“FACES BY THE SARTORIALIST” por Lucas Simões

0
3232

Afim de buscar um relacionamento entre arte, moda e cotidiano, Scott Schuman (fotógrafo reconhecido no ramo fashion) criou, em parceria com a empresa Luxottica, o projeto Faces by The Sartorialist. Tendo seu início em junho de 2014, a plataforma digital recebe imagens realizadas pelo fotógrafo e contribuição  de artistas convidados.

Desafiados a criar trabalhos que interpretem o uso do óculos, artistas de diferentes países estão participando com suas múltiplas visões poéticas. Do Brasil, o convidado foi Lucas Simões.

21

Lucas é representado pela galeria Emma Thomas e já esteve anteriormente em nosso blog (veja aqui: arteref.com.br/lucas-simoes). Seu trabalho para o projeto se utilizou de esferas e imagens que unidas criam uma composição de auto-retratos recentes e imagens relacionadas à sua memória.

Por conta da parceria e dos novos reflexos que esta causou em sua produção, realizei algumas perguntas para Lucas e o resultado segue abaixo:

ArteRef: Quais as distorções que você busca nos retratos?
Lucas Simões: Em algumas séries de trabalhos utilizo a sobreposição de desconstrução de imagens como ponto de partida; isto vem da vontade de criar um mistério ao invés de revelar a imagem completamente. E também, no caso dos retatos, da impossibilidade de revelar uma pessoa em uma imagem única.

AR: Como foi a experiência de parceria com a Luxottica e o que ela lhe trouxe de ganhos?
LS: Quando me convidaram para desenvolver o trabalho para a Luxottica o único pedido deles foi que o trabalho tivesse algo relacionado à lentes de grau; que é um elemento com o qual eu nunca havia trabalhado antes. Então, neste sentido, foi interessante pesquisar as possibilidades de um novo suporte.

32

AR: Qual a relação estabelecida entre sua produção e os trabalhos realizados nesta parceria?
LS: A minha pesquisa com intervenção em fotografia já vem de bastante tempo, então tive a vontade de continuar esta experiência, mas desta vez inserindo as lentes no contexto da fotografia, e acredito que esta junção fez com que um elemento potencializasse o outro no resultado final.

AR: A visão é o sentido que domina todos os outros. Ela é responsável por muito do processo racional e hoje somos reféns dela. O que um óculos representa neste processo de assimilação de imagens e o que o foco dado por ele traz de benéfico?
LS: No meu caso, usar óculos é uma necessidade para que eu possa resolver minha vida prática, sem eles tudo sai de foco e provavelmente minha experiência de vida seria outra coisa.

AR: Além dos autorretratos, neste trabalho há também a presença de registro de memórias. Qual o dialogo entre lembranças e visão?
LS: Nesta proposta parto do retrato como imagem criadora e mantenedora de memória, e das imagens que são suportes de todo sonho, de qualquer desejo. O que há por trás do indivíduo em um retrato? Um acumulado de outras imagens, menos óbvias, sensoriais, turvas ou cristalinas. A imagem estática que desperta sensações que se deslocam no tempo.
Trabalhei uma pilha de retratos e imagens de memória através de recortes, lentes e esferas de vidro que funcionam como aberturas temporais dentro de uma fotografia. Criando rasgos na superfície plana da fotografia, brechas que revelam imagens de memórias, ampliadas pela ótica das esferas transparentes sobrepostas nesta paisagem.

Lucas Simoes (2)

Para mais informações sobre a produção de Lucas Simões acesse lucassimoes.com.br/

E para conhecer os outros contribuidores, as fotografias de Scott Schuman e a marca Luxottica, clique facesbythesartorialist.com/

Artigo anteriorVisão artística da realidade social por JR
Próximo artigoSinfonia monótona e performances de Yves Klein
Estudou cinema na NTFS( UK), Administração de Empresas na FGV e Química na USP. Trabalhou com fotografia, cinema autoral e publicitário em Londres nos anos 90 e no Brasil desde então. Sua formação lhe conferiu entre muitas qualidades, uma expertise em estética da imagem, habilidade na administração de conteúdo e pessoas e conhecimento profundo sobre materiais. Por muito tempo Paulo participou do cenário da produção artística em Londres, Paris e Hamburgo de onde veio a inspiração para iniciar o Arteref no Brasil: Um local para unir pessoas com um mesmo interesse, a arte contemporânea. Faz o contato e organiza encontros com os curadores, artistas e colecionadores que representam o conteúdo do qual falamos no Arte Ref

Comente:

Please enter your comment!
Please enter your name here