À venda

Conexões

Cláudia Seber. Conexões

Claudia SeberSeguir

Categoria ,
Ano da Obra 2019
Tamanho 40 x 40 x 40
Valor Estimado R$ 650

Conexões

A obra de arte evoca sentimentos por parte do observador e por ser mais sentida do que conceitualizada, suas imagens transmitem percepções ricas em sensibilidade que dispensam a razão.

Fundir-se ao mundo da matéria, transformá-lo e fazer emergir conteúdos e conceitos humanos é o cerne de meu trabalho. A linguagem estética é uma vertente universal e atemporal que ultrapassa as barreiras materiais, unindo os homens naquilo que os caracteriza e conforma enquanto seres humanos.

A escultura Conexões fala de pessoas e de caminhos a serem percorridos; de buscas. Fala de solidão, parcerias e do contínuo movimento do pulsar da vida.  Terrena ou celeste, ela invariavelmente nos une e nos conduz por distintos caminhos na busca de nossas realizações. Coexistimos em cores e formas variáveis e preenchemo-nos com diferentes materiais, representados pelos objetos inseridos nas mangueiras.

De nossa procedência, pouco sabemos, mas o fluxo incessante da vida – de início, fim e recomeço – constitui o círculo e unicidade de nossa existência.


Materiais

  • mangueiras;
  • anel de rolamento;
  • funil de ferro;
  • cobre;
  • latão;
  • sucatas;
  • vidro;
  • cotovelos de cobre

Claudia Seber

Claudia Seber

Claudia Seber é uma artista brasileira, nascida em São Paulo no ano de 1968. Terapeuta Ocupacional de formação sempre teve a Arte como premissa de suas atuações profissional e pessoal. Em meados dos anos 90 iniciou um curso de joalheria autoral e em um curto espaço de tempo passou a dedicar-se integralmente a essa arte desenvolvendo projetos e ministrando aulas.

Suas esculturas surgiram com a ideia de mesclar a técnica da joalheria e o refugo da produção de joias, a diversos e inusitados tipos de metais recolhidos aleatoriamente pelas ruas e caçambas da cidade de São Paulo. Uniram-se a essa lista, vidro, mármore, madeira, enfim todo e qualquer material utilizado na composição artística das esculturas. O cerne da produção não é a reciclagem, mas a ressignificação do mundo material compondo-o estética e simbolicamente.

Compreender a Arte enquanto um canal de expressão e ressignificação também pessoal foi o ponto de partida para a artista iniciar sua pós-graduação em Arteterapia e Psicologia Analítica e assim ampliar e concretizar seu desejo de um projeto de Oficinas Criativas.

A presença em diversas exposições na cidade de São Paulo e finalista em seu primeiro concurso de Arte Design, Reflexão Arte Hoje (2017) alimentaram o gosto pelo estudo e pesquisa de novos materiais. A premissa da formação artística aliada a curiosidade, persistência, mas sobretudo à sensibilidade e reverência à Arte somam-se em seu trabalho.


Exposições Coletivas

  • 2020 | SÃO PAULO E SUA MULTIDIVERCIDADE – Espacio Uruguay – São Paulo, BR
  • 2019 | SALON INTERNATIONAL d’ART CONTEMPORAIN – Le Carrousel du Louvre/Vivemos Arte – Paris, França
  • 2019 | APRILIS – Espacio Uruguay – São Paulo, BR
  • 2019 | ELEMENTOS – Apfel – São Paulo, BR
  • 2019 | ARTE E MULHER – Galeria Art Lab – São Paulo, BR
  • 2019 | SP INSPIRA ARTE – Galeria Art Lab – São Paulo, BR
  • 2018 | PORTFÓLIO – Galeria Art Lab – São Paulo, BR
  • 2017 | Exposição dos Finalistas do Concurso REFLEXÃO ARTE HOJE (Obra Álamo) – Shopping D&D  – São Paulo, BR

Instagram: @claudiaseber

Conexões

Cláudia Seber. Conexões

A obra de arte evoca sentimentos por parte do observador e por ser mais sentida do que conceitualizada, suas imagens transmitem percepções ricas em sensibilidade que dispensam a razão.

Fundir-se ao mundo da matéria, transformá-lo e fazer emergir conteúdos e conceitos humanos é o cerne de meu trabalho. A linguagem estética é uma vertente universal e atemporal que ultrapassa as barreiras materiais, unindo os homens naquilo que os caracteriza e conforma enquanto seres humanos.

A escultura Conexões fala de pessoas e de caminhos a serem percorridos; de buscas. Fala de solidão, parcerias e do contínuo movimento do pulsar da vida.  Terrena ou celeste, ela invariavelmente nos une e nos conduz por distintos caminhos na busca de nossas realizações. Coexistimos em cores e formas variáveis e preenchemo-nos com diferentes materiais, representados pelos objetos inseridos nas mangueiras.

De nossa procedência, pouco sabemos, mas o fluxo incessante da vida – de início, fim e recomeço – constitui o círculo e unicidade de nossa existência.


Materiais

  • mangueiras;
  • anel de rolamento;
  • funil de ferro;
  • cobre;
  • latão;
  • sucatas;
  • vidro;
  • cotovelos de cobre