A Casa Batlló e os 30 fatos curiosos da sua construção em Barcelona

0
1187
Casa Batlló

Em pleno centro de Barcelona, o Passeig de Gràcia (Passeio de Grácia) conhecido antigamente como ilha da discórdia, encontra-se a Casa Batlló. Um edifício que representa ao máximo o modernismo catalão.

el mar

No ano de 1900 Josep Batlló, um rico empresário têxtil, casado com Amália Godó Belaunzarán, adquiriu o edifício e contratou o renomado arquiteto Antoni Gaudí, que a reformou completamente entre os anos de 1904 e 1906.

Por trás de sua fachada, repleta de interpretações e decorada com um mosaico de cerâmica onde o laranja dourado se encontra com o mais marinho dos azuis, a Casa Batlló esconde um mundo de fantasia.

A imaginação fértil e transbordante de Gaudi combinada com a excepcional liberdade criativa gera sua própria linguagem impressa em cada canto desta casa. O telhado do edifício é outro grande motivo de espanto fazendo lembrar o dorso de um grande réptil.

equipe de restauração

Gaudí se inspirou no mar, na lenda de São Jorge, na natureza e no carnaval para reformar a casa que ganha vida por meio do vídeo guia, um tablete de realidade aumentada que você recebe – gratuitamente – e nos mostra como eram os cômodos da casa e os elementos que inspiraram Gaudí.

Não se assuste caso uma tartaruga passe voando sobre sua cabeça ou se um cogumelo gigante se formar diante dos teus olhos.

A casa é repleta de sensações, fazendo fluir a energia pelas formas onduladas e pelas cores dos vitrais, pelo azul embriagante do azulejos ao toque frio da cerâmica reproduzindo o fundo do mar. Um teto em forma de redemoinho representando o olho do furacão te abduz a um universo paralelo. Gaudí é de se admirar e, também, de se  saber sentir.

sala principal

Além disso, há um corredor de arcos brancos e escadas em caracol que nos levam ao telhado da casa onde está o dragão de São Jorge imponente e esplendoroso.

Atualmente a Casa Batlló é propriedade da família Bernat que adquiriu o imóvel por 35milhões de euros em meados de 1993. Nina Bernat, proprietária e diretora do museu diz que: “a manutenção e o empenho de toda equipe faz parte do compromisso com o público ao gerenciar um Patrimônio Mundial.

Nina Bernat

Talvez o mais difícil, ao mesmo tempo, o mais lúcido e admirado foi a recuperação da fachada. Gaudí dera uma forma volumétrica à fachada original, aderindo a uma nova pele que começava a se desfazer com o tempo, como fragmentos de vidro e discos de cerâmicas que tinham rachaduras.

A recuperação e limpeza nos permitiram descobrir o magnífico policromo da fachada em toda sua magnitude. Isso nos dá grande satisfação porque a fachada exterior é a parte que caracteriza a Casa Batlló e a torna mais admirada”.

teto

O misticismo de Gaudí e sua preocupação com o bem estar das pessoas que usam, visitam e trabalham em sua obra se refletem claramente nessa casa.

Casa Bartló e seus 30 fatos curiosos

  • O edifício que hoje é a Casa Batlló foi construído em 1877 por Emilio Sala Cortés, encomendado por Lluís Sala Sánchez.
  • A casa foi comprada por Josep Batlló em 1900.
  • Em 1904, Josep Batlló contratou Antoni Gaudí para reformar sua casa e dividi-la em apartamentos. Gaudi acrescentou um quinto andar, renovou completamente o interior, abaixou o telhado e acrescentou uma nova fachada.
  • O edifício foi concluído e reformado em 1906.
  • Como tudo o que Gaudí projetou, só é identificável como Modernismo ou Art Nouveau no sentido mais amplo.
  • Casa Batlló é uma declaração de prazer. É um universo de simbolismo, uma tela de inspiração marinha, um mundo de sonhos, que evoca a natureza com seus elementos orgânicos e é sugestivo de fantasia.
  • Toda a fachada é revestida por um mosaico composto por pedaços de vidro e discos de cerâmica, dando uma superfície ondulada. O resultado final está aí para todos verem: uma obra-prima avassaladora, sugestiva e conhecida e admirada há mais de um século.
  • Típico de Gaudí, linhas retas são evitadas sempre que possível. O primeiro andar apresenta janelas ovais irregularmente esculpidas. As varandas dos andares inferiores têm pilares semelhantes a ossos, e os dos andares superiores parecem peças de caveiras. Esses recursos deram à casa o apelido de “Casa dos Ossos”. As janelas ampliadas do primeiro andar deram-lhe outro apelido, “Casa dos Bocejos”.
  • O andar nobre é a antiga residência da família Batlló. Cobrindo mais de 700 metros quadrados, é a habitação principal no edifício.
  • Do hall de entrada no térreo, um corrimão de ferro separa o acesso privado à residência da família Batlló. Uma grande escadaria de madeira leva de um corredor com tetos abobadados e clarabóias em forma de conchas de tartaruga. A lombada de algum animal enorme esculpida em madeira de lei fina se ergue como um corrimão.

  • No Andar nobre, há um área espaçosa com vista direta para o azulejo do prédio.
  • No lado do Passeig de Gracia está o escritório do Sr. Batlló, um festejador e um local isolado para namorados, decorado com uma lareira em forma de cogumelo.
  • A suíte principal tem 3 quartos interligados, é como uma vitrine para a Passeig de Gràcia, com enormes janelas que permitem a entrada da luz.

  • Gaudí criou grandes portas de carvalho com formas orgânicas nas quais são definidas vidraças de vidro colorido. Essas portas, bem como a separação dos três quartos, permitem que um único espaço cheio de luz seja criado.

  • O sotão é considerado um dos espaços mais incomuns. Anteriormente, era uma área de serviço para os inquilinos dos diferentes apartamentos do prédio, que continham lavanderias e áreas de armazenamento.
  • É caracterizada pela simplicidade de suas formas, sua influência mediterrânea através do uso da cor branca e sua luz que a tudo impregna.
  • Possui uma série de 60 arcos catenários, criando um espaço que evoca a caixa torácica de um animal – talvez o dragão que fica acima dele, no terraço.

  • As escadas em espiral que levam ao terraço, com seu minimalismo estrutural, também são muito marcantes.

  • O terraço é uma das características mais populares de toda a casa devido ao seu famoso design de costas de dragão.

  • O telhado escalado colorido lembra uma pele de réptil. Segundo algumas autoridades da arquitetura de Gaudí, o teto representa um dragão; a pequena torre com uma cruz simbolizaria a espada de São Jorge presa no dragão. Os ossos e crânios na fachada representam todas as vítimas do dragão

  • Além disso, o telhado é decorado com quatro chaminés – sinuosas, estilizadas e policromáticas, em um flerte interminável com os céus – que são habilmente projetadas para evitar atrasos (outro exemplo de funcionalidade!).

  • 330 discos de cerâmica, em uma miríade de cores diferentes, dão à fachada principal sua cor e brilho.
  • 600 telhas foram usadas para criar a aparência de escalas que cobrem o telhado.
  • Existem 5 tons diferentes de azulejos azuis usados no edifício, inspirados nas diferentes tonalidades do mar.
  • As portas de cada apartamento são rotuladas em um roteiro modernista especialmente projetado por Gaudí para a Casa Batlló.
  • As formas das maçanetas das portas, corrimões, clarabóias, etc., são todas projetadas ergonomicamente.
  • É uma obra de arte definitiva, com o artista criando para trabalhar em conjunto: design, espaço, cor, forma e luz.
  • No total, a casa tem uma superfície de mais de 5.000 metros quadrados (53.820 pés quadrados).
  • Em 2002, a Casa Batlló foi aberta ao público como espaço de museus e eventos culturais.
  • Em 2005, foi reconhecido como Patrimônio Mundial da UNESCO.

Visitas:

  • Aberto todos os dias do ano das 9h às 21h
  • Tickets Online € 29,50
  • *Casa Batlló está aberta a noite para eventos como jazz, DJ sessions e concertos.
  • Site: www.casabatllo.es
  • Instagram: casabatllo
  • Facebook: Casa Batlló – Gaudí Barcelona

 

 

 

Artigo anteriorAtravés do espelho
Próximo artigoConheça o trabalho de Hugo Curti na Emmathomas
Talita Campoi
Formada em Relações Públicas pela Faculdade Cásper Líbero, em 2010, e pós-graduada em Administração de Empresas pela Fundação Getúlio Vargas, Talita construiu sua carreira em multinacionais como: Unilever, BRF e Michael Page. Após a experiência no mundo corporativo Talita deu continuidade ao seu desenvolvimento profissional na PROS – agência de PR - atendendo grandes marcas: Leroy Merlin, Pepsico, Mondelez e Dow Química. Sempre inquieta e em busca de conhecimento e inovação Talita, atualmente, está aprimorando seus estudos em Barcelona como aluna da turma de mestrado em Gestão Cultural e Artes na UiC (Universidade Internacional da Catalunya).

Comente:

Please enter your comment!
Please enter your name here