Galerias e Eventos

IMS-SP tem mostras de Iole de Freitas, Evandro Teixeira e Helena Almeida em 2023

As exposições acontecem em São Paulo, no IMS Paulista e no Pivô.

Por Equipe Editorial - dezembro 19, 2022
219 0
Pinterest LinkedIn

O IMS (Instituto Moreira Salles) exibirá, no primeiro semestre de 2023, em sua sede de São Paulo, exposições de grandes nomes da fotografia e da arte contemporânea: Evandro Teixeira (1935), um dos principais fotojornalistas brasileiros, Helena Almeida (1934-2018), consagrada artista portuguesa cuja obra investiga as relações entre corpo e imagem, e a escultora e artista multimídia brasileira Iole de Freitas (1945).

Neste período, o IMS apresenta ainda a mostra em celebração aos 10 anos da Bolsa de Fotografia ZUM/IMS, realizada em parceria com o Pivô, espaço cultural localizado no Edifício Copan, no centro de São Paulo. A exposição, que será exibida no Pivô, reunirá obras dos artistas contemplados pela bolsa de fomento à produção de arte contemporânea, criada pelo IMS em 2013.

Como já anunciado, em 2023, o IMS realizará uma reforma em sua sede do Rio de Janeiro para melhor receber os visitantes em exposições e eventos futuros. A casa no bairro da Gávea passará por um restauro, e as reservas técnicas dos acervos serão ampliadas. Durante o tempo necessário para essas obras, o centro cultural permanecerá fechado. Os trabalhos começarão em abril de 2023 e devem se estender por cerca de quatro anos. Até março, o IMS Rio funcionará normalmente, sendo possível visitar a individual do fotógrafo Miguel Rio Branco (1946), em cartaz no centro cultural até 26 de março.

Enquanto a sede do Rio estiver fechada, o IMS pretende assegurar sua presença na capital com programação cultural. Para isso, está mantendo entendimentos com instituições da cidade para firmar parcerias e realizar exposições e eventos. Entre as parcerias já estabelecidas, está a com o Centro Cultural Banco do Brasil Rio de Janeiro, que atualmente apresenta a retrospectiva Walter Firmo: no verbo do silêncio a síntese do grito, exibida em 2022 no IMS Paulista. Após passar pelo CCBB RJ, a mostra segue para a sede do CCBB em Brasília.

O IMS Poços, por sua vez, está fechado atualmente, também para reformas de suas instalações. As obras incluem a instalação de um elevador e a remodelação do auditório, além de adaptações de acessibilidade e segurança. A próxima exposição que o centro cultural apresentará, quando for reaberto aos visitantes, será a Ocupação Coutinho. A mostra aborda os principais aspectos da vida e obra de Eduardo Coutinho (1933-2014), um dos nomes mais importantes do documentário no Brasil. A ocupação é resultado de uma parceria do Itaú Cultural com o IMS, que detém o acervo do cineasta.

IMS
Glass Pieces, Life Slices, 1975. Iole de Freitas/ Acervo da artista

Confira abaixo as sinopses de cada exposição prevista para 2023
 

IMS Paulista, em São Paulo

Individual de Evandro Teixeira
Período expositivo: Março de 2023 – Julho de 2023
Pouco depois do golpe militar de 11/09/1973 no Chile, Evandro Teixeira (Irajuba, BA, 1935) viajou para Santiago enviado pelo Jornal do Brasil. Suas fotografias revelam uma cidade sitiada, ocupada pelas forças militares. Entre os eventos registrados pelo fotógrafo, está o enterro de Pablo Neruda, primeira grande manifestação contra o regime do general Augusto Pinochet. Nesta exposição, serão apresentadas as imagens que Evandro produziu na capital chilena, com destaque para os registros do enterro de Neruda. Em diálogo, serão exibidas fotografias feitas por Evandro durante o regime militar brasileiro, evidenciando a importância do fotojornalismo para a liberdade de expressão e o testemunho da realidade. A curadoria é de Sergio Burgi, com assistência de Alessandra Coutinho Campos.


Individual de Iole de Freitas
Período expositivo: Maio de 2023 – Setembro de 2023
A exposição reúne uma série de trabalhos que Iole de Freitas produziu na década de 1970, pouco vistos pelo público brasileiro, alguns deles inéditos. São fotos e filmes Super 8 e 16 mm dos tempos em que a artista viveu em Milão e Nova York, num momento em que era parte ativa, na Itália, de um ambiente político de grande efervescência política e cultural. A mostra traz também instalações que a artista realizou no período, como as que apresentou em Milão, no Studio Marconi, e em Paris, na Bienal Jovem de 1975. Esses primeiros trabalhos, de uma artista então na casa dos 20 anos, são pela primeira vez apresentados ao público brasileiro num conjunto amplo, abrangente e representativo da produção de Iole naquela década. A curadoria é de Sônia Salzstein, com assistência de Leonardo Nones.

Individual de Helena Almeida
Período expositivo: Junho de 2023 – Setembro de 2023
A exposição Fotografia habitada, antologia de Helena Almeida, 1969-2018 será a primeira individual da renomada artista portuguesa no Brasil. Com curadoria da historiadora da arte portuguesa Isabel Carlos, a mostra apresentará uma seleção de obras que têm como suporte a fotografia e o desenho, realizadas entre 1969 e 2018. Os trabalhos abordam temas recorrentes na produção de Almeida, como a interrogação dos gêneros e dos processos artísticos e a autorrepresentação da artista e da mulher. Em sua produção, mais do que um gênero artístico ou documental, a fotografia é um suporte conceitual das ideias e dos processos da criação. Essa subversão dos limites das definições da obra de arte, além da constante reiteração da sua condição de mulher artista, confere atualidade ao trabalho de Helena Almeida, confirmando a relevância histórica do seu papel numa geração que abriu novos caminhos e processos nos modos de pensar e articular a relação entre a arte e a vida.

IMS Paulista
Avenida Paulista, 2424, São Paulo
Horário de funcionamentoTerça a domingo e feriados (exceto segundas), das 10h às 20h.
Entrada gratuita


Pivô, em São Paulo

Exposição em celebração aos 10 anos da Bolsa ZUM
Período expositivo: Abril de 2023 – Julho de 2023
O IMS apresenta a exposição em celebração aos 10 anos da Bolsa ZUM, com obras dos artistas e coletivos contemplados pela bolsa de fomento à produção contemporânea, criada pelo IMS em 2013. A mostra será realizada no Pivô, em São Paulo, que também comemora 10 anos de existência. A coletiva, que inaugura a parceria entre as duas instituições, reunirá obras inéditas em foto, vídeo e outros suportes para oferecer um panorama da arte produzida no Brasil recentemente. Estarão presentes na exposição obras sobre a história da escravidão, a imigração transatlântica, o racismo, os papéis sociais e de gênero, os limites da loucura, o acesso às cidades. Os artistas participantes são: Aleta Valente, Aline Motta, Bárbara Wagner, Castiel Vitorino, Célia Tupinambá, Coletivo Garapa, Coletivo Trema, Dias & Riedweg, Dora Longo Bahia, Eustáquio Neves, Helena Martins-Costa, Igi Ayedun, João Castilho, Letícia Ramos, Rafael BQueer, Sofia Borges, Tatewaki Nio, Tiago Sant´Ana, Val Souza e Vijai Patchinelaam. A curadoria é de Thyago Nogueira, Daniele Queiroz e Ângelo Manjabosco. As obras da exposição pertencem à Coleção Contemporânea do IMS. Desde 2013, a Bolsa ZUM premia dois projetos artísticos por ano.
 

Pivô
Edifício Copan, loja 54 — Avenida Ipiranga, 200. São Paulo, SP
Horário de funcionamento: Quarta a sábado, das 13h às 19h, e domingo, das 12h às 18h
Entrada gratuita


IMS, no Rio de Janeiro

Exposição “Palavras cruzadas, sonhadas, rasgadas, roubadas, usadas, sangradas
Individual de Miguel Rio Branco
Período expositivo: 19 de novembro de 2022 – 26 de março de 2023
A exposição apresenta a obra de Miguel Rio Branco, um dos principais fotógrafos brasileiros contemporâneos. Com obras produzidas especialmente para a mostra no Instituto Moreira Salles, a seleção é resultado de um mergulho de Rio Branco em seu próprio arquivo. Ao rever sua produção, o artista cria conexões e diálogos entre suas fotografias, atribuindo novos sentidos às imagens. A seleção reúne mais de 200 trabalhos, produzidos desde os anos 1970, quando Rio Branco iniciava as experimentações com a fotografia, até os dias de hoje. As obras tocam em temas caros ao artista, como a sexualidade, a violência, a dor e a solidão. A curadoria é de Miguel Rio Branco e Thyago Nogueira.

IMS Rio
Rua Marquês de São Vicente, 476, Gávea. Rio de Janeiro – RJ
Horário de funcionamento: Terça a sexta-feira das 12h às 18h. Sábados, domingos e feriados, das 10h às 18h.
Entrada gratuita


CCBB RJ

Exposição “Walter Firmo: no verbo do silêncio a síntese do grito”
9 de novembro de 2022 a 27 de março de 2023

A retrospectiva apresenta um panorama dos mais de 70 anos de trajetória do consagrado fotógrafo carioca Walter Firmo. Com curadoria de Janaina Damaceno Gomes e Sergio Burgi e assistência de Alessandra Coutinho Campos, a mostra ocupa todas as salas do segundo andar do CCBB RJ, com 266 fotografias produzidas desde 1950, no início da carreira de Firmo, até 2021. São imagens que retratam e exaltam a população e a cultura negra de diversas regiões do país, registrando ritos, festas populares e religiosas, além de cenas cotidianas. O conjunto destaca a poética do artista, associada à experimentação e à criação de imagens muitas vezes encenadas e dirigidas. Dividida em núcleos temáticos, a mostra traz retratos memoráveis de grandes nomes da música brasileira, como Cartola, Clementina de Jesus e a icônica fotografia de Pixinguinha na cadeira de balanço, além de destacar a importante trajetória de Firmo como fotojornalista e de dedicar uma seção à fotografia em preto e branco do artista, pouco conhecida e, em grande parte, inédita. A mostra é apresentada no CCBB RJ, depois de ter sido exibida com enorme sucesso no Instituto Moreira Salles de São Paulo (IMS Paulista), e marca o início da parceria — inédita — entre as duas instituições. Após passar pelo Rio, a mostra segue para a sede do CCBB em Brasília.

Centro Cultural Banco do Brasil Rio de Janeiro
Rua Primeiro de Março, 66 — Centro. Rio de Janeiro – RJ
Funcionamento: Segunda, quarta a sábado, das 9h às 21h. Domingo, das 9h às 20h. Fechado às terças-feiras.
Classificação indicativa: 14 anos
Entrada franca, com ingressos disponíveis na bilheteria física ou pelo site do CCBB


IMS Poços de Caldas, em Minas Gerais

Ocupação Eduardo Coutinho
Período expositivo: segundo trimestre de 2023
A exposição apresenta os principais aspectos da vida e obra de Eduardo Coutinho (1933-2014), um dos nomes mais importantes do documentário no Brasil, conhecido, sobretudo, por tensionar os limites entre realidade e ficção. A curadoria é da equipe do Itaú Cultural, formada pelos Núcleos de Audiovisual e Literatura e de Memória e Pesquisa, e do jornalista e pesquisador Carlos Alberto Mattos. A Ocupação é resultado de uma parceria do Itaú Cultural com o IMS, que detém o acervo do cineasta. Grande parte dos itens exibidos na mostra, entre documentos e fotografias, provém desse acervo. Há, por exemplo, o roteiro do filme Cabra marcado para morrer, além de vários cadernos com anotações de Coutinho, principal ferramenta usada pelo cineasta na preparação dos filmes.

IMS Poços
Rua Teresópolis, 90. Poços de Caldas – MG
Horário de funcionamento: Terça a domingo e feriados (exceto segundas), das 14h às 19h.
Entrada gratuita


Leia também:
10 exposições imperdíveis para curtir na capital paulista

Não foi possível salvar sua inscrição. Por favor, tente novamente.
Sua inscrição foi bem sucedida.

Você quer receber informações sobre cultura, eventos e mercado de arte?

Selecione abaixo o perfil que você mais se identifica.

Inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Veja todos os comentários