Movimentos

Arte rupestre: o que é e quais são suas características?


O que é arte rupestre?

Representa uma manifestação artística muito abrangente, que pode aparecer no interior de cavernas, grutas e em outras superfícies rochosas.

É considerada a mais antiga forma de expressão artística humana. Originada na pré-história, as primeiras foram produzidas cerca de 40 mil a.C. Datações feitas a partir do Carbono 14 e outras técnicas indicam que os homens naquela época já possuíam a capacidade cognitiva de representar símbolos.


Quais são as principais características da arte rupestre?

As manifestações artísticas pré-históricas podem ser divididas em dois tipos devido à diferença entre as técnicas de produção.

Pinturas rupestres: Feitas a partir da aplicação de pigmentos sobre a rocha, extraídos de argilas, vegetais, minerais e ossos carbonizados. Eles eram adicionados a elementos que poderiam dar ao pigmento a capacidade de fixação, tais como: sangue de animais, cera de abelha e gorduras.

Pintura rupestre

Gravuras rupestres: Feitas a partir de incisões nas rochas de modo que as imagens ficassem gravadas na superfície.

Painel de 80 metros de comprimento com gravuras rupestres descoberto em 2019 em Ribeirão Bonito – SP. Foto: Divulgação.

Inicialmente as representações se caracterizavam linhas e traços finos. Posteriormente as imagens passaram a ser mais elaboradas, com melhores balanços de cores e técnicas de iluminação.


Significado de “rupestre”

O termo rupestre tem origem no latim ars rupes “arte sobre rocha”.


Representações

Formas humanas e de animais aparecem com certa frequência na arte rupestre. Além disso, também são encontradas cenas de caça e cotidianas, figuras abstratas, armas, utensílios, entre outras.

As representações podem variar de acordo com o local geográfico onde são encontradas, assim como seus possíveis significados, abrindo um grande espaço para a interpretação dos símbolos.

É importante lembrar que não podemos delimitar a arte rupestre a uma simples representação do cotidiano. Estudiosos acreditam que certas imagens podem indicar, por exemplo, rituais espirituais e alguns detalhes nas figuras humanas podem apontar símbolos de organização social como, por exemplo, as figuras humanas que possuem olhos.

Pintura de figura humana representada com olhos no Complexo Arqueológico Serra das Paridas – Lençóis (Chapada Diamantina), Bahia. Foto: Thais de Albuquerque

Outro detalhe interessante é a tentativa de compreender a razão pela qual os grupos elegiam áreas totalmente remotas e de difícil acesso para fazer suas inscrições, como as profundezas das cavernas ou até mesmo gravuras feitas em rochas que ficam encobertas por um rio grande parte do ano, como a Pedra do Ingá, na Paraíba.

Paredão de 15 metros de extensão por 2,30m de altura Ingá-PB

Mãos em negativo

Uma das representações mais comuns encontradas em sítios arqueológicos são os registros de mãos e também de pés. Acredita-se que seja uma forma do Homem pré-histórico afirmar sua presença no território enquanto um testemunho de um evento, de uma narrativa ou de um mito.

mãos em negativo

Pinturas de animais

Bisões, cavalos, mamutes, cervos, javalis e leões são os animais mais comuns encontrados nas pinturas. Outros animais como peixes, aves e insetos são mais raros.
Os animais podem ser vistos em cenas de caça, junto a figuras humanas carregando armas, e também em bandos.

Pinturas de animais na caverna de Altamira, na Espanha.

Curiosidades

1) A arte rupestre encontra-se em todos os continentes, com exceção da Antártida.

2) As pinturas da caverna de Altamira (Espanha), foram as primeiras a serem apresentadas ao mundo oficialmente, cerca de 150 anos atrás.

3) Avaliações numéricas aproximadas calculam de 350 a 400 mil sítios arqueológicos com arte rupestre em todo o mundo. A África é o continente mais expressivo, com algo em torno de 100 mil sítios.

4) Foi a partir dela que se originou a primeira forma de escrita, a chamada pictográfica, no período Neolítico.



A caverna de Lascaux

Lascaux é um complexo de cavernas ao sudoeste da França, famoso pela suas pinturas rupestres.

Em suas paredes estão pintadas cavalos, cervos, cabras, felinos, entre outros animais. A arte, datada entre 17.000 e 15.000 a.C., classifica-se dentro do período Paleolítico Superior e foi criada pelas mãos claramente habilidosas de humanos que habitavam a área naquela época.

Pinturas na caverna de Lascaux, na França

Ela foi descoberta em 1940 por quatro adolescentes que, maravilhados com o que encontraram, logo avisaram seu antigo professor, Léon Laval. O pré-historiador Henri Breuil, refugiado na zona durante a ocupação nazista, foi o primeiro especialista a visitar Lascaux, em companhia de outros estudiosos. Em 1948, a caverna foi aberta ao público para visitação.


Relevância das imagens da pré história

A partir das descobertas, análises das imagens e debates interpretativos sobre seus significados, podemos entender melhor como eram nossos antepassados. Seus registros nos mostram seus hábitos, culturas e permitem que possamos observar a evolução humana.

A arte sempre está ligada à realidade humana; suas manifestações, portanto, refletem particularidades históricas de cada momento vivido. Entendendo as origens de nossas artes, podemos ter uma compreensão maior de quem somos e nossa trajetória.


Arte rupestre brasileira

A região nordeste do Brasil é onde se encontra a maior concentração de arte rupestre do mundo, especialmente no Rio Grande do Norte e Paraíba, com datações que vão de 3 a 12 mil anos. O clima seco, a vegetação e as dificuldades da ocupação humana colaboraram para a preservação da arte rupestre na região.

A quantidade de sítios arqueológicos nacionais e sua relevância para a história da humanidade levaram à criação do Museu do Homem Americano em São Raimundo Nonato, no Piauí. Este município abriga o Parque Nacional Serra da Capivara, onde estão um dos principais sítios arqueológicos do Brasil e do mundo.

Museu do Homem Americano, em São Raimundo Nonato, no Piauí. Foto: Alex Uchôa

Sítios arqueológicos de arte rupestre no Brasil abertos à visitação

Ilha do Campeche (Santa Catarina)

Gravuras rupestres na Ilha do Campeche-SC. Foto: Divulgação

Serra das Paridas (Chapada Diamantina – Bahia)

Figuras humanas em cenas semelhantes a um parto deram origem ao nome da “Serra das Paridas” em Lençóis – BA. Foto: Divulgação.

Peruaçu (Minas Gerais)

Pinturas no Parque Nacional Cavernas do Peruaçu, Minas Gerais. Foto: Divulgação


Veja também sobre o assunto


Fontes


Não foi possível salvar sua inscrição. Por favor, tente novamente.
Sua inscrição foi bem sucedida.
Equipe Editorial

Os artigos assinados pela equipe editorial representam um conjunto de colaboradores que vão desde os editores da revista até os assessores de imprensa que sugeriram as pautas.

View Comments

Recent Posts

10 fatores que determinam o valor de uma obra de arte

Esse vídeo faz parte de uma série sobre Dicas para Colecionadores. Nele, eu explico o porquê…

51 minutos ago

Como precificar uma obra de arte?

Esse vídeo faz parte de uma série sobre Dicas para Artistas. Nele, eu explico todos os…

51 minutos ago

Arte132 Galeria apresenta “Transmutação e metáforas do inconsciente”

A Arte132 Galeria apresenta, a partir do dia 10 de agosto, a exposição "Transmutação e…

23 horas ago

Século de Ouro, Partenon e o Período Clássico ateniense

Período Clássico ateniense (c.480 – 323 a.C.) A vitória sobre os persas em 490 –…

1 dia ago

Pop Art: contexto histórico, características e artistas

1. Contexto Histórico A Pop Art ou Arte Pop, nasceu na Grã-Bretanha em meados da…

1 dia ago

Turner: o homem moderno e a natureza

Joseph Mallord William TURNER (1775‑1851) se destaca, entre outros, na pintura paisagística com viés pitoresco…

1 dia ago