Vídeo

Waves por daniel Palacios

Por Paulo Varella - julho 29, 2012
2707 0
Pinterest LinkedIn

A corda permanece em circulação constante a partir da rotação dos seus pontos de ancoragem. Dependendo do presença do público, a frequência de rotação em cada extremidade é variada, que cria mudanças visíveis e alterações de som.
Quando não há presença, a instalação entra em “descanso” , desliga os motores que criam as ondas na corda e criando assim uma linha reta.
A vibração produzida na corda é amplificada e a corda, em alta velocidade, corta o ar, criando o som ambiente.
Quanto mais imóvel o observador está em frente da peça, a mais harmoniosa são as ondas e sons, mas quando o público se move mais, ele cria gráficos mais irregulares e sons mais fortes.

Não foi possível salvar sua inscrição. Por favor, tente novamente.
Sua inscrição foi bem sucedida.

Você quer receber informações sobre cultura, eventos e mercado de arte?

Selecione abaixo o perfil que você mais se identifica.

Tags
Próximo artigo

Estudou cinema na NFTS (UK), administração na FGV e química na USP. Trabalhou com fotografia, cinema autoral e publicitário em Londres nos anos 90 e no Brasil nos anos seguintes. Sua formação lhe conferiu entre muitas qualidades, uma expertise em estética da imagem, habilidade na administração de conteúdo, pessoas e conhecimento profundo sobre materiais. Por muito tempo Paulo participou do cenário da produção artística em Londres, Paris e Hamburgo de onde veio a inspiração para iniciar o Arteref no Brasil. Paulo dirigiu 3 galerias de arte e hoje se dedica a ajudar artistas, galeristas e colecionadores a melhorarem o acesso no mercado internacional.

Inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Veja todos os comentários

Waves por daniel Palacios

Por Paulo Varella - julho 29, 2012
1034 0
Pinterest LinkedIn

A corda permanece em circulação constante a partir da rotação dos seus pontos de ancoragem. Dependendo do presença do público, a frequência de rotação em cada extremidade é variada, que cria mudanças visíveis e alterações de som.
Quando não há presença, a instalação entra em “descanso” , desliga os motores que criam as ondas na corda e criando assim uma linha reta.
A vibração produzida na corda é amplificada e a corda, em alta velocidade, corta o ar, criando o som ambiente.
Quanto mais imóvel o observador está em frente da peça, a mais harmoniosa são as ondas e sons, mas quando o público se move mais, ele cria gráficos mais irregulares e sons mais fortes.

Não foi possível salvar sua inscrição. Por favor, tente novamente.
Sua inscrição foi bem sucedida.

Você quer receber informações sobre cultura, eventos e mercado de arte?

Selecione abaixo o perfil que você mais se identifica.

Estudou cinema na NFTS (UK), administração na FGV e química na USP. Trabalhou com fotografia, cinema autoral e publicitário em Londres nos anos 90 e no Brasil nos anos seguintes. Sua formação lhe conferiu entre muitas qualidades, uma expertise em estética da imagem, habilidade na administração de conteúdo, pessoas e conhecimento profundo sobre materiais. Por muito tempo Paulo participou do cenário da produção artística em Londres, Paris e Hamburgo de onde veio a inspiração para iniciar o Arteref no Brasil. Paulo dirigiu 3 galerias de arte e hoje se dedica a ajudar artistas, galeristas e colecionadores a melhorarem o acesso no mercado internacional.

Inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Veja todos os comentários