Museu

O que está por trás do aumento nos ingressos de museus italianos

Por Paulo Varella - maio 29, 2023
279 0
Pinterest LinkedIn

Itália anuncia aumento no preço dos ingressos de museus para ajudar a salvar o patrimônio cultural danificado pelas enchentes em Emilia-Romagna. A proposta tem gerado controvérsias, com alguns comentaristas culturais alertando que isso poderia afastar os italianos dos museus.

A medida foi anunciada pelo governo de Giorgia Meloni na terça-feira como parte de um pacote de ajuda de €2 bilhões, enquanto as equipes de emergência em Emilia-Romagna lutavam para salvar as pessoas deslocadas (estimadas em mais de 36.000) e também obras de arte, estátuas, livros históricos, prédios históricos e sítios arqueológicos das enchentes. Proposto por Gennaro Sangiuliano, ministro da cultura, o aumento no preço dos ingressos será aplicado nos museus estatais de 15 de junho a 15 de setembro. O governo não indicou o valor que a medida espera arrecadar.

Críticos afirmam que essa ação desencorajará os italianos com menos recursos financeiros a visitarem os museus. “Eu não acredito que essa política seja correta, principalmente devido a uma clara falta de igualdade social”, afirmou Giuliano Volpe, professor de arqueologia da Universidade de Bari e ex-assessor de Dario Franceschini, ex-ministro da cultura, ao The Art Newspaper. “O país deveria estar ajudando os jovens e os desempregados.”

Apenas 21,8% dos homens italianos visitaram um museu em 2022, em comparação com 23,3% das mulheres, de acordo com a agência de estatísticas ISTAT. Para evitar uma redução ainda maior no número de visitantes, Volpe argumenta que o governo deveria buscar os recursos por meio de outras fontes, como a loteria. “Esses aumentos nos preços fazem parte de uma lógica mais ampla que está surgindo no ministério, que favorece o aumento dos ingressos de museus”, ele afirmou.

Vittorio Sgarbi, subsecretário do ministério da cultura, também criticou a medida. “Dar liberdade aos visitantes [para visitarem museus] seria mais valioso do que aumentar o preço dos ingressos”, disse ele na terça-feira durante o programa de notícias Tagadà. Sgarbi tem defendido repetidamente a gratuidade de entrada nos museus nos últimos meses, uma medida que Sangiuliano argumentou ser economicamente insustentável.

No entanto, outros têm apoiado o aumento de preço. “Essa contribuição de todos poderia realmente resolver uma situação dramática”, disse Giordano Bruno Guerri, presidente da Fondazione Vittoriale (que administra a antiga casa do poeta Garbiele D’Annunzio) ao jornal Il Fatto Quotidiano. Em entrevista à mesma publicação, Caterina Bon Valsassina, ex-diretora de pesquisa e educação do ministério da cultura, elogiou o governo por introduzir decisivamente a medida.

A extensão dos danos ao patrimônio em Emilia-Romagna tem se tornado mais clara nos últimos dias, com Lucia Borgonzoni, subsecretária do ministério da cultura, lançando uma pesquisa dos locais na área

Não foi possível salvar sua inscrição. Por favor, tente novamente.
Sua inscrição foi bem sucedida.

Você quer receber informações sobre cultura, eventos e mercado de arte?

Selecione abaixo o perfil que você mais se identifica.

Estudou cinema na NFTS (UK), administração na FGV e química na USP. Trabalhou com fotografia, cinema autoral e publicitário em Londres nos anos 90 e no Brasil nos anos seguintes. Sua formação lhe conferiu entre muitas qualidades, uma expertise em estética da imagem, habilidade na administração de conteúdo, pessoas e conhecimento profundo sobre materiais. Por muito tempo Paulo participou do cenário da produção artística em Londres, Paris e Hamburgo de onde veio a inspiração para iniciar o Arteref no Brasil. Paulo dirigiu 3 galerias de arte e hoje se dedica a ajudar artistas, galeristas e colecionadores a melhorarem o acesso no mercado internacional.

Inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Veja todos os comentários