O Leite Derramado no SESC Ipiranga

0
475

Performance rememora amas de leite e discute servidão negra no Sesc Ipiranga

Costurando a pele de seus próprios seios, performer busca relações entre o Brasil colonial e mazelas atuais

leite

Crédito: Monica Cardim

No dia 26/5, o Sesc Ipiranga recebe a performance “Leite Derramado”, como parte do ciclo Negritudes do projeto Fricções. Rememorando a identidade das amas de leite, chamadas de mães pretas ou mucamas, a encenação traz à tona a história invisibilizada dessas mulheres negras, buscando reflexões com a atualidade. Com criação e atuação de Ana Musidora, a intervenção acontece às 18h30, no Auditório da Unidade.

A performance – Pele, leite e sangue

Quase como em uma instalação, a performer se posiciona sentada trajando um longo vestido branco, em certo momento, com os seios à mostra, linha e agulha perfuram sua pele em movimentos de costura. O ato doloroso simboliza a união dos cernes da performance: pele e leite. A pele como representação dos vínculos inter-raciais e de gênero que pautaram as relações humanas no Brasil colonial, o leite como memória ao afeto que aprisionou o corpo das mulheres negras. A apresentação cria pontes entre a existência dessas personagens na sociedade desde a escravidão e como esses papéis coexistem no espaço social atual.

Debatendo os aspectos raciais existentes no “amor” pela imagem da mãe preta, “Leite Derramado” dialoga com a objetificação do corpo negro feminino, sempre a disposição da exploração e violência compulsória do sistema escravocrata.

A criadora

Ana Musidora é artista-educadora. Bacharelada em Comunicação das Artes do Corpo com habilitação em dança pela PUC-SP, pesquisa memória do corpo e estética do estereótipo, investigando o hibridismo entre as linguagens da dança e performance. Co-fundadora da Nave Gris Cia Cênica, atualmente desenvolve solos de dança junto ao Centro de Referência da Dança da Cidade de São Paulo.

O projeto

Em seu segundo ciclo, o projeto Fricções traz o recorte “Negritudes”. Buscando friccionar diversas linguagens artísticas, temáticas centrais como “Resistências e Existências em Rede” e “Diversidade e Direitos Humanos”, permeiam atrações que falam sobre ancestralidade, candomblé, espaço das pessoalidades negras e racismo. Bate-papos, teatro, rodas de dança e intervenções consolidam as atuações de negros e negras de São Paulo, Rio de Janeiro Bahia, Amapá e Minas Gerais.

Serviço

Leite Derramado – Fricções

Quando: 26/5, às 18h30

Onde: Auditório

Quanto: Grátis

Retirada de ingressos com 1h de antecedência na Bilheteria da Unidade.

Sesc Ipiranga – Rua Bom Pastor, 822

Assessoria de Imprensa do Sesc Ipiranga

(11) 3340-2035

imprensa@ipiranga.sescsp.org.br

sescsp.org.br/ipiranga

facebook.com/sescIpiranga

@sescipiranga

Artigo anteriorA História do olho
Próximo artigoO Lápidus na Lurixs/RJ
Estudou cinema na NTFS( UK), Administração de Empresas na FGV e Química na USP. Trabalhou com fotografia, cinema autoral e publicitário em Londres nos anos 90 e no Brasil desde então. Sua formação lhe conferiu entre muitas qualidades, uma expertise em estética da imagem, habilidade na administração de conteúdo e pessoas e conhecimento profundo sobre materiais. Por muito tempo Paulo participou do cenário da produção artística em Londres, Paris e Hamburgo de onde veio a inspiração para iniciar o Arteref no Brasil: Um local para unir pessoas com um mesmo interesse, a arte contemporânea. Faz o contato e organiza encontros com os curadores, artistas e colecionadores que representam o conteúdo do qual falamos no Arte Ref

Comente:

Please enter your comment!
Please enter your name here