Como os futuristas usaram a arte para alimentar o fascismo

O que foi o futurismo e os artistas que fizeram parte do movimento

Pontos do manifesto de fundação futurista:

2. A coragem, a audácia, a rebelião, serão elementos essenciais da nossa poesia.
7. Não há beleza senão na luta. Nenhuma obra que não tenha um carácter agressivo pode ser considerada obra-prima. A poesia deve ser concebida como um violento assalto contra as forças ignotas, para reduzi-las a prostrar-se perante o homem.
9. Nós queremos glorificar a guerra, o militarismo, o patriotismo, o gesto destruidor dos libertários, as belas ideias por que se morre e o desprezo da mulher.

Futurismo x Fascismo

O manifesto do Partido futurista italiano centra-se nas coordenadas políticas do movimento futurista. Em primeiro lugar, há a educação patriótica do proletariado, a luta contra o analfabetismo, o ensino luta clássica, educação esportiva, obrigatório o ensino técnico em oficinas, a liberdade de greve, de reunião, organização, “abolição da polícia política, a justiça livre, a transformação da caridade na assistência e segurança social… Mais do que um programa do partido é o espelho do espírito vitalista e estética futurista avant-garde que em muitas maneiras alimentada pelo fascismo. Marinetti justamente citou ” o fascismo nasceu de intervencionismo e futurismo é alimentado princípios da futuristas “. Benedetto Croce repetiu  ” para aqueles que têm um sentido de conexões históricas, o ideal de origem do fascismo é encontrado no Futurismo “.

O futurismo com sua ideologia agressiva apoiava a guerra e o fascismo da Itália. O desenvolvimento da ideologia fascista depois da primeira guerra tivera sua origem em alguns aspectos distintos do futurismo, anterior a ela: como a preocupação revolucionária com a reestruturação da sociedade e em seu culto a guerra e sua adoração da máquina. Com tudo isso em comum, os aspectos futuristas poderiam ser facilmente empregados na retórica fascista, mas a guerra havia sido um desastre, destrutivo até mesmo para o futurismo.
A idéia de uma cultura da máquina passou a ser vista com ceticismo, mas já antes disso, reações contra o futurismo já haviam surgido, primeiro com a filosofia como ciência do espírito, que insistia no domínio exclusivamente formal da arte, e depois com a pintura o enigma da hora, uma imagem metafísica para prefigurar a nova tradição italiana. Influenciadas pelo novecento a vanguarda arquitetônica milanesa começou a reinterpretar formas clássicas do mediterrâneo como uma antítese consciente do culto futurista a máquina.
Consciente de que o futurismo não podia representar uma ideologia nacionalista, o poder fascista optou, em 1931 por um estilo clássico simplificado e facilmente reprodutível e pressupunha uma monumentabilidade totalmente distante da realidade social. E o enigma da hora foi quase realizado no Palazzo della Civiltá italiana.

Fontes: Futurismostoria XXI secolo.

Veja também: 

Top 10 artistas futuristas que você precisa conhecer!

 

Equipe Editorial2199 Posts

Os artigos assinados pela equipe editorial representam um conjunto de colaboradores que vão desde os editores da revista até os assessores de imprensa que sugeriram as pautas.

0 Comments

Leave a Comment

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Lost Password