9 fatos sobre Modigliani que comprovam a vida difícil dos artistas

1 – Seu nascimento salvou sua família da ruína financeira.

Auto-retrato

O mais jovem de quatro filhos de pais judeus sefarditas de Livorno, Itália, a chegada de Modigliani poupou a sua família da morte financeira.

Por uma antiga lei que protegia os leitos de mulheres grávidas e mães com filhos recém-nascidos, o pai de Modigliani evitou que seus credores cobrassem o pagamento acumulando e os bens mais valiosos de sua família sobre a cama da esposa grávida.

2 – Ele era alcoólatra e viciado em drogas – mas não pelas razões que você pensa.

Aos 11 anos, Modigliani sofreu um ataque de pleurisia – o primeiro de uma série de doenças que acabou levando à sua morte precoce. Em sua extensa biografia do artista, Meryle Secrest interpretou seu abuso de substância habitual como uma tentativa de esconder sua tuberculose e evitar o estigma associado à doença. A tuberculose na época era incurável e altamente contagiosa e foi uma das principais causas de morte na França. Secrest escreve: “Os bêbados eram tolerados; Portadores de doenças infecciosas não. “

3 – Modigliani se inspirou em Nietzsche sobre criatividade e sexo.

De acordo com o biógrafo Jeffrey Meyers, o espírito iconoclasta de Modigliani foi inspirado por seu profundo interesse na filosofia de Friedrich Nietzsche. Modigliani recusou a identificar-se com os movimentos de arte de seu tempo e acreditava que o sofrimento era primordial para o crescimento criativo de um artista. Sua adulação para a ideologia do filósofo alemão levou-o mesmo a adotar uma similar marca de entusiasmo em relação ao sexo e seu poder regenerativo.

4 – Sua família e amigos o chamavam de “Dedo”.

Modigliani, Pablo Picasso e André Salomon( Wikipedia)

Beatrice Hastings, Pablo Picasso e André Salmon estão entre as numerosas figuras literárias e artísticas que orbitaram a vida boêmia de Modigliani em Paris. Para aqueles familiares e amigos, ele era conhecido pelo apelido de Dedo.

5 – Embora seu legado desfrute imenso sucesso póstumo, ele levou uma vida de miséria.

Amedeo Modigliani, Nude on a Blue Cushion, Italian, oil on linen (Chester Dale Collection)

O arquetípico do artista faminto deve sua reputação tanto a Vincent van Gogh como a Modigliani. Como o príncipe dos vagabundos, Modigliani suportou o empobrecimento até suas  últimas horas; Ele era conhecido por trocar obras de arte para refeições em restaurantes. Ironicamente, o colecionador Steven A. Cohen comprou o Reclining Nude de Modigliani com Blue Cushion pela quantia de 118 milhões de dólares em 2012 – um dos preços mais altos pagos por uma pintura.

6 – O artista teve uma única exposição individual durante sua vida.

Poster da sua exposição individual

… e a polícia a fechou no dia da abertura. Em 3 de dezembro de 1917, Modigliani estreou sua primeira e única exposição individual na galeria de Berthe Weill em Paris. Seu show exibiu 30 desenhos e pinturas encomendadas pelo amigo e comerciante Leopold Zborovski. As figuras desnudas do artista tornaram-se objeto de escândalo público, e a polícia fechou o show em questão de horas.

7 – Modigliani e sua amante, Jeanne Hébuterne, morreram dois dias de intervalo.

Jeanne Hébuterne

O artista sucumbiu à sua batalha de quase duas décadas com a tuberculose aos 35 anos. Sua última amante, Jeanne Hébuterne, então grávida de seu segundo filho, morreu dois dias depois. A filha sobrevivente do casal, Jeanne Modigliani, mais tarde escreveu uma biografia sobre seus pais.

8 – Grandes influenciadores

Henri de Toulouse-Lautrec foi o artista que o influenciou muito. Mas ele foi inspirado pelas obras de Paul Cézanne em 1907. Além deles, Domenico Morelliquando,  quando esteve em Roma em 1901, espantou muito Modigliani.

9 – Inspiração na arte africana.

Máscara africana

Tanto Modigliani quanto Pablo Picasso se interessaram muito pelo estudo de máscaras africanas. Esta retratação é bem presente na obra dos dois artistas.

Paulo Varella1099 Posts

Estudou cinema na NTFS( UK), Administração de Empresas na FGV e Química na USP. Trabalhou com fotografia, cinema autoral e publicitário em Londres nos anos 90 e no Brasil desde então. Sua formação lhe conferiu entre muitas qualidades, uma expertise em estética da imagem, habilidade na administração de conteúdo e pessoas e conhecimento profundo sobre materiais. Por muito tempo Paulo participou do cenário da produção artística em Londres, Paris e Hamburgo de onde veio a inspiração para iniciar o Arteref no Brasil: Um local para unir pessoas com um mesmo interesse, a arte contemporânea. Faz o contato e organiza encontros com os curadores, artistas e colecionadores que representam o conteúdo do qual falamos no Arte Ref

0 Comments

Leave a Comment

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Lost Password