À venda

Maschinenmensch

Maschinenmensch

Maschinenmensch é uma obra do artista Marcelo Weiss.

O Movimento Bauhaus, que influenciou as mais diversas artes, além da arquitetura, completou 100 anos de sua criação por Walter Gropius em 2019. Iniciado na arquitetura, seu design minimalista e formas geométricas puras se espalharam pelas mais diversas áreas. Acabou sendo uma forte influência no cinema, no filme Metropolis de Fritz Lang, lançado em 1927, sendo um dos primeiros filmes de ficção científica. Brigitte Helm que interpretou a protagonista Maria e Maschinenmensch/Falsa Maria, máquina clonada em sua aparência, tem uma atuação fantástica nessa transformação, passando da doce Maria ao frio Maschinenmensch (Homem-máquina na tradução literal do alemão). Esta foto traz uma releitura do momento da transformação Maria/Maschinenmensch.

Obra em exposição no DaVivere Campos do Jordão


Declaração de Artista

Sempre gostei de produzir imagens que levem a beleza ao encontro do observador. A fotografia é, acima de tudo, desenhar com a luz, explorando as formas, sombras e cores (ou não) como veículo da plasticidade e o impacto de sentimentos.

Comecei a fotografar muito novo, aprendendo com meu avô as técnicas e a beleza da fotografia. Me profissionalizei aos 19 anos, fotografando para moda e publicidade. Como minha formação inicial foi na Arquitetura, sempre me encantei com com as formas, luzes, sombras e na fotografia essa expressão pode tocar os sentimentos.

O ponto central das minhas fotos tem sido a busca pelo sentimento transmitido de forma plástica ao observador. A história de cada momento congelado no tempo conta o que cada personagem significa e impacta no mundo, seja no presente, passado ou futuro.

Marcelo Weiss

Marcelo Weiss artista

Marcelo Weiss começou a fotografar aos 11 anos, incentivado e orientado por seu avô, um industrial que tinha muito mais do que um hobby na arte da fotografia.

Profundo conhecedor de fotografia analógica, processos e desenvolvimento, ele usou essa base de conhecimento para aprimorar e desenvolver suas próprias técnicas em fotografia digital.

Trabalhou ao longo de sua carreira como fotógrafo de moda, publicidade e marketing para grandes empresas e inúmeras campanhas. Sempre atraído pela forma e pela luz, estudou ilustração na Escola Panamericana de Artes e Arquitetura de nível superior, embora sempre tenha trabalhado em Publicidade.

Nas suas viagens teve grande contato com outras culturas, aproveitando as oportunidades para explorar estes universos, quer ainda jovem em locais tão diferentes como o Marajó ou São Paulo, seguindo com especial interesse pelas culturas africanas em Moçambique, Angola, Zimbabué e São Tomé e Príncipe, capturando ricas culturas através de suas lentes, trazendo uma visão ainda inexplorada aos olhos do espectador.