O erro, a rua no Ateliê da Imagem

0
232

O Ateliê da Imagem a partir de sábado, dia 30/6, torna-se lugar de uma performance de arte impressa que, com a participação ativa do público, vai tentar responder visualmente a essas questões criando uma publicação fotográfica coletiva.  O público que comparecer ao espaço ao longo do dia vai experimentar uma imersão na prática editorial, podendo participar de todas as etapas de criação de uma publicação fotográfica, desde a seleção de imagens até a impressão do resultado final.

 

Cada participante está convidado a investigar sua própria biblioteca e trazer 2 a 3 livros em torno do tema: “o erro, a rua”. A performance baseia-se na apropriação e recombinação de imagens desses livros, buscando aproximações e contrastes, tecendo relações entre o pensamento e as estéticas dos próprios livros e entre os afetos de todos nós, seus leitores, então convertidos em autores.

 

Ao final da ação o(s) livro(s) criados, bem como lâminas não utilizadas e a documentação da performance serão instalados a partir do dia 5 de julho, a exposição O erro, a rua na Galeria do Ateliê da Imagem, que ficará aberto ao público até o dia 18 de agosto.

Público Alvo

Pessoas interessadas em publicações e processos criativos; em ações que refletem sobre a relação entre imagem, história e memória; em design, arte e fotografia contemporâneos.

Qual a relação entre “erro” e “rua”?  O que significa “errar” em um presente que carece de projetos de futuro compartilhados? Como o cálculo político, os acidentes de percurso e as obras do acaso determinam a formação e transformação dos espaços públicos? Que cidade queremos?

Artistas

Walter Costa (Itália) é editor independente e fotógrafo com base em São Paulo. Trabalha com autores brasileiros e internacionais no desenvolvimento de seus projetos de fotolivro. Pesquisador e professor na área da edição e do visual storytelling, estuda os hibridismos narrativos entre fotografia e outras linguagens. A partir desta pesquisa criou o projeto The Rising Card, um baralho de cartas com dicas e exercícios para ajudar autores e editores editar seus projetos. É fundador do grupo de discussão sobre fotolivros TRAMA, que desde 2014 organiza eventos e workshops pelo continente. É coordenador do grupo de estudos LOMBADA-Laboratório de Fotolivros em São Paulo. Dá cursos e conferências em diferentes instituições e eventos na América Latina e na Europa, participando também como jurado em vários prêmios de fotolivros.

Rony Maltz é professor e artista visual, Mestre em Fotografia pelo ICP-Bard College (NY) e graduado em Comunicação Social pela UFRJ. Em 2017, seu livro Riocities foi selecionado no Fotobookfestival Kassel Dummy Awards, na Alemanha, e no 10×10 AWAKE, dos EUA, e exibido em festivais em Istanbul, Moscou, Roma, Madrid, Dublin e Nova York, entre outros. Sua instalação fotográfica Procissão integrou o projeto QUE LEGADO, indicado ao Prêmio Shell de Teatro na categoria inovação. Criou o projeto multimídia Borges: Obras Completase a vídeo-instalação Readers/Reading. Seu trabalho foi exibido no DUMBO Arts Festival, International Center of Photography e MoMA P.S.1, em Nova York; e no Centro Cultural Sérgio Porto, Centro Cultural dos Correios e Centro Cultural Justiça Federal, no Rio de Janeiro. Produtor da Feira URCA de Fotolivros e curador da exposição Livros Possíveis, no Ateliê da Imagem (RJ). Fundou a {Lp} press, selo especializado na produção de livros de fotografia em edições limitadas.

 

Ateliê da Imagem Espaço Cultural

Apresenta O erro, a rua

Performance e Exposição

Data de abertura de uma performance de arte impressa, dia  30/06/2018

De 9h às 17h

Exposição O erro, a rua – a partir do dia 5 de julho

Rony Maltz e Walter Costa

Entrada Franca

Artigo anteriorO que esperar do 10º encontro paulista de museus?
Próximo artigoO Estudo para Paisagens em Movimento de Julia Tranchesi
Estudou cinema na NTFS( UK), Administração de Empresas na FGV e Química na USP. Trabalhou com fotografia, cinema autoral e publicitário em Londres nos anos 90 e no Brasil desde então. Sua formação lhe conferiu entre muitas qualidades, uma expertise em estética da imagem, habilidade na administração de conteúdo e pessoas e conhecimento profundo sobre materiais. Por muito tempo Paulo participou do cenário da produção artística em Londres, Paris e Hamburgo de onde veio a inspiração para iniciar o Arteref no Brasil: Um local para unir pessoas com um mesmo interesse, a arte contemporânea. Faz o contato e organiza encontros com os curadores, artistas e colecionadores que representam o conteúdo do qual falamos no Arte Ref

Comente:

Please enter your comment!
Please enter your name here