Exposições e Eventos

Galeria Hugo França recebe mostra coletiva de artistas mulheres de Trancoso

Com curadoria de Isa Castro e produção de Luana Jardim, Viver é um rasgar-se e remendar-se busca evidenciar a diversidade artística de mulheres que vivem há décadas no distrito do litoral Sul da Bahia

Por Equipe Editorial - outubro 10, 2023
225 0
Pinterest LinkedIn

A Galeria Hugo França apresenta “Viver é um rasgar-se e remendar-se”, exposição coletiva que reúne pela primeira vez a diversidade artística de oito mulheres (nativas ou não) que vivem há décadas em Trancoso. Com abertura no dia 12 de outubro, às 18h, com coquetel Alma Ninho, da chef Morena Leite, a mostra, idealizada, produzida e composta exclusivamente por mulheres, lança luz à força e à trajetória das artistas locais, que têm a ressignificação constante de suas trajetórias como ponto em comum.

Com curadoria de Isa Castro, cineasta, produtora e gestora cultural que, entre diversos projetos importantes, comandou o MIS (Museu da Imagem e do Som), e produção de Luana Jardim, diretora de arte, especialista em arte e moda, que já atuou no Fashion Rio, entre outros projetos, a exposição traz dezenas de telas com diferentes abordagens, texturas e linguagens, criadas por Ana Laranjeira, Camile Soares, Claudia Lemos, Leda Lima, Marta Meyer, Patricia Gudmundsson, Paula Blache e Selma Guedes (em memória). Entre pinceladas ou aplicação de argila, plantas e outras matérias primas, cada obra reflete a intensidade poética dessas mulheres, que, como qualquer ser humano, se rasgam, se remendam e vivem suas histórias.

Por meio de trabalhos que oscilam entre pinturas abstratas, natureza clara e colorida, até escritas de sentimentos à flor da pele, além da apresentação de três livros não lançados por Selma Guedes, como uma homenagem póstuma, a mostra conversa perfeitamente com a ampla arquitetura da Galeria Hugo França, unindo-se à atmosfera natural do espaço de 30 mil m2 em meio à Mata Atlântica, e propondo um convívio harmônico entre obra, espectador e paisagem.

Galeria Hugo França
Ana Laranjeira – Bordado sobre linho e algodão tingidos – 2023

Com nome inspirado na frase de Guimarães Rosa, “Viver é um rasgar-se e remendar-se”, convida o público para uma reflexão sobre a vida, sobre as trajetórias individuais e sobre como as marcas fazem parte do que somos e do que vamos nos tornar.

Biografias das artistas

Ana Laranjeiras – escolheu Trancoso como seu lar há quase 40 anos. Trabalha com tecidos desde 1995 e, como sócia do Atelier Bela Estampa, coloriu muitas casas, pousadas e hotéis no vilarejo e pelo mundo afora. Hoje, expresso sua arte têxtil através de montagens com tecidos em linho e algodão tingidos com técnicas ancestrais ou modernas, associados aos bordados que fazem parte das suas memórias afetivas de quando passava tardes com sua avó bordadeira, aprendendo a brincar com tecidos, agulhas e linhas.

Camile Soares – artista visual, paraense, nascida em Belém. Viveu sua infância no Pará, visitando anualmente o Rio de Janeiro até a cidade virar seu lar. Estudou design e se apaixonou por criar. Com 10 anos de experiência em estamparia, criou para marcas de vestuário, calçados e decoração. Hoje vive e se divide entre Rio de Janeiro e Trancoso.

Claudia Lemos – iniciou seu processo artístico criando acessórios de papel que, mais tarde, transformaram-se em pequenas esculturas de arame. Em 1996, foi artista contemplada pelo Itaú Cultural com mostras individual e coletiva em Belo Horizonte, Goiânia e Campinas. Logo depois, participou do 3º Salão MAM Bahia. Continuou seu processo de transformação e busca experimentando novos materiais e formas de se expressar, desenvolvendo estudos e protótipos de esculturas que nunca foram mostradas. Novos caminhos se fizeram necessários e, em 2000, começou a costurar, trabalhando dessa forma outras questões relacionadas à linha. Mudou-se para Trancoso em 2016, quando começou a desenvolver novos trabalhos com as tiras laterais dos tecidos que guardou ao longo dos anos de costura.

Leda Lima – nasceu em Trancoso, em 1961. Desde criança, desenhou e rabiscou, mas começou a dar importância a esse lado criativo aos 23 anos, quando mudou-se para a Europa para aprofundar seus conhecimentos na arte. Durante esse tempo, participou de diversas exposições coletivas e, em 1999, retornou ao Brasil, para participar de duas exposições. Leda é uma artista plástica versátil, além de quadros também pinta cerâmicas, tecidos e faz flores de papel. Hoje, tem seu próprio ateliê em Trancoso, no centro histórico do quadrado, com diversas obras de arte expostas.

Marta Meyer – entende que tramas, fios, e agulhas são seus instrumentos de expressão e ofício. Atualmente, dedica-se a trabalhos únicos, onde mescla várias técnicas como tecelagem, bordado, costura, entre outros. Em 2011, junto com Juan Ojea e Renato Imbroisi, criou a “TENET”, associação virtual de tecelões e artistas têxteis, que promove eventos e exposições coletivas.

Patricia Gudmundsson – formada no Instituto Nacional de Artes, Buenos Aires, já fez várias exposições na Argentina. “Dentro da labiríntica incerteza, acho o horizonte e o caminho que me levam em direção à imensidão da água e à inspiradora luz”.

Paula Blache – artista brasileira, já viveu em muitos lugares, como Rio de Janeiro, Nova Yorque, Paris e, atualmente, em Trancoso. Cursou fotografia na International Center of Photography, se formou em Belas Artes na School of Visual Arts, ambas em NY. O trabalho de Paula nasceu de uma conexão com a natureza. Ela cria suas obras com materiais orgânicos.

Selma Guedes (em memória) – era um anjo e sabia. Artista nata, autodidata, tinha plena consciência de seu dom. Nascida em Trancoso, iniciou seu lado artístico pintando almofadas e, com o tempo, evoluiu para quadros. Porém seu sonho de verdade era escrever. E o realizou. Teve tempo apenas de lançar um dos quatro livros que escreveu. Os inéditos estão presentes nessa exposição.

Sobre a Galeria Hugo França

A Galeria Hugo França está sediada em Trancoso, no Sul da Bahia, na mesma área onde se encontra o Atelier Hugo França. Na margem da BA 0001 no entroncamento que dá acesso a Trancoso, a 7 Km do centro (quadrado histórico).
Um projeto de espaço pensado para abrigar exposições temporárias de artistas convidados, e intercâmbio com galerias que queiram expandir sua visibilidade em projetos aqui no sul da Bahia. A galeria foi projetada com um pé direito de 10m e área de 300m2, podendo abrigar obras de grandes dimensões, e seu entorno gramados com áreas expositivas generosas.

Galeria Hugo França
Galeria Hugo França

Trancoso é um dos principais destinos turísticos brasileiro com um fluxo grande de estrangeiros, e um público frequentador de alto nível cultural. A galeria vem agregar ao turismo local um espaço onde possa ser mostrada a produção artística brasileira assim como receber artistas estrangeiros em residências artísticas.

E nesta área de 30 mil m2 de terreno, cercados de Mata Atlântica, é possível conhecer de perto o Atelier Hugo França em visita guiada pelos galpões que abrigam a produção, o parque onde ficam o Resíduo Florestal, e o espaço com as obras acabadas.

Serviço

Exposição coletiva “Viver é um rasgar-se e remendar-se”
Abertura: 12 de outubro de 2023, quinta-feira, às 18h – Coquetel Alma Ninho, com a chef Morena Leite
Período: até 20 de novembro de 2023
Local: Galeria Hugo França. Endereço: Rodovia BA 001 s/n, próximo ao trevo Trancoso/Caraíva, Trancoso (BA)

Leia também: Museu de Arte Contemporânea da Bahia é inaugurado em Salvador

Não foi possível salvar sua inscrição. Por favor, tente novamente.
Sua inscrição foi bem sucedida.

Você quer receber informações sobre cultura, eventos e mercado de arte?

Selecione abaixo o perfil que você mais se identifica.

Inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Veja todos os comentários