À venda

Dixit Dominus Handel

Viana Escultor. Dixit Dominus Handel

Viana EscultorSeguir

Categoria
Ano da Obra 2019
Tamanho 50 x 34 x 5

Dixit Dominus Handel

Dixit Dominus Handel é uma obra de Viana Escultor, músico de formação que vem desenvolvendo sua carreira como artista plástico desde 2018.

Ele possui grandes resultados na escultura expressionista, que apresenta um caráter fortemente visceral e criou uma linguagem própria com muita personalidade, encontrando um equilíbrio técnico surpreendente em seus trabalhos.

  • Escultura em bronze e madeira
  • Múltiplo de 50 (4 vendidos)

Sobre a série Handel

“Ao me deparar com o desafio de transformar o tema “Handel” para o 3o. programa da temporada de concertos 2019 da Orquestra Arte Barroca em uma imagem, logo me apeguei ao contexto descritivo dos salmos religiosos do oratório deste repertório: Dixit Dominus Handel.

Pensei inicialmente em algo suntuoso, vivo e brilhante. Porém, durante uma visita a Porto Alegre em julho de 2019, algumas imagens me fizeram refletir.

Com raras exceções de lugares bem cuidados, o que me chamou mais a atenção foram as praças e esculturas depredadas e abandonadas com pessoas igualmente largadas a própria sorte. 

Cenas de miséria que eu não imaginava ver no Sul do Brasil. Sempre me passaram uma ideia de que o Sul do Brasil era mais avançado e rico do que outras regiões.

Resolvi então representar este abandono humano nas figuras religiosas, aproximando estes símbolos religiosos à semelhança da condição destas pessoas.

A falta de partes destas esculturas representam a mutilação do ser humano e o abandono das esculturas públicas. Ou talvez o contrário? Representa a minha indignação perante esta política pública insana de terra arrasada que estamos vivendo”.

Viana Escultor

Viana Escultor

Mauro Rego Viana, Viana Escultor, é natural de São Paulo – SP – Brasil. Estudou no Instituto de Artes da Unesp de 1990 a 1993. É músico de formação e desde 2018 vem desenvolvendo sua carreira como escultor.

Estudou com o escultor Gutê desde 2017.

Em 2019 realizou suas primeiras exposições junto aos concertos da Orquestra Arte Barroca: Igreja São Luís, na Av. Paulista, Igreja Presbiteriana Jardim das Oliveiras, na Alameda Jaú, Espaço Cachuera, no bairro de Perdizes e na Sociedade Antroposófica no Brasil, no bairro Alto da Boa Vista. Todos na capital de São Paulo.

Em 2020 expôs no Museu Municipal de Arujá – SP.

Seu ateliê fica no sítio Dois Meninos no município de Igaratá – SP. Em 2021 devido a pandemia de Covid-19 encontra-se em São Paulo no bairro do Planalto Paulista onde tem trabalhado, gravado vídeos (YouTube: vianaescultor) e exposto seu trabalho.

Na ocasião da exposição do 3o. programa da temporada 2019 da Orquestra Arte Barroca com ilustrações de suas obras (Salve Regina Handel, Nisi Dominus Handel e Dixit Dominus Handel), o escultor Gutê o citou:

“Viana, uma grata surpresa. Durante a minha longa trajetória como mestre de escultura já tive centenas de alunos, e poucos, como ele, atingiram resultado satisfatório no difícil caminho da escultura optando pelo expressionismo, onde o caráter da obra é visceral. Viana criou uma linguagem própria com muita personalidade e encontrou um equilíbrio técnico nestas obras que surpreendeu-me.”


Intagram: @vianaescultor

Dixit Dominus Handel

Viana Escultor. Dixit Dominus Handel

Dixit Dominus Handel é uma obra de Viana Escultor, músico de formação que vem desenvolvendo sua carreira como artista plástico desde 2018.

Ele possui grandes resultados na escultura expressionista, que apresenta um caráter fortemente visceral e criou uma linguagem própria com muita personalidade, encontrando um equilíbrio técnico surpreendente em seus trabalhos.

  • Escultura em bronze e madeira
  • Múltiplo de 50 (4 vendidos)

Sobre a série Handel

“Ao me deparar com o desafio de transformar o tema “Handel” para o 3o. programa da temporada de concertos 2019 da Orquestra Arte Barroca em uma imagem, logo me apeguei ao contexto descritivo dos salmos religiosos do oratório deste repertório: Dixit Dominus Handel.

Pensei inicialmente em algo suntuoso, vivo e brilhante. Porém, durante uma visita a Porto Alegre em julho de 2019, algumas imagens me fizeram refletir.

Com raras exceções de lugares bem cuidados, o que me chamou mais a atenção foram as praças e esculturas depredadas e abandonadas com pessoas igualmente largadas a própria sorte. 

Cenas de miséria que eu não imaginava ver no Sul do Brasil. Sempre me passaram uma ideia de que o Sul do Brasil era mais avançado e rico do que outras regiões.

Resolvi então representar este abandono humano nas figuras religiosas, aproximando estes símbolos religiosos à semelhança da condição destas pessoas.

A falta de partes destas esculturas representam a mutilação do ser humano e o abandono das esculturas públicas. Ou talvez o contrário? Representa a minha indignação perante esta política pública insana de terra arrasada que estamos vivendo”.