Presente! Feito da gente

0
209

A Balangandança Cia. apresenta o espetáculo Presente! feito da gente em nova temporada no Sesc Consolação de 16 de junho a 14 de julho, com sessões aos sábados, às 11h. O elenco-criador do espetáculo é formado por Alexandre Medeiros, Alan Scherk, Clara Gouvêa, Ciro Godoy e Isabel Monteiro.

Com direção de Georgia Lengos, Presente! feito da gente é uma aventura de movimentos-danças criada a partir de um processo de pesquisa sobre a relação entre a natureza, o corpo e o imaginário das crianças. O espetáculo abre espaço para a imaginação de forma lúdica, delicada e sensível, ao se relacionar,  brincando  de diferentes formas  com materiais naturais coletados pelo grupo, como areia, sementes, folhas secas e galhos de árvores.

“Os materiais são usados como uma metáfora do que o ser humano é feito. Somos também natureza,  feitos das mesmas substâncias que existem na pedra, na água do mar e na areia. Queremos mostrar que os corpos também são e fazem parte da natureza e, assim como ela, precisam ser cuidados/preservados. No espaço urbano e por causa dos brinquedos já prontos,  com brincadeiras mais propostas do que inventadas e as mídias eletrônicas presentes, as crianças estão se distanciando do contato com a natureza  e desse universo do imaginário que ela nos remete, que é algo inerente ao ser humano”, explica a diretora.

A partir de técnicas de improvisação e da brincadeira, os bailarinos criadores interagem de várias formas com esses objetos de acordo com a disposição que eles aparecem em cena a cada apresentação. Junto com a iluminação e a trilha sonora, que evocam elementos de paisagens naturais, eles estimulam a plateia a inventar mundos. Na preparação corporal a companhia conta com técnicas de Educação Somática, que fazem parte de seu treinamento, ampliando a percepção do corpo e novas possibilidades de movimento.

“A sonoplastia cria uma ambiência a partir dos sons da natureza, como do mar e do vento. Por exemplo, temos algumas composições com instrumentos de percussão para fazer uma referência às pedras, e usamos a rabeca em alusão ao ato de riscar/desenhar a areia, um tema que surgiu bem forte nas nossas pesquisas”, comenta a Georgia.

Para instigar essas reflexões, o processo criativo contou com as provocações dos artistas Gandhy Piorski (artista, educador e pensador da infância) e Dafne Michellepis (bailarina e educadora).

 

Trajetória e pesquisa

O espetáculo é resultado do projeto Presente! Vaivém do Tempo, que foi contemplado na 21ª edição do Programa de Fomento à Dança para a cidade de São Paulo. Com início em dezembro de 2016, a iniciativa resultou na criação do espetáculo Presente! feito da gente (estreou em maio no Teatro Cacilda Becker) e na realização da JAM 20! Dança na Roda (no Sesc Pompeia), além de outras atividades, como apresentação de repertório, remontagens, realização do Forinho e continuidade da pesquisa de linguagem com e para crianças. 

A pesquisa sobre a interação entre os corpos infantis e a natureza surgiu em 2014 durante o processo criativo do projeto Ninhos – Performance Para Grandes Pequenos e, desde então, também resultou os projetos SAMPLE (2014) e Cabeceiras, Onde Nascem os Rios e Repousam as Cabeças (2015).

O processo foi baseado em uma série de atividades, chamadas pela companhia de aproximações, com crianças e adultos acostumados a diferentes contatos com a natureza – os filhos de integrantes e parceiros da trupe, os indígenas da aldeia Guarani Krukutu, em Parelheiros, e os moradores da comunidade caiçara de Picinguaba, em Ubatuba. Os encontros foram repetidos várias vezes ao longo desses quatro anos. Os participantes de cada grupo participaram de atividades de improvisação e brincadeiras com os bailarinos diante de paisagens exuberantes fora do meio urbano.

A companhia tem promovido uma série de debates com educadores, pesquisadores e artistas sobre a importância de se discutir o corpo na infância. “Para além do corpo que dança, pensamos em um corpo como potência, um corpo que possa se expressar  plenamente, dentro de sua natureza em que o brincar físico e imaginário é força propulsora”, diz.

Além de comemorar os 20 anos da Balangandança, o projeto tem a proposta de dar continuidade às investigações sobre questões que surgiram nos últimos trabalhos da companhia – Ninhos, Performance Para Grandes Pequenos (2013-2014), SAMPLE (2014) e Cabeceiras, Onde Nascem os Rios e Repousam as Cabeças (2015). O projeto reforça o propósito do grupo de promover o pensar, as discussões públicas, as práticas artísticas e educacionais que evidenciem questões e conceitos como o brincar, a linguagem da improvisação, a coreografia e a composição.

 

Ficha técnica do espetáculo:

Direção: Georgia Lengos. Elenco criador: Alexandre Medeiros, Alan Scherk, Clara Gouvêa, Ciro Godoy, Isabel Monteiro. Provocadores: Dafne Michellepis e Gandhy Piorski. Figurinos: Isabela Teles e Edson Braga. Cenografia: Balangandança Cia. Colaboração cenográfica: José Romero. Desenho de luz: Joyce Drummond. Operação de Luz: Silviane Ticher. Material Gráfico: Fê e Celso Linck. Músicas: Lagedo de Caio Padilha, Pirulito que bete bate, Roseira de Ricardo Hertz, Soprax  de Coré Valente, Chamego da Rabeca de Aglaia Costa. Sonoplastia: Ciro Godoy, Clara Gouvêa. Edição de trilha sonora: Pipo Pegoraro/Georgia Lengos. Registro audio-visual: Paulo Plá. Fotos: Gil Grossi e José Romero. Estagiária: Gabrielle de Almeida Bezerra. Assessoria de Imprensa: Adriana Balsanelli. Produção: Rodrigo Fidelis – Corpo Rastreado.

 

Serviço:

PRESENTE! FEITO DA GENTE

Dias 16, 23, 30 de junho, 7 e 14 de julho. Sábados, às 11h.

Duração: 50 minutos.

Classificação: 3 anos.

Ingressos: R$17 (inteira), R$8,50 (meia-entrada: estudante, servidor de escola pública, +60 anos, aposentado e pessoa com deficiência) e R$5 (credencial plena: trabalhador no comércio de bens, serviços e turismo matriculado no Sesc e dependentes).

Ingressos à venda pelo Portal sescsp.org.br e nas bilheterias do Sesc São Paulo. *Grátis para crianças até 12 anos.

SESC CONSOLAÇÃO – Rua Dr Vila Nova, 245. Tel: (11) 3234-3000.

Teatro Anchieta

Lotação: 280 lugares.

Acesse www.sescsp.org.br

Artigo anteriorGranizo, o pão de trigo que escureceu o céu
Próximo artigoA natureza no exercício do olhar
Estudou cinema na NTFS( UK), Administração de Empresas na FGV e Química na USP. Trabalhou com fotografia, cinema autoral e publicitário em Londres nos anos 90 e no Brasil desde então. Sua formação lhe conferiu entre muitas qualidades, uma expertise em estética da imagem, habilidade na administração de conteúdo e pessoas e conhecimento profundo sobre materiais. Por muito tempo Paulo participou do cenário da produção artística em Londres, Paris e Hamburgo de onde veio a inspiração para iniciar o Arteref no Brasil: Um local para unir pessoas com um mesmo interesse, a arte contemporânea. Faz o contato e organiza encontros com os curadores, artistas e colecionadores que representam o conteúdo do qual falamos no Arte Ref

Comente:

Please enter your comment!
Please enter your name here