Galerias e Eventos

Documentário “Kobra Auto Retato” estreia em novembro

Documentário que retrata a trajetória do artista tem direção de Lina Chamie e fotografia de Lauro Escorel

Por Equipe Editorial - novembro 4, 2022
38 0
Pinterest LinkedIn

KOBRA AUTO RETRATO conta a história de um dos artistas de rua mais famosos do mundo, com pinturas em de mais de 30 países. O Documentário narra desde sua infância difícil na periferia de São Paulo fazendo grafiti nas ruas ilegalmente, até pintar mais de 50 murais em Nova York, um artista de sucesso internacional.

Ao explorar sua vida e intimidade, o documentário levanta as questões da violência nas ruas e do preconceito no Brasil. Ao revelar a luta de Kobra como um artista singular, representando tantos artistas, passamos a entender a arte de rua como uma voz política democrática e poderosa.

Nota da diretora de Kobra Auto Retrato

“KOBRA” é um retrato arrojado de um artista de rua, sua história e sua intimidade.

Eduardo Kobra não é uma pessoa fácil, por isso não foi tarefa fácil fazer um filme sobre ele. Quando damos uma primeira olhada em seu trabalho, ele pode não parecer o artista mais intrigante. Por ser um tanto tímido, como ele mesmo diz, resiste a se revelar. Foi exatamente isso que exploramos como principal material para contar sua história e arte. KOBRA AUTO RETRATO propõe uma viagem na noite, na alma do artista, pois é na relutância em se expor que ele se revela do avesso. Demorou um pouco para ganharmos sua confiança e trabalhamos juntos o máximo que pudemos.

O filme é um híbrido entre documentário e ficção, entre realidade e sonho, acontece no reino sombrio da insônia. Ao mesmo tempo, pode-se dizer, é um filme “urgente” pelas questões que seu trabalho levanta, desde as preocupações ambientais e a destruição da Floresta Amazônica, o racismo, os maus-tratos aos animais, o extermínio da população indígena e a indústria e a política das armas.

Kobra Auto Retrato
Artista Eduardo Kobra

KOBRA AUTO RETRATO é um filme que mostra as lutas e a emancipação de um artista. Vemos como ele supera as dificuldades e ganha força e voz própria através do conhecimento do privilégio e da responsabilidade de estar nas ruas levando uma mensagem ascendente de esperança em tempos sombrios.

Ficha técnica

Brasil | 2022 | 84 minutos | colorido | documentário

Roteiro e Direção _ Lina Chamie
Produzido por _ Lina Chamie e Vinícius Pardinho
Produção Executiva _ Vinícius Pardinho e Jefferson Pedace
Direção de Fotografia _ Lauro Escorel, ABC
Montagem _ Lina Chamie
Direção de Produção _ Jefferson Pedace
Som Direto _ Juliano Zoppi
Desenho de Som _ Lina Chamie
Edição de Som e Mixagem _ Pedro Noizyman
Trilha Sonora _ Claude Debussy, Racionais MC’s, Felix Barreira (a.k.a. Gordão), György Ligeti, Steve Reich, Gustav Mahler, O
Grivo, César Franck, Bodes & Elefantes, Piotr I. Tchaikovsky, Iannis Xenakis, DJ Lean Rock, Demigodz
Produção _ Girafa Filmes
Produtora Associada _ Vixi Maria Produções Culturais
Coprodução _ Spcine
Distribuição _ Imovision

Sobre Eduardo Kobra

Kobra, 47 anos, é um expoente da neo-vanguarda paulistana. Começou como pichador, tornou-se grafiteiro e hoje se define como muralista. Seu talento brota por volta de 1987, no bairro do Campo Limpo com o pixo e o graffiti, caros ao movimento Hip Hop, e se espalha pela cidade e pelo mundo. Com os desdobramentos que a arte urbana ganhou em São Paulo, ele derivou – com o Studio Kobra, criado em 95 – para um muralismo original – inspirado em muitos artistas, especialmente os pintores mexicanos e norte-americanos, beneficiando-se das características de artista experimentador, bom desenhista e hábil pintor realista. Suas criações são ricas em detalhes, que mesclam realidade e um certo “transformismo” grafiteiro.

Muitos críticos afirmam que a característica mais marcante de Kobra é o domínio do desenho e das cores. Mas o que é fundamental para o artista é o olhar. Kobra foi desde cedo apresentado às adversidades da vida. Viu amigos sucumbirem às drogas e à criminalidade. Alguns foram presos. Outros perderam a vida. Foi o olhar que o salvou.

Kobra é autor de projetos como “Muro das Memórias”, em que busca transformar a paisagem urbana através da arte e resgatar a memória da cidade; Greenpincel, onde mostra (ou denuncia) imagens fortes de matança de animais e destruição da natureza; e “Olhares da Paz”, onde pinta figuras icônicas que se destacaram na temática da paz e na produção artística, como Nelson Mandela, Anne Frank, Madre Teresa de Calcutá, Dalai Lama, Mahatma Gandhi, Martin Luther King, John Lennon, Malala Yousafzai, Maya Plisetskaya, Salvador Dali e Frida Kahlo. Em meio ao caos urbano, buscou resgatar o patrimônio histórico que se perdeu. Em um contexto repleto de desigualdade social e injustiças, buscou se inspirar em personagens e cenas que servem de exemplo para um mundo melhor.

Hoje, Kobra tem 3.000 murais, em cerca de 35 países e em diversas cidades e estados brasileiros — como “Etnias — Todos Somos Um”, no Rio de Janeiro, “Oscar Niemeyer”, em São Paulo; “The Times They Are A-Changin” (sobre Bob Dylan), em Minneapolis; “Let me be Myself” (sobre Anne Frank), em Amsterdã; “A Bailarina” (Maya Plisetskaia), em Moscou; “Fight For Street Art” Basquiat e Andy Warhol), em Nova York; e “David”, nas montanhas de Carrara. Em todos os trabalhos, o artista busca democratizar a arte e transformar as ruas, avenidas, estradas e até montanhas em galerias a céu aberto. Dois desses murais entraram no Guinness Word Record como o “maior mural do mundo”. Primeiro “Etnias — Todos Somos Um”, no Rio de Janeiro, com cerca de 3.000 metros quadrados e, depois, o “Mural do Chocolate”, localizado na rodovia Castelo Branco, em Itapevi, em São Paulo, com 5.742 metros quadrados.

Inquieto, estudioso e autodidata, também faz pesquisas com materiais reciclados e novas tecnologias, como a pintura em 3D sobre pavimentos. Em 2018, pintou 20 murais nos Estados Unidos, 18 deles em Nova York.

Cada vez mais conhecido, Kobra fica, é claro, orgulhoso quando vê uma multidão que observa um de seus murais, mas costuma dizer que o que o comove de verdade é descobrir alguém que para no meio da correria da cidade para observar, mesmo que por um minuto, os detalhes dessa obra. Apesar dos murais monumentais, Eduardo Kobra faz sua arte para despertar a consciência e a sensibilidade de cada um de nós.

Não foi possível salvar sua inscrição. Por favor, tente novamente.
Sua inscrição foi bem sucedida.

Você quer receber informações sobre cultura, eventos e mercado de arte?

Selecione abaixo o perfil que você mais se identifica.

Inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Veja todos os comentários