culturais, escolas e universidades, como FAAP – Fundação Armando Alvares Penteado, Centro Universitário Belas Artes, Senac Lapa Faustolo, Oficina Cultural Oswald de Andrade, Oficina Cultural Casa Mário de Andrade, Escola São Paulo, Biblioteca Mário de Andrade, Galeria AMDO, em Belo Horizonte (MG), Oficina Cultural Hilda Hilst, em Campinas (SP), Casa da Palavra Mário Quintana, em Santo André (SP), Sesc Consolação, e CPF – Centro de Pesquisa e Formação Sesc SP

Adereço Alce, por Allyson Alapont

O fotógrafo paulistano Gal Oppido, conhecido por exposições como “Antífona”, no Museu Afro Brasil, e “São Paulo Mon Amour”, na Maison de Mettalos, em Paris, e por ter sido um dos principais nomes das páginas da revista Vogue Brasil na década de 90, é o docente responsável pela disciplina “Linguagem Visual”, na qual, em conjunto com o chapeleiro Eduardo Laurino, docente da disciplina “Laboratório de Criação”, desenvolverá o olhar prático para a relação entre moda e imagem. A partir do arcabouço teórico e conceitual de “História do Pensamento e Filosofia de Moda”, matéria ministrada por Almeida Maia, os participantes produzirão, orientados por Laurino e Oppido, ensaios visuais inspirados nos textos e nas discussões das aulas do trio.

Bushi no Herumetto (capacete de samurai), por Regina Azevedo

O projeto “A Literatura e a Moda”, com quatro anos de existência, começou ao lado do estilista brasileiro Walter Rodrigues e, hoje, segue com Almeida Maia e Laurino. Em  2016, a dupla convidou a escritora brasileira Anita Deak, uma das finalistas do Prêmio Sesc de Literatura, para participar da oficina “Assimetrias do Tempo: a construção e a desconstrução na Moda, na Literatura e na Filosofia”, que integrou o projeto #ForadeModa, com co-curadoria do estilista brasileiro Fause Haten no Sesc Ipiranga. A pesquisa rendeu, ainda, convite a Almeida Maia para integrar o quadro de docentes do Senac Lapa Faustolo e realizasse cursos de extensão no Departamento de Pós-Graduação, Extensão e Cursos Livres da FAAP – Fundação Armando Alvares Penteado, em SP. Ao longo destes anos, ele participou dos projetos Pano pra Manga, que reuniu, numa programação mensal, os principais nomes da moda brasileira num evento no Sesc Pompeia, e da coletânea “Moda Vestimenta Corpo” (Ed. Estação das Letras e Cores, 2015), no qual assina um capítulo sobre a relação entre literatura e moda, no contexto do Brasil do Segundo Império, a partir do romance “Lucíola” (1862), de José de Alencar.

Eu me rasgo por Robson Morales e Iago Ferrão

Localizada no tradicional bairro paulistano do Bom Retiro – polo cultural e econômico do mercado têxtil, e ao lado da Casa do Povo, residência do G>E, grupo de pesquisa em moda e design coordenado pela estilista e artista Karlla Gitrotto –, a Oficina Cultural Oswald de Andrade, desde a sua fundação, em 1986, promove atividades, como oficinas, cursos, palestras e workshops na área de moda com profissionais e pesquisadores da área, como Alcino Leite Neto, ex-editor de Moda da Folha de São Paulo, o jornalista Mário Mendes, os fotógrafos Gal Oppido e Bob Wolfenson, os estilistas Dudu Bertholini, Walter Rodrigues, Guilherme Mata, Conrado Segreto, a empresária e jornalista Costanza Pascolato, o designer Guto Lacaz, o escritor Ignácio de Loyola Brandão e o historiador João Braga.

Sem título, por Andreza Aguida e Iago Ferrão

SERVIÇO

FIGURAÇÕES

OFICINA CULTURAL OSWALD DE ANDRADE

EXPOSIÇÃO/ AULA ABERTA/ PERFORMANCE

Coordenadores-ministrantes: Brunno Almeida Maia – UNIFESP (Universidade Federal de São Paulo), Gal Oppido (FAU USP – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP), Eduardo Laurino (FASM – Faculdade Santa Marcelina).

Autores: Andreza Aguida, Beatriz Gomes, Bronie Lozneanu, Fernanda Estima, Iago Ferrão, Isadora Tortaro, Marta De Divitiis, Mauro Spolaor, Monica Rosa, Oscar Steiner, Regina Azevedo, Robson Morales, Rose Steinmetz, Saulo Vieira e Sergio Amarante.

Data: 15 de julho de 2017, sábado, das 10h às 17h.

 

PROGRAMAÇÃO DA ATIVIDADE:

10h às 13h – Aula aberta “Moda e Fotografia nos sécs. XIX e XX”, com o Prof. Brunno Almeida Maia (UNIFESP – Universidade Federal de São Paulo).

14h às 14h15 – Performance “Gaveta”, com Sergio Amarante.

Ficha Técnica da Performance:

Performer: Sergio Amarante

Texto: Tassia cabanas

Direção Artística: Tati Sanches, Tassia Cabanas e Sergio Amarante.

14h15 às 17h – Exposição.

 

Atividade gratuita.

 

Endereço: Rua Três Rios, 363 – Bom Retiro – CEP: 01123-001 – São Paulo – SP.

Telefones: (11) 3222-2662 / (11) 3221-4704/ (11) 3221 5558/ (11) 11 3222 9574/ (11) 3222 4683.

E-mail: oswalddeandrade@oficinasculturais.org.br

Site: http://www.oficinasculturais.org.br/unidades/?oficina=7

Funcionamento: Segunda a sexta das 9h às 22h e aos sábados das 13h às 21h.

 

SOBRE AS OFICINAS CULTURAIS

As chamadas Oficinas Culturais realizam atividades gratuitas de formação e difusão cultural em diferentes linguagens artísticas: artes plásticas, audiovisual, circo, performance, HQ, dança, fotografia, literatura, música, teatro, gestão cultural. São cursos, palestras, oficinas, workshops, espetáculos e exposições para todos os públicos.

Oficinas Culturais é um Programa da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo que atua desde 1986 na formação e na vivência da população no campo da cultura. O programa é administrado pela organização social POIESIS – Instituto de Apoio à Cultura, à Língua e à Literatura.

Paulo Varella1185 Posts

Estudou cinema na NTFS( UK), Administração de Empresas na FGV e Química na USP. Trabalhou com fotografia, cinema autoral e publicitário em Londres nos anos 90 e no Brasil desde então. Sua formação lhe conferiu entre muitas qualidades, uma expertise em estética da imagem, habilidade na administração de conteúdo e pessoas e conhecimento profundo sobre materiais. Por muito tempo Paulo participou do cenário da produção artística em Londres, Paris e Hamburgo de onde veio a inspiração para iniciar o Arteref no Brasil: Um local para unir pessoas com um mesmo interesse, a arte contemporânea. Faz o contato e organiza encontros com os curadores, artistas e colecionadores que representam o conteúdo do qual falamos no Arte Ref

0 Comments

Leave a Comment

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Lost Password