A Reconciliação de Gretta Sarfaty

0
533

De volta ao Brasil, depois de décadas vivendo entre Nova York e Londres, Gretta Sarfaty apresenta a sua primeira individual no país. Reconciliação, organizada pela Galeria Pilar, com curadoria de Fabio Magalhães, reúne a produção recente da artista, enquanto um de seus trabalhos históricos pode ser visto na mostra MAM 70: MAM e MAC USP, em cartaz na cidade.

Egressa da vanguarda artística da década de 70, Gretta notabilizou-se internacionalmente por suas performances, instalações, vídeos, fotografias e pinturas relacionados à Body Art e ao feminismo. Segundo o curador, ainda que em Nova York (1987) Gretta tenha desenvolvido seus primeiros trabalhos com computador à procura de novos suportes e de novos meios de expressão, o corpo manteve-se como fio condutor de sua poética. “O corpo fecundou toda sua linguagem. Não se trata de tema recorrente, e sim de território onde pulsa vida sem repouso – energia em incessante movimento”, ressalta Magalhães.

Gretta Sarfaty, Transformações I 1977, Pintura a óleo sobre madeira, 81 x 111 cm

A série reunida na Galeria Pilar traz fotos, gravuras, vídeos e grandes trabalhos de complexa fatura. Estes últimos são compostos a partir de imagens (fotografias) retiradas de sua vida cotidiana, trabalhadas no computador e transportadas para tela com acréscimos de pintura, de grafismos e de colagens.

Se antes era o próprio corpo da artista matéria seminal de sua arte, nas telas de Reconciliação há uma mudança em sua linguagem. “Agora o corpo precisa do outro, já não se expressa sozinho. Afinal, o tema é reconciliação, coparticipação, compartilhamento”, diz o curador.

Segundo a artista, os trabalhos remetem a sua reinserção no convívio familiar depois de uma prolongada ausência. “Para representar esse delicado tecido de relações humanas, a artista desenvolveu uma abordagem aguçada e construiu uma narrativa serena, com a intensão de captar situações de intimidade, muitas delas transpassadas de tensão e de brandura.

Contudo, não são apenas as questões existenciais e interpessoais, que interessaram à artista.  Há o afeto! Expressão relevante e substantiva de sua poética atual”, completa Magalhães.

Muito jovem Gretta fez parte da XII Bienal de São Paulo e ganhou individual na emblemática Petite Galerie, no Rio de Janeiro, em 1974. Enquanto esteve nos Estados Unidos e Inglaterra, além de individuais, participou de inúmeras coletivas pelo exterior, entre as quais Bad Girls: Good girls go heaven. Bad girls go everywhere (2010), ao lado de nomes como Marina Abramovic, Yoko Ono e Annette Messager, no Palazzo Squarciafico, na Itália; e Exploring Spatial Enviroments by woman artists in the 1960s and 1970s (2016), na Fundação Calouste Gulbenkian, em Portugal.

No mesmo período, suas obras também fizeram parte de exposições no Brasil: Europa, França e Bahia, retrospectiva de 15 anos no MIS e Paço das Artes –SP (1988); Auto-Retrato do Brasil: Gretta Sarfaty, MASP –SP (1983): Arte Conceitual e Conceitualismos: anos 70, no MAC –USP (2000); Fotolivros Latino-americanos, no Instituto Moreira Salles (2013);
entre outras.

Gretta Sarfaty (Atenas/Grécia, naturalizada brasileira) hoje vive e trabalha entre São Paulo e Londres. Suas obras já percorreram importantes espaços, como: Musée d’Art Moderne de la Ville de ParisPalazzo dei Diamanti de Ferrara,  Galeria Diagramma Milano, New York University (NYU), Musée Cantonal des Beaux-Arts de Lausanne, Centre Georges Pompidou Paris, Le Bal Musée d’Art Paris, Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo (MAC/USP), Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM/SP), Museu de Arte de São Paulo (MASP) Museu Nacional de Belas Artes (MNBA), Pinacoteca do Estado de São Paulo, 13ª Bienal Internacional de São Paulo. Fundação Bienal, São Paulo, Brasil, Museum of Modern Art of New York (MoMa), Fundação Calouste Gulbenkian, The Art Institute of Chicago.

 

Exposição: Reconciliação – Gretta Safarty

Abertura: 06 de novembro, das 19h às 22h

Até 22 de dezembro de 2018

Visitação: Terça a Sexta das 11 às 19h.

Sábados, 11 às 17h.

Imagens: https://bit.ly/2xVbdsK

 

Galeria PILAR

Rua Barão de Tatuí, 389

01226 030 São Paulo SP BRASIL

+55 11 3661 7119

Artigo anteriorJornada de um Imbecil até o Entendimento no CCSP
Próximo artigoA África revisitada na Zipper
Avatar
Estudou cinema na NTFS( UK), Administração de Empresas na FGV e Química na USP. Trabalhou com fotografia, cinema autoral e publicitário em Londres nos anos 90 e no Brasil desde então. Sua formação lhe conferiu entre muitas qualidades, uma expertise em estética da imagem, habilidade na administração de conteúdo e pessoas e conhecimento profundo sobre materiais. Por muito tempo Paulo participou do cenário da produção artística em Londres, Paris e Hamburgo de onde veio a inspiração para iniciar o Arteref no Brasil: Um local para unir pessoas com um mesmo interesse, a arte contemporânea. Faz o contato e organiza encontros com os curadores, artistas e colecionadores que representam o conteúdo do qual falamos no Arte Ref

Comente:

Please enter your comment!
Please enter your name here