As Cartas a Alécio de Andrade no IMS/Rio

0
1153

APRESENTAÇÃO

“Uma arte vinculada com a mais fugitiva e perene das realidades poéticas, eis o dom sublime de Alécio de Andrade”.

Com essas palavras, Carlos Drummond de Andrade descreveu a primeira exposição do fotógrafo carioca. Nascido no Rio de Janeiro, Alécio de Andrade (1938-2003) desenvolveu grande parte de seu trabalho em Paris, cidade na qual viveu desde 1964 e contribuiu com veículos como a Manchete, além da conceituada agência Magnum.

Ao longo de sua trajetória, manteve um constante diálogo com intelectuais brasileiros, como o próprio Drummond. Esse exercício de troca constante que permeia sua produção é o tema da mostra Cartas de Almir de Andrade, Carlos Drummond de Andrade, Antonio Bulhões, Ismael Cardim, Roberto Alvim Corrêa, Marco Aurélio Matos, Elza Proença, Marques Rebelo, Otto Lara Resende, Fernando Sabino a Alécio de Andrade, que o IMS Rio apresenta entre os dias 20 de outubro de 2018 e 24 de março de 2019.

A exposição, que tem curadoria de Patrícia Newcomer, companheira do fotógrafo, mãe de seus filhos e fundadora de seu arquivo em Paris, e de Sergio Burgi, coordenador de fotografia do IMS, reúne cerca de 45 retratos realizados pelo fotógrafo durante toda a sua carreira, muitos dos quais inéditos.

São imagens de escritores, artistas e outras importantes figuras brasileiras, com quem Alécio conviveu no Brasil e, especialmente, em Paris. A seleção inclui retratos de Drummond, Sabino, Otto Lara Resende, Paulo Mendes Campos, Hélio Pellegrino, Vinicius de Moraes, Ferreira Gullar, Oscar Niemeyer, Glauber Rocha, Celso Furtado, Mario Pedrosa e Lygia Clark, entre outros. A maior parte das obras data das décadas de 1970 e 1980.

Muitas dessas personalidades retratadas se corresponderam, por anos, com o fotógrafo. A mostra apresenta um conjunto de cartas originais destinadas ao carioca, escritas por Drummond, Antonio Bulhões, Marques Rebelo, Otto Lara Resende, entre outros. Esses textos também estarão presentes na publicação Cartas de Almir de Andrade, Carlos Drummond de Andrade, Antonio Bulhões, Ismael Cardim, Roberto Alvim Corrêa, Marco Aurélio Matos, Elza Proença, Marques Rebelo, Otto Lara Resende, Fernando Sabino a Alécio de Andrade, que o IMS lança por ocasião da mostra. O livro é organizado e editado por Patrícia Newcomer.

A relação entre texto e imagem proposta pela curadoria busca aproximar o público do universo afetivo e criativo do fotógrafo, além de evidenciar as relações entre a França e o Brasil no período, quando muitos intelectuais e artistas deixaram ou se afastaram do país durante a ditadura militar.

Em 2008 o IMS adquiriu 265 fotografias de Alécio de Andrade, às quais juntaram-se uma série especial de 88 imagens do Louvre para a exposição O Louvre e seus visitantes e também para o livro homônimo, lançado em 2009 pelo IMS e pela editora francesa Le Passage.

Cartas a Alécio de Andrade

O que dizem as imagens frente às palavras? O que vemos nos textos que as imagens não revelam?  Alécio de Andrade transitou da poesia e da música para a fotografia ainda muito jovem. Aos 26 anos realizou sua primeira exposição, Itinerário da Infância, na Petite Galerie no Rio de Janeiro, com textos de apresentação de Marques Rebelo e Roberto Alvim Corrêa.

Sobre as fotografias desta exposição, Drummond escreveu: “Uma arte vinculada com a mais fugitiva e perene das realidades poéticas, eis o dom sublime de Alécio de Andrade”. Esta mostra sobre o universo das crianças, que levou Alécio para o mundo, sendo exposta em diversas cidades da Europa, começando em Portugal, definiria muito de sua própria linguagem fotográfica já a partir daquele momento, um trabalho, portanto, fundamental para a compreensão de sua trajetória de vida inteira como fotógrafo.

Outro projeto de Alécio, o de retratar o círculo de intelectuais, escritores, familiares e amigos com quem conviveu no Rio de Janeiro nestes anos de juventude, já se encontrava bastante amadurecido antes de sua partida para Paris em 1964, com uma bolsa de estudos em cinema para o Institut des Hautes Études Cinématographiques  (IDHEC). Sua relação com esta geração de intelectuais brasileiros estruturou-se em grande parte no ambiente familiar, em torno das amizades e relações do pai, o escritor Almir de Andrade, mas em especial também no apreço pela literatura e pela vida intelectual nos seus anos de estudante e jovem artista.

Marques Rebelo e sua mulher, Elza Proença. Paris, 1965 © Alécio de Andrade

Este projeto em torno do retrato fotográfico compõe, portanto, vertente essencial da fotografia de Alécio de Andrade.

Já bastante estruturado em imagens que realizou ainda no Brasil, esta busca pelo retrato sensível e revelador de si e do outro desenvolveu-se continuadamente, em especial em suas interações com escritores, intelectuais, artistas e amigos que estiveram com ele em Paris, a cidade em que escolheu permanecer e viver, de 1964 até o seu falecimento em 2003.

Esta sua precoce relação com a literatura, com a poesia e com o pensamento vivo de intelectuais com quem conviveu e manteve prolongada correspondência esclarece também a permanente relação com a escrita que Alécio de Andrade construiu ao longo de sua trajetória como fotógrafo e artista, sempre aproximando o seu processo criativo em imagens com o texto de importantes escritores, como nos livros que publicou em vida, com participações essenciais de Carlos Drummond de Andrade, Julio Cortazar e Françoise Dolto.

A exposição Cartas de Almir de Andrade, Carlos Drummond de Andrade, Antonio Bulhões, Ismael Cardim, Roberto Alvim Corrêa, Marco Aurélio Matos, Elza Proença, Marques Rebelo, Otto Lara Resende, Fernando Sabino a Alécio de Andrade, apresentada no IMS Rio entre 20 de outubro de 2018 e 24 de março de 2019, reúne imagens, muitas delas inéditas, que pertencem a este projeto fundador e de vida inteira de Alécio de Andrade em torno do retrato fotográfico, em particular do retrato de pessoas e personalidades brasileiras com quem partilhou momentos de intensa e íntima convivência, apresentadas em diálogo com as correspondências que manteve com muitos dos retratados, reunidas no livro homônimo Cartas de Almir de Andrade, Carlos Drummond de Andrade, Antonio Bulhões, Ismael Cardim, Roberto Alvim Corrêa, Marco Aurélio Matos, Elza Proença, Marques Rebelo, Otto Lara Resende, Fernando Sabino a Alécio de Andrade, organizado e editado por Patrícia Newcomer. Imagens e textos que transitam incessantemente de um lado a outro do oceano, forjando e realimentando relações afetivas e intelectuais em torno de um país em permanente construção e desconstrução.

VISITAÇÃO

Entrada gratuita

20 de outubro de 2018 a 24 de março de 2019

Terças a domingos e feriados (exceto segundas), das 11h às 20h.

IMS Rio
Rua Marquês de São Vicente, 476
Gávea – Rio de Janeiro/RJ

Comente:

Please enter your comment!
Please enter your name here