“Pequenos Olhos” no Itaú Cultural

Cia dos Pés estreia “Pequenos Olhos” no Itaú Cultural; espetáculo trata das descobertas, limites e imaginação das crianças

Grupo oferece também a oficina “Vivência Riscomóbil”

Apresentações gratuitas serão nos dias 21 e 22 de Abril, às 16h

 

Em abril chega à cidade o mais novo espetáculo da Cia dos Pés, formada por Angélica Zignani e Kesler Jamal. Voltado à primeira infância (0 a 6 anos), Pequenos Olhos faz duas únicas apresentações no Itaú Cultural dias 21 e 22 de abril, gratuitas.

Na relação familiar entre adultos e crianças, o que é cuidado e o que aprisiona? Qual o limite entre proteção e prisão? Tocada pela maternidade no âmbito pessoal de sua vida, a artista Angélica Zignani procurou na arte a resposta de como proteger sem aprisionar.

As manifestações infantis de sua pequena filha somadas ao cenário proposto por Kesler Jamal, foram mote para o desenvolvimento do espetáculo Pequenos Olhos. Uma caixa grande, com alguns vãos, com entradas e saídas, para “fragmentar o corpo, dar foco às pequenas partes do ator em cena, porque queríamos centrar no olhar da criança para o mundo, seus limites para além do útero, da casa, do conhecido” explica Angélica Zignani, que ainda acrescenta: “a entrada do dramaturgo Marcelo Romagnoli no projeto foi determinante para a construção e finalização do texto”.

SINOPSE

Cia dos Pés em Pequenos Olhos. Foto Bruno Camargo

A curiosidade é o quintal desta história. O mundo de um dia sendo descoberto nos pequenos detalhes. Duas crianças transformam a rotina em aventura e sem se dar conta, percebem que crescer é sozinho, às vezes sem mãos para nos mostrar caminhos e sem braços para nos proteger.

PEQUENOS OLHOS

O mundo lá fora é maior do que nossa imaginação? Quem nós podemos ser fora de nossas paredes de proteção? O nascimento é uma abertura para o imenso. Conhecer é o que nos torna únicos. Os olhos precisam ver, as mãos tocar, as sensações chegarem e ocuparem o corpo, assim a nossa identidade pode se estabelecer. Pequenos Olhos busca o mundo lá fora como uma chave para a liberdade da existência. Aborda a criança que começa a se sentir indivíduo e com sua identidade busca o conhecimento que a define.

Neste espetáculo a perspectiva tem o enfoque na experimentação através do corpo e se comunica com todos os públicos, mas se destina a crianças a partir dos quatro anos. Essa criança que a partir deste momento já deixou completamente de ser um bebê para se transformar em um ser autônomo que é capaz de raciocinar sozinho.

Cia dos Pés em Pequenos Olhos. Foto Bruno Camargo

Dib Carneiro sobre Pequenos Olhos

UMA PÉROLA COM LINGUAGEM CÊNICA MISTA

Outra pérola do festival foi Pequenos Olhos, da Cia. dos Pés, com dramaturgia e direção de Angélica Zignani, que contou com um orientador para a criação da dramaturgia, o premiado Marcelo Romagnoli, da Banda Mirim, de São Paulo. O espetáculo é bastante sensorial, ou seja, estimula bastante as sensações e os sentidos das crianças da plateia, com muita cor, texturas, movimentos, gestual, coreografias, olhares, uma trilha cadenciada e rica em percussão, enfim, estímulos de todo tipo. Por isso, é ideal para a primeira infância (0 a 6 anos). Mas tem em si uma carga muito forte de poesia, o que acaba por atrair também o olhar atento dos adultos. Os temas são muito sérios e pertinentes, mas aparecem sugeridos por meio desses estímulos, sem pregações, sem ensinamentos, com puro requinte visual e a força das metáforas e simbologias: crueldade, amizade, medo, raiva, agressividade, posse, descobertas, solidariedade, solidão. “O mundo de um dia sendo descoberto nos pequenos detalhes”, como bem resumia a sinopse no programa do festival. Angélica, a criadora e diretora, fica em cena ao lado de Mariane Cerilo, e a química entre as duas funciona bastante. As duas conseguem ser meninas o tempo todo, graças à delicadeza corporal e à sensibilidade para reproduzir comportamentos infantis no palco sem cair em facilidades caricaturais. Sem enredo linear, sem uma fábula com começo, meio e fim, sem recursos tradicionais de narrativa, Pequenos Olhos causa um estranhamento saudável no público e, assim, consegue ser um digníssimo representante dos espetáculos de linguagem cênica mista: teatro, dança, mímica, música e, sobretudo, talento, muito talento. DIB CARNEIRO (crítico de teatro infanto-juveni)

Cia dos Pés em Pequenos Olhos. Foto Bruno Camargo

Ficha Técnica

dramaturgia e direção: ANGÉLICA ZIGNANI

orientação para a criação da dramaturgia: MARCELO ROMANGNOLI

cenografia: KESLER JAMAL CONTIERO

elenco: ANGÉLICA ZIGNANI E MARIANE CERILO

trilha sonora: Cia dos Pés | participação: FÁBIO CALDEIRA E JEFERSON SANTANIELLO

supervisão coreográfica: RIVA MARTINS

iluminação e técnico de luz: FUAD JAMMAL NETO

técnica de som: AMANDA NARAINE

figurino: AD Produções | supervisão ARTHUR RICCARDI

visagismo: MÁRCIO MERIGHI

fotografia: BRUNO CAMARGO

colaboração e agradecimento: DANIEL NEVES

 

Serviço

Pequenos Olhos

Dias 21 e 22 de abril de 2018, às 16h.

Local: Itaú Cultural – Sala Multiuso I

Av. Paulista, 149 – Jardim Paulista

Duração: 50 min/ Recomendação: livre

Grátis – Retirada de ingresso: 2h de antecedência para público preferencial | 1h de antecedência para público não preferencial

 

Paulo Varella1402 Posts

Estudou cinema na NTFS( UK), Administração de Empresas na FGV e Química na USP. Trabalhou com fotografia, cinema autoral e publicitário em Londres nos anos 90 e no Brasil desde então. Sua formação lhe conferiu entre muitas qualidades, uma expertise em estética da imagem, habilidade na administração de conteúdo e pessoas e conhecimento profundo sobre materiais. Por muito tempo Paulo participou do cenário da produção artística em Londres, Paris e Hamburgo de onde veio a inspiração para iniciar o Arteref no Brasil: Um local para unir pessoas com um mesmo interesse, a arte contemporânea. Faz o contato e organiza encontros com os curadores, artistas e colecionadores que representam o conteúdo do qual falamos no Arte Ref

0 Comments

Leave a Comment

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Lost Password