Desenho

Zipper Galeria recebe as exposições “Perimetrais” e “Zip’Up”

Por Equipe Editorial - setembro 6, 2012
1983 0
Pinterest LinkedIn

Quem são as artistas? Ana Holck e Marina Camargo
O que vai ter na exposição? Instalações, esculturas, desenhos, entre outros.
Até quando? 11 de outubro

Entre os dias 5 de setembro e 11 de outubro, obras da artista Ana Holck ocupam a grande sala da galeria. O andar superior exibe a individual da artista Marina Camargo

No dia 5 de setembro, a Zipper Galeria promove a abertura da exposição “Perimetrais” da artista Ana Holck. No final de setembro haverá o lançamento do catálogo da exposição, com texto crítico de Paulo Sergio Duarte e visita guiada pela exposição. No andar superior, o projeto mensal Zip’Up, traz a exposição “Planisfério” com obras da artista Marina Camargo. Ambas as exposições se estendem até o dia 11 de outubro.

Na grande sala da galeria, com pé direito de mais de seis metros, serão apresentadas cerca de cinco esculturas da série “Torres Armadas”, em grandes dimensões, com tamanhos que chegam a 3,0 metros de altura. As obras são inéditas e fazem parte de uma recente pesquisa em que Ana Holck utiliza elementos de concreto pré-moldado.

Para as torres, a artista utilizou moirões de concreto armado unidos por tiras de aço corten. “São obras totalmente abstratas, mas que remetem à arquitetura e à cidade, não apenas pelo uso dos materiais urbanos, como os moirões de concreto, mas também porque alguns trabalhos fazem alusão às obras de engenharia”, explica Ana.

Série “Torres Armadas” de Ana Holck, 2012

A artista também apresenta uma serie inédita de 25 gravuras em metal intitulada “Perimetrais”, onde sobrepõe graficamente as sessões dos pilares e vigas do Viaduto da Perimetral, estrutura que deixará de existir na paisagem urbana da cidade do Rio de Janeiro com as obras de revitalização do cais do porto. “Não procurei julgar a demolição, mas apenas constatar esse fato e deixar um rastro da existência dessa enorme estrutura. A concepção dos desenhos vem de uma observação diária no trajeto para o meu atelier na Fabrica Bhering e pelo meu interesse já existente em estruturas, arquitetura e engenharia. Comecei a reparar no desenho da estrutura, e visualizá-la como sucessões de camadas superpostas, de certa forma subvertendo e tirando o peso delas, criando uma aderência entre cada sessão estrutural”, afirma Ana.

Ainda fazem parte da exposição seis esculturas inéditas das séries “Passarelas-pêndulos”, intitulados “Cruzamentos”, compostos de aço corten, cabos de aço e corpos-de-prova. Corpos-de-prova são pêndulos utilizados em engenharia civil para testar a resistência do concreto. Ana explica que a ideia é subverter a natureza da funcionalidade dessas peças, dando um novo sentido aos materiais utilizados.

Ana Holck

Nasceu no Rio de Janeiro, em 1977, onde vive e trabalha. Desde setembro de 2011 tem ateliê na antiga fábrica da Bhering, na Zona Portuária do Rio de Janeiro. Seus trabalhos mais recentes foram uma instalação de grandes proporções no foyer do Gas Hall do Birmingham Museum and Art Gallery e as individuais “Bastidor”, no Centro Cultural Banco do Brasil, e as intervenções realizadas no SESC Pinheiros como parte da mostra “Lugar Algum” (uma instalação na piscina e outra no quarto andar) e Horizonte Construído, Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro; ambas em 2010.

Em 2011 recebeu o I Prêmio Itamaraty de Arte Contemporânea e integrou ainda as coletivas “Nova Escultura Brasileira”, na Caixa Cultural do Rio de Janeiro, “AGORA simultâneo instantâneo”, no Santander Cultural Porto Alegre (2011). No ano anterior,  recebeu o Prêmio Funarte de Artes Plásticas Marcantonio Vilaça. A artista já participou do Rumos Artes Visuais, do Itaú Cultural, e da coletiva Borderless Generation, Korea Foundation, Seul (2009), e de Nova Arte Nova, CCBB (2008-2009). Possui trabalhos nas coleções Itaú Cultural, Pinacoteca de São Paulo, MAM São Paulo, MAM Rio de Janeiro (col. Gilberto Chateaubriand), MAC-Niterói e no Ministério das Relações Exteriores (Brasília, DF). http://anaholck.com/.


Zip’Up com Marina Camargo

No andar superior da Zipper Galeria, o projeto Zip’Up, com curadoria de Mario Gioia, apresenta a exposição individual de Marina Camargo. A artista apresenta a exposição “Planisfério” que mostra trabalhos inéditos produzidos no último ano, entre instalações, desenhos e intervenções. O conjunto tem como referência principal a representação do mundo por meio de cartografias, tema já visto em obras que apresentou em mostras como a Bienal do Mercosul.

Marina Camargo é radicada em Porto Alegre e acaba de ganhar o principal prêmio da Fundação Iberê Camargo, que rendeu uma residência na Gasworks, em Londres. Entre as exposições que participou recentemente, estão: “8º Bienal do Mercosul” (MARGS, Porto Alegre), “Os Primeiros 10 Anos” (Instituto Tomie Othake, São Paulo), “O Triunfo do Contemporâneo – 20 anos do MAC” (Santander Cultural, Porto Alegre), “Percursos Simulados” (Paço das Artes, São Paulo), “Moving Images” (ADBK, Munique), “Lugares/Representações” (FUNARTE, São Paulo) e “Simulated Pathways” (Skalitzer 140, Berlim). Estudou na ADBK em Munique (Alemanha) como artista-bolsista do DAAD. Fez graduação e mestrado em Artes Visuais em Porto Alegre, no Instituto de Artes da UFRGS, e pós-graduação em Cultura Visual na Universidad de Barcelona, Espanha. http://www.marinacamargo.com.

Sobre a Zipper Galeria

Eleita a melhor galeria de arte de São Paulo na votação do Guia da Folha em 2011, a Zipper Galeria, idealizada por Fabio Cimino, um dos mais importantes galeristas brasileiros. Em 1983 começou sua carreira no mercado de arte com Raquel Arnaud, com quem trabalhou por dez anos. Entre 1993 e 1996, trabalhou como consultor de arte e marchand, auxiliando na criação e no desenvolvimento de diversas coleções públicas e privadas. Em 1997, fundou a Galeria Brito Cimino. Desde então tem desempenhado papel fundamental no lançamento e na consolidação de grandes nomes da arte contemporânea brasileira. No ano de 2010 inaugurou a Zipper Galeria, focada na prospecção, divulgação, promoção e colocação no mercado da obra de talentos emergentes brasileiros para que uma nova geração de artistas seja consolidada.

Com projeto arquitetônico assinado por Marcelo Rosenbaum, o prédio da Zipper Galeria está localizado no bairro dos Jardins, em São Paulo. O espaço foi especialmente planejado para abrigar exposições, acervo e áreas de convivência. A Zipper Galeria concentra um grupo de artistas promissores dentro do segmento de arte no Brasil: Alessandra Duarte, Ana Holck, Bruno Kurru, Bruno Vieira, Carolina Ponte, Deborah Engel, Estela Sokol, Felipe Morozini, Fernando Velázquez, Gustavo Nóbrega, Highraff, James Kudo, Jardineiro, João Castilho, Katia Maciel, Nati Canto, Pedro Varela, RAG, Renata Egreja, Rodrigo Cunha, Rodrigo Zeferino, Suzana Scheinkman, Valentino Fialdini e Wagner Pinto.

Não foi possível salvar sua inscrição. Por favor, tente novamente.
Sua inscrição foi bem sucedida.

Você quer receber informações sobre cultura, eventos e mercado de arte?

Selecione abaixo o perfil que você mais se identifica.

Inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Veja todos os comentários