As histórias da dança

0
1680
Elisabete Finger_portrait by Felipe Morozini
Elisabete Finger. foto: Felipe Morozini

O coreógrafo francês Alan Michard, em parceria com as brasileiras Elisabete Finger e Key Sawao, está na programação de dança do Sesc Consolação no mês de maio. Entre os dias 06 e 16, o público acompanha uma série de atividades voltadas ao universo da dança, fruto do trabalho de pesquisa de Michard. A programação, composta por um workshop, duas apresentações e uma instalação audiovisual é gratuita e aberta a todos os públicos.

EN DANSEUSE – Histórias de Danças, reúne um importante material de pesquisa que tem como centro o corpo do coreógrafo-bailarino. Além disso, a obra conta com a colaboração de artistas inseridos em diferentes contextos, gerações e trajetórias, compondo uma coleção de danças, movimentos, imagens e sons.

Emmanuelle_Huynh
Emmanuelle Huynh. foto: Alain Michard

En Danseuse nasce da ideia de que o corpo do coreógrafo é a fonte da sua obra, contendo em si uma verdadeira História da Dança. Essa história é vasta e particular, feita de danças vividas, mas também de tudo que foi visto ou imaginado, tudo que se inscreve no corpo como material coreográfico. É a partir do corpo do coreógrafo, de sua experiência íntima, que se encontra a origem da sua dança. Cada coreógrafo é também um bailarino, que coloca em movimento uma memória viva de si e do outro, é um historiador ativo, que carrega consigo uma história singular e subjetiva da dança”.

Alain Michard
Artigo anteriorO Pirotécnico Zacarias
Próximo artigo20 fatos sobre Jean-Michel Basquiat que você precisa saber
Avatar
Estudou cinema na NTFS (UK), Administração na FGV e Química na USP. Trabalhou com fotografia, cinema autoral e publicitário em Londres nos anos 90 e no Brasil nos anos seguintes. Sua formação lhe conferiu entre muitas qualidades, uma expertise em estética da imagem, habilidade na administração de conteúdo e pessoas e conhecimento profundo sobre materiais. Por muito tempo Paulo participou do cenário da produção artística em Londres, Paris e Hamburgo de onde veio a inspiração para iniciar o Arteref no Brasil. Paulo dirigiu 3 galerias de arte e hoje se dedica em ajudar artistas, galeristas e colecionadores a terem um aspecto mais profissional dentro do mercado de arte internacional.

Comente:

Please enter your comment!
Please enter your name here