BLAU PROJECTS na Vila Madalena

Por Paulo Varella - julho 7, 2017
151 0
Pinterest LinkedIn

BLAU PROJECTS

Desarticulaciones

#04 C.LAB Mercosul

Curadoria de María Alejandra Gatti (Argentina)

08 jul 2017 – 12 ago 2017

 

São Paulo – A Blau Projects apresenta, de 08 de julho a 12 de agosto, a exposição Desarticulaciones, com curadoria de María Alejandra Gatti. A exposição foi selecionada pelo #04 C.LAB Mercosul, edital voltado a jovens curadores, promovido pela Blau Projects e atualmente na quarta edição. O C.LAB faz um intercâmbio entre artistas, instituições, galerias e curadores por meio de exposições que reforçam o papel da galeria de incubadora e difusora da arte contemporânea. Os artistas apresentados na exposição são Alan Segal, Lorena Marchetti, Lihuel González, Lorena Fernández e Verónica Gómez, além de cinco escritores escolhidos para elaborar um texto para cada uma das obras expostas.

 

A exposição Desarticulaciones busca formular no espaço um discurso construído a partir de obras que problematizem a ideia de tradução como passagem. Como um poema visual, apresenta o vocábulo “traductio”, que pode ser definido como a ação de se guiar de um lado para outro, sendo composto de três partes. Uma delas é o prefixo “trans”, que é sinônimo de “um lado para outro”, o verbo “ducere”, que significa “guiar”, e o sufixo “cion”, que equivale a “ação”. A ideia é mostrar a ação de um lado a outro, de uma língua a outra e de uma linguagem a outra.

 

As obras trabalham com superposições sonoras, mistura de linguagens entre a fotografia e a pintura, transposições de obras literárias para as artes visuais, entre outras composições. A participação de escritores brasileiros contemporâneos junto aos cinco artistas argentinos – cujas produções revelam essa operação em diferentes direções – visa justamente a reforçar o conceito de tradução como paisagem, não apenas em termos de registro espacial, mas também como uma brincadeira com o idioma.

 

Entre os autores confirmados, estão Nicholas Petrus (sobre Lihuel González), Thais Gouveia (sobre Verónica Gómez), Fabiana Faleiros (sobre Lorena Fernández) e Marcelo Carnevale (sobre Lorena Marchetti). O autor que escreverá sobre a obra de Alan Segal está para ser confirmado. Eles escreverão textos poéticos inspirados nos artistas selecionados, e, no último dia da exposição, lerão em voz alta suas obras, produzindo novas articulações e caminhos para os trabalhos expostos.

 

O nome da exposição é inspirado na obra homônima, o livro Desarticulaciones, da escritora argentina Sylvia Molloy, publicado em 2010, em Buenos Aires.

 

María Alejandra Gatti

A curadora atualmente trabalha como Coordenadora Geral do Parque da Memória – Monumento para as Vítimas de Terrorismo de Estado, espaço onde se articula a arte, a memória e os direitos humanos. Como curadora e editora independente, coordena o ciclo “Escenario Prestado”, projeto editorial que articula artes visuais com literatura, além de codirigir o projeto Catálogo dos textos da dança, declarado de interesse cultural em Buenos Aires e selecionado para participar da residência internacional NAVE, em Santiago do Chile, em 2017. Está atualmente escrevendo seu primeiro livro como autora independente, a ser publicado em 2018.

 

Sobre o C.LAB

Concebido como projeto independente do programa regular de exposições da Blau Projects, o concurso anual C.LAB seleciona e apoia projetos de curadores e artistas para exposição no espaço da galeria, reforçando seu papel de incubadora e difusora da arte contemporânea.

 

A primeira edição, realizada em 2014, resultou na produção e exibição dos projetos Ampulheta, do curador Douglas Negrisolli, e (…) pegaríamos as coisas onde elas crescem, pelo meio (…), da curadora Galciani Neves. Em 2015, a segunda edição do C.LAB apresentou como resultado a exposição Na Iminência, da curadora Carolina Soares e Território, povoação, dos curadores Gabriel Bogossian e Juliana Gontijo. Em 2016, foram duas curadorias selecionadas, Formas de abandonar o corpo – Parte I, de Natália Quinderé, e Miniaturas, maquetes, vodu e outras projeções políticas, de Claudia Rodriguez Ponga Linares.

 

As comissões de seleção são independentes e têm critérios sólidos de avaliação. Já estiveram nessa função nomes como a curadora colombiana Isabela Villanueva, a argentina Gachi Prietto, o cubano naturalizado brasileiro Andrés Hernandez, o alemão Alfons Hug, a portuguesa Marta Mestre e o brasileiro Rafael Fonseca. Em 2017, a comissão de seleção é formada pelo curador brasileiro Mario Gioia, o colombiano Santiago Rueda e a argentina Mariana Rodriguez Iglesias. Mais informações:www.blauprojects.com/clab.

 

Blau Projects

Com foco nas diversas linguagens como pintura, fotografia, vídeo, desenho, performance e o tridimensional, a galeria está situada em espaço aberto desde agosto de 2013, desenvolvido para fortalecer o diálogo com o público e artistas. ‘Nossa missão é apoiar e estimular artistas emergentes, além de fomentar a discussão sobre a arte contemporânea’, conta Juliana Blau. Os artistas que a galeria representa são Andrey Zignnatto, Ayrson Heráclito, Bruno Drolshagen, Laerte Ramos, Pedro David, Renata Cruz e Laura Gorski e Vítor Mizael.

 

Serviço

Abertura da exposição Desarticulaciones, com curadoria de María Alejandra Gatti

Dia 08 de julho, sábado das 12h às 19h
Exposição em cartaz até 12 de agosto

 

Estacionamento próximo ao local

Horários de funcionamento: terça a sábado, das 11h às 19h

Entrada gratuita

Acesso para deficientes 

Blau Projects

Rua Fradique Coutinho, 1464 – Fundos
Vila Madalena | CEP 05416-001
www.blauprojects.com
Telefone (11) 3467-8819 | 3467-8801

Estudou cinema na NFTS (UK), administração na FGV e química na USP. Trabalhou com fotografia, cinema autoral e publicitário em Londres nos anos 90 e no Brasil nos anos seguintes. Sua formação lhe conferiu entre muitas qualidades, uma expertise em estética da imagem, habilidade na administração de conteúdo, pessoas e conhecimento profundo sobre materiais. Por muito tempo Paulo participou do cenário da produção artística em Londres, Paris e Hamburgo de onde veio a inspiração para iniciar o Arteref no Brasil. Paulo dirigiu 3 galerias de arte e hoje se dedica a ajudar artistas, galeristas e colecionadores a melhorarem o acesso no mercado internacional.

Comentários

Please enter your comment!
Please enter your name here