A natureza no exercício do olhar

0
628

Descobrir as facetas das paisagens naturais com um olhar primoroso é uma das características do trabalho de Valdeci Ribeiro, um fotógrafo envolto nas nuances da luz em momentos únicos que afloram com sensibilidade em locais inimagináveis do Piauí.

A mostra “Piauí – Sertão Rio Mar” aberta recentemente na Galeria Rabieh reúne imagens impactantes, resultado de 36 jornadas fotográficas enfocando parques nacionais e praias paradisíacas do estado nordestino pouco difundido pelas suas belezas naturais. Anteriormente, mais precisamente há dois anos, a Verve Galeria realizava a primeira mostra individual de Valdeci, com o sugestivo título “Lembranças de um tempo que não acaba” inspirado em trecho do poema “A Rua” de Torquato Neto.

Paralelamente à mostra atual na Rabieh, foi lançado o livro “Piauí” impresso pela Ipsis Gráfica, que registra as imagens captadas pelo fotógrafo piauiense que nasceu numa vila chamada Passagem do Meio. Há cinco anos, Valdeci Ribeiro decidiu fotografar as belezas do Piauí, um estado dos mais pobres do país, situado em pleno sertão com todas as suas características climáticas, que o sertanejo consegue superar. Paisagens contrastantes com seus preciosos e inúmeros sítios arqueológicos, registro da passagem do homem no percorrer de milênios, abrangendo o Parque Nacional da Capivara, Parque Nacional da Serra das Confusões, Parque Nacional de Sete Cidades, Delta do Rio Parnaíba e o Cânion do Rio Poti.

 

Inveterado pesquisador, o fotógrafo há oito anos estuda as sutilezas das técnicas como as inúmeras possibilidades da exploração da luz, atingindo a natureza na sua exuberância e caminhando para a abstração.

No Parque Nacional Serra da Capivara, Patrimônio Mundial da Unesco, os enfoques são notáveis com as incríveis formações rochosas com grutas e cavernas além é claro do maior conjunto de pinturas rupestres do mundo, abrindo novas perspectivas interpretativas do passado pré-histórico.

Outro grande destaque é o Cânion do Rio Poti que passa por uma fenda localizada na Serra de Ibiapaba, entre os estados do Piauí e do Ceará, se estendendo por 180 quilômetros. Os paredões com até 60 metros de altura criam um cenário deslumbrante, resultado de um processo de erosão ocasionado pela água, pelo vento e pelas inesperadas reações do clima promovendo um conjunto de rochas, verdadeiras esculturas, monumentais obras de arte captadas pelas lentes de Valdeci.

Tanto no livro como nas fotos expostas percebe-se que o Delta do rio Parnaíba é um local mágico, antes de encontrar o mar, o Parnaíba se expande em cinco braços proporcionando a formação de ramificações que formam um arquipélago com mais de 80 ilhas, com igarapés, dunas, lagoas, manguezais, uma floresta tropical inigualável, impressionante e apaixonante, uma incursão envolvente.

No Parque Nacional da Serra das Confusões que é a maior reserva de caatinga do Brasil sendo também o maior parque do nordeste, Valdir se concentrou nos aspectos magistrais da Gruta do Riacho dos Bois com áreas abertas e várias entradas de luz no teto. As paredes da caverna são formadas por texturas variadas e relevos compondo uma atmosfera atraente com conotação artística bem pungente.

Finalmente, as imagens do Parque Nacional de Sete Cidades se destacam pelas formações rochosas em arenito, sete conjuntos, denominados cidades que em suas paredes e cavernas guarda inúmeras inscrições rupestres refletindo linguagens artísticas vanguardistas, signos de outros tempos a definirem a universalidade do espírito humano.

O livro resgata toda a magnitude da natureza do Piauí, com um olhar preciso e um sensibilidade ímpar, uma incursão repleta de emoção desvendando a magia do tempo e da luz.

 

Artigo anteriorPresente! Feito da gente
Próximo artigoTripas no Sesc Ipiranga
José Henrique Fabre Rolim
Jornalista, curador, pesquisador, artista plástico e crítico de arte, formado em Ciências Jurídicas e Sociais pela Unisantos (Universidade Católica de Santos), atuou por 15 anos no jornal A Tribuna de Santos na área das visuais, atualmente é presidente da APCA (Associação Paulista de Críticos de Artes), colunista do DCI com matérias publicadas em diversos catálogos de arte e publicações como Módulo, Arte Vetrina (Turim-Itália), Arte em São Paulo, Cadernos de Crítica, Nuevas de España, Revista da APCA e Dasartes.

Comente:

Please enter your comment!
Please enter your name here