Arte no Mundo

Li Wei e a arte da ilusão

Por Paulo Varella - abril 9, 2012
2619 0
Pinterest LinkedIn

Li Wei (nascido em 1970, Hubei, China) é um artista contemporâneo de Pequim, China. Seu trabalho muitas vezes o retrata em situações aparentemente desafiadoras da gravidade. Wei começou sua série de performances, Mirroring, e mais tarde chamou a atenção com sua série Falls, que mostra o artista com a cabeça e o peito enterrados no chão.

Seu trabalho é uma mistura de arte performática e fotografia que cria ilusões de uma realidade às vezes perigosa. Li Wei afirma que essas imagens não são montagens de computador, mas que ele usa espelhos, fios de metal, andaimes e acrobacias.

Os trabalhos de Wei foram publicados na capa das seguintes revistas: Flash Art, Work, Magazin-Frankfurter Rundschau, Out of the Red, Zoom, Juliet, Contemporary, Theatre Forum, NY Arts, Fine Arts Literature, Lapiz e Arte Al Limite.

Li Wei

Para conseguir esses efeitos eles usa espelhos, cabos de aço, lentes especiais e acrobacias.

Li Wei

Li Wei cresceu sendo filho de um agricultor e queria se tornar um artista para uma carreira. Com o apoio da família, ele teve o privilégio especial de estudar em uma escola particular de artes até se cansar da abordagem tradicional de ensino da escola. No entanto, a luta de Li Wei com a arte não terminou cedo em sua vida.

Depois que Li Wei se tornou independente, ele teve que trabalhar em vários empregos (entrega de comida e governanta) em Pequim para se sustentar; mas mais importante, ele precisava de dinheiro para fornecer suas obras de arte (na época pintando) para que ele pudesse continuar trabalhando em direção ao seu sonho. Depois que Li Wei começou sua carreira como artista trabalhando com tinta, Li Wei percebeu uma nova paixão e quis se especializar em uma forma diferente de arte.

Em 1999, ele acreditava que “só a performance art oferece a chance de experimentar a mensagem de uma ação através do próprio corpo”. Desde então, Li Wei tem sido intencional sobre suas peças de arte e deseja expressar seu trabalho publicamente com uma mensagem por trás de cada peça de arte. Li Wei tem expressado sua arte capturando fotos de seu próprio corpo e imagens de si mesmo para transmitir uma mensagem ao seu público.

Mas antes de se tornar fotógrafo, Li Wei começou como artista performático simplesmente porque queria documentar suas performances. Em entrevista Li Wei afirma: “Quando comecei a fazer isso, era 2000, eu só usava a fotografia para registrar o procedimento da minha arte performática. Então, depois da série ‘Li Wei cai em…’, encontrei esta maneira de atirar como meu sinal.”

E desde então Li Wei já se apresentou por mais de 150 tiros e muitos desses tiros arriscaram sua vida. O próprio Li Wei admite que fotografa em situações extremamente perigosas e acha que a criação de sua obra de arte não é um desafio tão grande quanto estar na situação perigosa para seus tiroteios de performance. Alguns desses cenários perigosos incluem tiros em prédios altos, lagos, buracos de gelo e até mesmo através do para-brisa de uma guerra.

A ascensão de Li Wei à fama se deu por meio de sua atuação na série “Falls”, na qual ele se coloca no grupo como um míssil. Através desta performance ele queria transmitir o desejo do homem moderno de se esconder dos problemas que ocorrem diariamente.

A arte de Li Wei é um processo difícil. Em peças como “Li wei cai no buraco de gelo”, sua cabeça está plantada e invisível, enquanto seu corpo permanece rígido e ereto. Essas fotos são chocantes e deixam o espectador intrigado com sua conquista. Wei tem um talento especial para criar arte catalítica que impressiona e intriga as pessoas afortunadas o suficiente para encontrá-la. Muitas das fotos de Wei têm significados em camadas, demonstrando vários aspectos da sociedade chinesa. Em “Li Wei’s Body of Art”, de Julie Segraves, Wei comenta sua série “Falls”, na qual demonstra o choque da progressão social.[7]

Muitos dos trabalhos de Li Wei são feitos através do uso de espelhos. O espelho geralmente continha um buraco no meio para Li Wei inserir sua cabeça. Com esta técnica, Li Wei é capaz de criar “sobreposições e fusões ilusórias”. Dentro da cultura chinesa o espelho possui um grande significado simbólico. O espelho é um indicador da verdade, permitindo que as pessoas olhem para si mesmas e vejam os erros que cometeram na vida. Além disso, há um provérbio chinês que diz “tome a história como um espelho”, o que significa que coisas que ocorreram ao longo da história ocorrerão novamente e é essencial que os indivíduos reconheçam os erros cometidos por pessoas no passado e reajam de maneira diferente quando problemas semelhantes surgirem. novamente.

A sua arte pode parecer bem-humorada, mas aborda uma ampla gama de tópicos, desde relações de gênero até política. Ao criar arte através de espelhos, ele conseguiu expressar seus pensamentos pessoais, experiências e abordar alguns problemas sociais que ocorrem em nossas vidas diárias.[9] Wei foi capaz de desafiar a percepção do público de ‘realidade’ e ‘verdade’ com seu trabalho.[10]

O tiroteio real para sua arte leva cerca de uma ou duas horas, mas o tempo de preparação é muito maior. Wei pode se inspirar com uma ideia, uma imagem em sua cabeça que ele quer representar na vida real, mas pode levar muitos meses até que ele realmente coloque sua ideia em realidade. Além disso, Wei espera poder um dia atirar na lua com um foguete. O objetivo do artista é “tornar possível tudo o que é impossível.”

Ele é um artista com visão de futuro com novas ideologias. Em uma entrevista com ‘The Creators Project’ Wei faz o ponto interessante de que “todos somos controlados por outra pessoa. Nossos pensamentos e ações são todos controlados por uma força invisível”. O que Wei está apontando aqui é que existe uma força externa que dita a nós e nossos comportamentos. Além disso, Wei menciona as rápidas mudanças que ocorreram na China na última década. Como cidadão de Pequim, Wei experimentou plenamente a rápida mudança na economia chinesa e o crescimento exponencial em todos os tipos de mercados na China. A preocupação de Wei com o rápido crescimento foi o confinamento do espaço devido

Site do artista: http://www.liweiart.com/index.htm

Não foi possível salvar sua inscrição. Por favor, tente novamente.
Sua inscrição foi bem sucedida.

Você quer receber informações sobre cultura, eventos e mercado de arte?

Selecione abaixo o perfil que você mais se identifica.

Artigo anterior
Próximo artigo

Estudou cinema na NFTS (UK), administração na FGV e química na USP. Trabalhou com fotografia, cinema autoral e publicitário em Londres nos anos 90 e no Brasil nos anos seguintes. Sua formação lhe conferiu entre muitas qualidades, uma expertise em estética da imagem, habilidade na administração de conteúdo, pessoas e conhecimento profundo sobre materiais. Por muito tempo Paulo participou do cenário da produção artística em Londres, Paris e Hamburgo de onde veio a inspiração para iniciar o Arteref no Brasil. Paulo dirigiu 3 galerias de arte e hoje se dedica a ajudar artistas, galeristas e colecionadores a melhorarem o acesso no mercado internacional.

Inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Veja todos os comentários