Galerias e Eventos

Vivian Caccuri inaugura “Descomprimidos” na Galeria Millan

Com curadoria de Thiago de Paula Souza, a mostra apresenta os desdobramentos recentes da pesquisa de Caccuri em torno do som e da experiência coletiva de celebração

Por Equipe Editorial - novembro 24, 2022
22 0
Pinterest LinkedIn

Vivian Caccuri investiga, em  sua primeira exposição individual “Descomprimidos”, como a música e o som como fenômeno físico podem alterar e determinar a experiência coletiva e estados de consciência. Nas obras, vemos criaturas híbridas entre humanos e insetos, cenas de festas, paisagens arrasadas, grandes sistemas de som, além de linhas abstratas que podem remeter a ondas sonoras. O êxtase e o desespero são apresentados de forma onírica e experimental nas obras bidimensionais que têm como suporte telas de mosquiteiro.

“Produzidos ao longo de 2021 e 2022[esses trabalhos] acenam para os redemoinhos de emoções que a artista acredita que marcam a experiência cotidiana de se viver no Brasil no último biênio. O isolamento, a crescente sensação de injustiça social, a instabilidade política e institucional, somadas à euforia e ao desejo de voltar às pistas e às festas, após o afrouxamento das medidas sanitárias, funcionam como ponto de partida para a criação das obras.” – escreve o curador Thiago de Paula Souza.

Vivian Caccuri
Obra “Derretimento” (2022), de Vivian Caccuri. Crédito: Galeria Millan

Nos últimos anos, Vivian Caccuri se dedicou a pesquisar também a relação entre humanos e mosquitos e suas influências no desenvolvimento das sociedades na América Latina. Os embates entre humanidade e insetos têm figurado em sua produção, que investiga os mecanismos utilizados para evitar danos à agricultura, patologias, e até o indesejado zumbido gerado por esses insetos. Desde então, a tela de mosquiteiro se tornou suporte para obras que combinam desenho, pintura e técnicas de costura e bordado. A transparência desse material, aliada às intervenções gráficas criadas pela artista, resulta em imagens de aspecto vibrante e ao mesmo tempo dotadas de leveza e movimento. Caccuri utiliza ainda miçangas e peças de metal que funcionam como guizos, transformando cada obra em um objeto sonoro.

Já a expografia foi pensada de modo a criar um ambiente onírico. Fios funcionam como elementos condutores que conectam as obras expostas, formando um organismo que parte de uma obra da série Fantasma Roupa – que consiste na silhueta de um grande inseto – posicionada no fundo da sala expositiva. “Descomprimidos” contará também com uma grande instalação sonora formada por andaimes e caixas de som, com cabos e fios que se assemelham a veias e artérias, continuando o mote orgânico que perpassa a exposição. O corpo também aparece no som reproduzido por esse soundsystem: ruídos de veias, coração, ossos e outros órgãos captados no corpo da própria artista.

Vivian Caccuri se interessa pela potencialidade do coletivo disparada pelo som, bem como pelas sensações de esgotamento físico e ansiedade diante dos cenários políticos e climáticos, que entram em conflito com o desejo e a possibilidade de extravasar. A experiência multissensorial despertada em festas, que pode provocar uma espécie de transe, é investigada pela artista em suas diversas possibilidades, positivas ou negativas.


Sobre a artista Vivian Caccuri


1986, São Paulo, SP, Brasil
Vive e trabalha no Rio de Janeiro, RJ.

Caccuri investiga a música e produções sonoras, propondo experimentos que abarcam o visual, o corpóreo e o tecnológico. Por meio de objetos, bordados, instalações e performances, a artista lança luz sobre os condicionamentos históricos que assentam distinções entre ruído, música, sons naturais e silêncio, evidenciando o sentido coletivo de expressões culturais.  Este ano a artista prepara a exposição The Shadow of Spring, no New Museum, EUA, em pareceria com o artista Miles Greenberg, seguindo sua individual Mosquito Revenge, no Kunsthal 44Møen, Dinamarca. Também participou das coletivas Histórias Brasileiras, MASP, SP; e Sick Architecture, CIVA, Bélgica, em 2022. Em 2019 teve projeto comissionado pela Serpentine Galleries, Inglaterra, e participou da 58ª Bienal de Veneza, Itália. Teve obras expostas na 32ª Bienal Internacional de São Paulo, SP, em 2017 e no 33º Panorama da Arte Brasileira, MAM, SP, em 2013.

Serviço

Exposição “Descomprimidos”, de Vivian Caccuri. Curadoria de Thiago de Paula Souza
Período: até 17 de dezembro de 2022
Local: Galeria Millan
Endereço: Rua Fradique Coutinho, 1416, Pinheiros, São Paulo, SP


Leia também:
Túlio Pinto realiza nova individual na Millan em novembro

Não foi possível salvar sua inscrição. Por favor, tente novamente.
Sua inscrição foi bem sucedida.

Você quer receber informações sobre cultura, eventos e mercado de arte?

Selecione abaixo o perfil que você mais se identifica.

Inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Veja todos os comentários