Galerias e Eventos

Museu da Língua Portuguesa promove encontros e batalhas de poesia falada na 17ª edição da FLIP

Flip Slam vai reunir poetas de seis países, dentro da programação principal

Por Paula - julho 11, 2019
1686 0
Pinterest LinkedIn

O Museu da Língua Portuguesa, instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado, promove o primeiro slam internacional da Festa Literária Internacional de Paraty – Flip, no próximo dia 12 de julho.

A batalha de poesia falada Flip Slam, parte da programação principal da Flip, vai reunir poetas de seis países e integra uma série de ações gratuitas que trazem o slam para o centro da programação da 17ª edição da Festa Literária.

Flyer-FLIP

Também promovido pelo Museu, no dia 13 o Slam da Língua Portuguesa terá apresentações de artistas brasileiros e microfone aberto para participação do público. Na programação principal, a instituição apresenta, ainda, mesa literária com a participação do músico e escritor angolano Kalaf Epalanga. A Flip será realizada entre os dias 10 e 14 de julho em Paraty.

As ações do Museu consolidam uma trajetória de dois anos de colaboração com a Flip, em sinergia com seu conteúdo, que está em reconstrução em São Paulo e incorpora a oralidade e as novas linguagens, como o slam. Em 2017 e 2018, a instituição promoveu exposições, mesas e apresentações artísticas que fizeram parte da programação paralela à Flip, com o objetivo de celebrar o idioma, contribuir para a integração cultural entre países de língua portuguesa e manter a comunicação com o público durante a recuperação de sua sede, atingida por um incêndio em dezembro de 2015.

FLIP

“As ações levadas à Flip, maior festival de literatura realizado no Brasil, mantêm o Museu da Língua Portuguesa vivo e aproximam artistas e público do valioso conteúdo da instituição, que reabre suas portas no início do ano que vem”, destaca o Secretário de Cultura e Economia Criativa Sérgio Sá Leitão.

A participação do Museu da Língua Portuguesa na 17ª Festa Literária Internacional de Paraty – Flip é iniciativa da Fundação Roberto Marinho e do Governo do Estado de São Paulo e Secretaria de Cultura e Economia Criativa, com patrocínio da EDP, Grupo Globo e Itaú Cultural.

Poetas de Cabo Verde, Portugal, EUA, Inglaterra, Espanha e Brasil

Com curadoria de Roberta Estrela D’Alva, uma das pioneiras do movimento slam no Brasil e uma das consultoras de conteúdo do Museu da Língua Portuguesa, o Flip Slam será realizado no Auditório da Praça e recebe os poetas e performers Pieta Poeta (Brasil), Edyoung Lennon (Cabo Verde), Raquel Lima (Portugal), Porsha Olayiwola (EUA), Joelle Taylor (Inglaterra) e Salva Soler (Espanha).

Edyoung Lennon
Edyoung Lennon

Já o Slam da Língua Portuguesa, que será promovido pelo Museu na Casa Globo (Casa da Cultura de Paraty), receberá poetas da cena do slam e os participantes do slam internacional falantes de Língua Portuguesa para abrir a batalha de poesia falada, que contará com jovens da região de Paraty e inscrições no local para participação do público. A apresentação é de Emerson Alcalde, do Slam da Guilhermina (SP).

Mesa literária com autor angolano

Em mesa apresentada pelo Museu da Língua Portuguesa, no dia 11, o músico e escritor angolano Kalaf Epalanga – líder do Buraka Som Sistema, agitador cultural e autor que vive hoje entre Lisboa e Berlim – conversa com o rapper e romancista Gaël Faye, natural do Burundi e criado na França. A mediação é de Marina Person. Com romances de estreia de inspiração autobiográfica, os dois autores tocam em questões como guerra, imigração africana para a Europa, a violência e a afetividade deixadas para trás, além da descoberta da arte como forma de traduzir e reconfigurar tais experiências.

“As iniciativas do Museu da Língua Portuguesa na Flip inovam ao trazer o slam e a linguagem urbana para uma festa literária, em comunicação com o conteúdo do Museu, que se abre para a língua portuguesa em seus vários recortes socioculturais, regionais, territoriais e aos sotaques dos vários países de língua portuguesa. O Museu reconhece nessa língua viva o seu objeto e sua razão de existir”, diz Lucia Basto, gerente geral de Patrimônio e Cultura da Fundação Roberto Marinho.

“Como principal patrocinadora da reconstrução do Museu da Língua Portuguesa e maior investidora portuguesa no Brasil, a EDP se orgulha de apoiar a missão de preservar e promover o idioma que entrelaça a história e a cultura de Portugal, Brasil e outros sete países. Neste ano, a programação do Museu na Flip evidencia a vitalidade da nossa língua, um patrimônio constantemente construído e reconstruído, tal como o próprio Museu da Língua Portuguesa, que se aproxima da sua reinauguração, em 2020”, afirma Miguel Setas, presidente da EDP no Brasil.

Show de Adriana Calcanhotto e exposição A Energia da Língua Portuguesa

A EDP, multinacional do setor elétrico e principal patrocinadora da reconstrução do Museu da Língua Portuguesa, traz à Flip sua exposição interativa “A Energia da Língua Portuguesa”. Além de aprender sobre expressões típicas do idioma e peculiaridades da língua nos países onde é falada, os visitantes poderão ganhar prêmios em gincanas, tatuar trechos de poemas com henna e decorar painéis com carimbos. A programação inclui shows que misturam música e literatura, com Adriana Calcanhotto (quinta-feira, 11/7, 22h30); o português Dino d’Santiago (sexta-feira, 12/7, 23h59); e o rapper Vinicius Terra (sábado, 13/7, 14h15). Toda essa programação ficará na Praça Aberta, ao pé da ponte do centro de Paraty.

Adriana Calcanhoto
Adriana Calcanhoto

Na programação oficial da Flip, a escritora e artista plástica Grada Kilomba é a convidada da Mesa EDP (sexta-feira, 12/7, às 19h, no Auditório da Matriz). Nascida em Portugal e criada em São Tomé e Príncipe (uma das ex-colônias portuguesas na África), Kilomba versa em sua obra sobre racismo, gênero e pós-colonialismo. A autora, que usa elementos como leitura e performance cênica, lançará o livro Memórias da Plantação: Episódios do Racismo Cotidiano.

Museu em reconstrução

A reinauguração do Museu da Língua Portuguesa, na Estação da Luz, em São Paulo, está prevista para o primeiro semestre de 2020. Atualmente, está sendo realizada a reconstrução dos espaços internos. Foram concluídas as primeiras duas etapas da obra de recuperação do edifício: restauração das fachadas e esquadrias e reconstrução da cobertura do edifício. Durante a reconstrução, a Língua Portuguesa continua sendo celebrada como patrimônio imaterial e tema do Museu, por meio de atividades culturais e educativas, como as realizadas em 2017 e 2018 no Dia Internacional da Língua Portuguesa, na Estação da Luz; na Flip; nas bienais do livro do RJ e SP; e na Festa Literária das Periferias (Flup).

A reconstrução do Museu da Língua Portuguesa é uma iniciativa do Governo do Estado de São Paulo em parceria com a Fundação Roberto Marinho e tem como patrocinador máster a EDP, como patrocinadores Grupo Globo, Grupo Itaú, Sabesp e apoio da Fundação Calouste Gulbenkian e do Governo Federal por meio da lei federal de incentivo à cultura. O IDBrasil é a organização social responsável pela gestão do museu.

Programação do Museu da Língua Portuguesa na Flip:

Mesa literária

Com Kalaf Epalanga, Gaël Faye. Mediação: Marina Person

  • Dia 11/7, das 20h30 às 21h45, Auditório da Matriz

Flip Slam

Batalha de poesia falada com os poetas e performers Pieta Poeta (Brasil), Edyoung Lennon (Cabo Verde), Raquel Lima (Portugal), Porsha Olayiwola (EUA), Joelle Taylor (Inglaterra) e Salva Soler (Espanha). Mais informações sobre os autores aqui: https://www.flip.org.br/autores-2019/

  • Dia 12/7, às 22h, no Auditório da Praça
  • Grátis

Slam da Língua Portuguesa

Apresentação de ‘slammers’ brasileiros e dos participantes de língua portuguesa do Flip Slam (Cabo Verde, Brasil e Portugal), abrindo a batalha de poesia falada aberta ao público, que contará com jovens da região de Paraty.

  • Dia 13/7, das 18h às 20h30, na Casa Globo (Casa da Cultura de Paraty)
  • R. Dona Geralda, 194 – Centro Histórico
  • Grátis

Flip 2019

A 17ª Flip, que acontece de 10 a 14 de julho, tem curadoria de Fernanda Diamant e Euclides da Cunha como Autor Homenageado.

Quem faz a Flip

A Flip tem o patrocínio do Ministério da Cidadania, através de sua Secretaria Especial de Cultura, a partir do Edital de Feiras Literárias, e por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura, além de Patrocínio Oficial do Itaú e Copatrocínio da EDP e da CMPC. A edição 2019 continua em fase de captação de recursos.

Não foi possível salvar sua inscrição. Por favor, tente novamente.
Sua inscrição foi bem sucedida.

Você quer receber informações sobre cultura, eventos e mercado de arte?

Selecione abaixo o perfil que você mais se identifica.

Inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Veja todos os comentários