As 9 melhores dicas de como ver uma obra de arte abstrata

Fotografia de Bastian, via Flickr

“A abstração é incrivelmente radical, contorna a linguagem e evita o nome ou a mera descrição”, escreve Jerry Saltz. “Ela desencanta, encanta, desintoxica, desestabiliza, resiste ao fechamento, retarda a percepção e aumenta nossa compreensão do mundo”. E assim pode ser, mas como nós realmente nos envolvemos com ela?

A qualidade de um trabalho expressionista abstrato pode ser medido principalmente por como ele faz você se sentir. Mas isso é, naturalmente, verdadeiro de muita arte. O problema com a arte abstrata é que, para um olho inexperiente, quase todas as pinturas parecem as mesmas.

Partindo disso, aqui estão algumas sugestões a considerar na próxima vez que você se aproximar de um trabalho aparentemente impenetrável de arte abstrata.

Não há código para desvendar

  • Como seres humanos, temos um prazer em resolver problemas e enigmas. Embora isso seja útil em muitos aspectos da vida, o reino da arte abstrata não é um deles.
  • Respire fundo e deixe ir embora o desejo de alinhar cada pincelada a um significado simbólico, cada cor a um aspecto da biografia do artista.

Não olhe para o relógio

  • Quanto tempo você deve levar para absorver plenamente uma obra de arte? Enquanto o tempo médio gasto em frente a uma obra de arte num museu é de cerca de 15 segundos, experienciar verdadeiramente uma obra pode levar até anos.
  • Você também pode se interessar: Quanto tempo é necessário para admirar uma obra de arte?

Não diga “até meu filho de 5 anos poderia fazer isso!”

  • Você provavelmente sentiu o desejo de recitar essa velha frase. E sim, às vezes é difícil entender como uma tela branca como esta pode ficar exposta no MoMA:

    White Painting, 1951 | Robert Rauschenberg
    White Painting, 1951 | Robert Rauschenberg
  • Mas esta passagem de Roland Barthes pode te fazer começar a repensar a ideia:
    “Não é infantil na forma, pois a criança se aplica, pressiona, arredonda, coloca a língua para fora da boca como quem se esforça. A criança trabalha duro para se juntar ao código dos adultos. Twombly se afasta disso, afrouxa, a sua mão parece levitar, como se pintasse com a ponta dos dedos, não por nojo ou tédio, mas por uma espécie de capricho”.
  • Agora, seu filho poderia fazer isto?

    Wassily Kandinsky
    Wassily Kandinsky

 Não pense em uma imagem, pense em uma coisa

  • Há certas perguntas que imediatamente vêm à mente quando olhamos para uma imagem, como “É uma imagem do quê?”. 
  • Quando você muda a forma de pensamento, você está livre para abrir sua mente para as muitas perguntas que poderia fazer. “O que é esta coisa? Do que isso é feito? Qual é a sua velocidade? Sua textura? É pacífico ou cacofônico, pesado ou leve, aberto ou fechado?”. Essas questões, ao contrário da primeira, não têm respostas definitivas, mas podem te ajudar a localizar um ponto de partida para navegar pelo mundo artístico diante de você.
  • Um lugar fácil para começar é pela cor. Grande parte da arte de Kandinsky, um dos primeiros artistas abstratos, foi uma tentativa de capturar e representar como ele experimentou o mundo. Ele disse que podia “ver” o som e “ouvir” a cor. Vivia com a sinestesia desde a infância. Ele alegou que misturar cores em sua paleta criou um som sibilante, com cada fazendo um barulho diferente.
  • Que cores você vê, ouve e sente? Talvez comece por aí.

Ou abandone as perguntas completamente

  • Foque em declarações afirmativas se fazer perguntas te parece muito como se estivesse numa prova.
  • Pode soar clichê pensar sobre como a pintura faz você se sentir, mas o sentimento não está na realidade muito distante. A artista abstrata Agnes Martin mesmo disse “A arte abstrata é a representação concreta dos nossos sentimentos mais sutis”.
  • James Elkins, ao examinar o livro de visitas da Capela Rothko, leu comentários desde “Isso me fez cair” para “O silêncio perfuma profundamente, para o coração. Mais uma vez estou emocionado, em lágrimas”.

Mesmo assim, não se preocupe em ficar emocional

  • Poucas coisas são mais frustrantes do que ver um colega de museu chorar incontrolavelmente na frente de uma obra de arte que você acha que é apenas ok.
  • Mas você não tem que amar ou gostar de cada peça. Não tenha medo de seguir em frente e encontrar uma obra que fale com você.
Joan Miró
Joan Miró

Leia o texto da parede

  • Aqui está a parte onde você consegue uma pista. Deixe os componentes verbais e visuais do trabalho saltar uns dos outros, e harmonizar.
  • Você pode não chegar mais perto da compreensão, você pode até acabar mais confuso. Mas é tudo parte do processo.
  • Além disso, você poderia acabar com uma peça sem título.

Mas alguns artistas nem sequer sabem, ou se importam, o que seu trabalho significa

  • Esta é a parte onde você respira fundo e aceita inteiramente o fato de que você está fora do reino das respostas e das explicações.
  • Mesmo os próprios artistas às vezes não se preocupam sobre por que eles estão fazendo o que estão fazendo.

No final toda arte é arte abstrata, deixe sua mente livre com suas epifanias

  • Toda arte é abstraída na realidade. Há um velho conto sobre um soldado americano dizendo a Picasso que suas obras não estão perto o suficiente da realidade. Ele tira uma foto de sua noiva e diz “É assim que uma imagem deve parecer”, e Picasso responde: “Sua namorada é bem pequena, não é?”.
  • Para citar Jerry Saltz: “A abstração é tão antiga quanto nós, ela existe há milênios fora do Ocidente, está presente nas paredes das cavernas, na arte grega egípcia e cipriota, nas eruditas chinesas, em toda a arte islâmica e judaica. A abstração é apenas nova no Ocidente”.
Cy Twombly
Cy Twombly

A arte não é simplesmente um processo de criação de objetos que são agradáveis aos olhos. Arte é sobre explorar. Grandes obras de arte são os marcos desta exploração – elas não são significativas porque eles são bonitas, elas são significativos porque em um momento no tempo elas introduziram algo de novo para o mundo.

É difícil deixar o desejo irritante de resolver o quebra-cabeça, analisar as imagens e descobrir o que tudo isso significa. Mas, em nossos corações, sabemos que a arte abstrata não é um enigma de palavras cruzadas de domingo de manhã, e não deve ser tratada como tal.

Embora esta lista possa não te ajudar a compreender a sua próxima viagem ao museu, pode pelo menos aliviar algumas das pressões para o caminho da sua compreensão.

Quais são suas dicas para abordar uma obra de arte abstrata? Deixe-nos saber nos comentários!

Mark Rothko
Mark Rothko

(Via QuoraArtsy, The Huffington Post, BBC)

Veja também:

Os 7 artistas brasileiros de arte abstrata que você precisa conhecer!

 

Equipe Editorial2194 Posts

Os artigos assinados pela equipe editorial representam um conjunto de colaboradores que vão desde os editores da revista até os assessores de imprensa que sugeriram as pautas.

0 Comments

Leave a Comment

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Lost Password