Arte no Mundo

15 casas de artistas que você pode visitar e não sabia (Parte 1)

Por Luiza Testa - abril 7, 2016
4218 0
Pinterest LinkedIn

Nada guarda tanta intimidade quanto a casa de alguém da porta para dentro. Conhecer o local onde nasceu ou viveu um artista admirado é sempre uma experiência memorável, através da qual é possível compreender melhor sua obra e acessar o lado humano de quem, muitas vezes, só se conhece o lado sobrenatural.

 

Por isso, listamos abaixo algumas das casas dos artistas que se mantêm conservadas e abertas a visitas:

1- Auberge Ravoux ou A Casa de Van Gogh (Auvers-sur-Oise, França)

A casa de Van Gogh
(Imagem:wikipedia)

O pequeno quarto alugado por 3,50 Francos por dia no Auberge Ravoux foi o último lugar habitado por Van Gogh. O local segue preservado e funciona como restaurante – que já existia nos tempos do pintor. Além de visitar o quarto intacto de Van Gogh, é possível jantar no local e fazer um tour pela pequena cidade de Auvers-sur-Oise (30 quilômetros ao Norte de Paris), seguindo os passos do artista.

 

2- A Casa Azul ou Museo Frida Kahlo (Coyoacán, México)

Casa azul de Frida
(Imagem: site Ciudad de Mexico)

 

A famosa casa azul onde Frida Kahlo viveu durante sua infância e depois também durante a vida adulta até a sua morte tornou-se um museu completo, com direito a lojinha e café. A visita à Casa Azul é imprescindível para que se entenda a profunda relação de Frida com o ambiente ao seu redor, já que mantém a arquitetura e decoração preservadas, roupas e diversas de suas obras.

 

3 – Casa de Vidro de Lina Bo Bardi (São Paulo, Brasil)

Casa de Vidro de Lina Bo Bardi
(Imagem: Archdaily)

A casa de arquitetura primorosa – como já era de se esperar – foi o primeiro projeto construído de Lina Bo Bardi e onde a arquiteta ítalo-brasileira viveu com seu marido. Abriga, atualmente, o Instituto Lina Bo e P.M. Bardi. Ali, está guardado o acervo de Lina Bo e funciona também uma biblioteca, além de receber eventos sobre arquitetura, design e arte no geral. A visita deve ser agendada.

 

4 – Fondation Claude Monet (Giverny, França)

Fondation Claude Monet (Giverny, França)
Fondation Claude Monet (Giverny, França) Imagem: Wikipedia

Em Giverny é impossível não respirar Monet. Na pequena vila, a 75 quilômetros de Paris, encontra-se um verdadeiro parque dedicado ao impressionista. Ali, é possível passear pelos jardins eternizados em diversas obras de Monet, conhecer sua casa, seu estúdio e sua coleção de estampas japonesas.

 

5 – Museo Casa Natal ou Fundación Picasso (Málaga, Espanha)

Museo Casa Natal ou Fundación Picasso (Málaga, Espanha)
Museo Casa Natal ou Fundación Picasso (Málaga, Espanha) – imagem: wiki commons

A casa onde nasceu Pablo Picasso foi declarada Monumento Histórico-artístico de Interesse Público me 1983, 10 anos após a morte do pintor. Dividida em cinco salas, na casa é possível reviver, por exemplo, a sala da família Ruíz Picasso, destinada a receber os amigos. Toda a visita remonta à genealogia do artista através de seus pais e de sua cidade de origem chegando até a exibição de suas obras.

 

6 – Casa Münter ou Russenhaus (Murnau, Alemanha)

Casa Münter ou Russenhaus, Murnau, Alemanha (Imagem: site Murnau)
Casa Münter ou Russenhaus (Murnau, Alemanha)

Entre 1909 e 1914, o casal Gabriele Münter e Wassily Kandisky passou os verões em uma casa na cidade de Murnau, a 70 quilômetros de Munique.  Foi no porão da Casa Münter que importantes obras de Kandinsky sobreviveram à Segunda Guerra Mundial e é na mesma casa que estão expostos, após uma extensa reforma, diversos quadros tanto de Kandinsky quanto de Münter, que continuou morando na casa após a separação do casal, até sua morte.

 

7 – Edward Hopper House Art Center (Nyack, Estados Unidos)

Edward Hopper House Art Center (Nyack, Estados Unidos)
Edward Hopper House Art Center (Nyack, Estados Unidos) Imagem: Museum Chick

Edward Hopper nasceu em uma casa construída por seu avô em Nyack, no estado de Nova York. Dali, saiu para estudar na New York School of Arts, e permaneceu na metrópole pelo resto da vida, porém sem deixar de visitar sua família na casa onde nasceu. Em 1965, após a morte de Marion, irmã de Hopper, a  casa deixou de ser cuidada e quase foi demolida. Felizmente, em 1971, tornou-se um Centro de Arte sem fins lucrativos e que, além de exibir obras e memorabilia de Hopper, também apresenta outros artistas contemporâneos. Aos artistas, um aviso: por 450 dólares mensais, é possível alugar um estúdio dentro da casa de Hopper.

(Continua no próximo post….)

 

Não foi possível salvar sua inscrição. Por favor, tente novamente.
Sua inscrição foi bem sucedida.

Você quer receber informações sobre cultura, eventos e mercado de arte?

Selecione abaixo o perfil que você mais se identifica.

Inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Veja todos os comentários