Curiosidades

Lavagem de dinheiro: Como a arte tem sido usada neste esquema

Por Equipe Editorial - abril 29, 2020
6348 0
Pinterest LinkedIn

Lavagem de dinheiro no mundo das artes é algo que todos sabemos que acontece. Nesta matéria vamos explicar mais detalhadamente, como isto é feito.

Uma obra de arte cara pode ser usada para transferir dinheiro através da fronteira e ocultar ganho ilícito.

Esse tipo financeiro de hiper-capitalimo é o terreno perfeito para a atividade criminosa de colarinho branco. Dinheiro obtido ilegalmente – de fraude, desfalque, suborno, etc. – precisa de um esconderijo. E depositar quantias enormes de dinheiro em uma conta pode servir de alerta para a Receita. Por isso, criminosos desenvolvem alternativas sofisticadas para fazer o dinheiro parecer lícito.

NOTA: Este é um texto em tom sarcástico. Em momento algum o arteref.com e seus participantes apoiam ações que sejam ilegais.

Para aqueles que procuram um esquema de lavagem de dinheiro bom, você pode querer considerar se tornar um colecionador de arte. Certo, a arte parece agradável, mas é também um grande lugar para ricos estacionarem dinheiro. O mercado é relativamente estável e é muito fácil evitar o pagamento de impostos sobre a arte.

“Quem recebe dinheiro ilegal adquire a obra de arte para não chamar atenção, pois poucos conhecem arte de verdade, ainda mais arte moderna. Uma obra de arte muitas vezes não carrega sinais exteriores de riqueza. A pessoa pode ter um monte de obras de arte em casa e ninguém percebe que ela é milionária ou bilionária, dependendo do valor das obras.” (Desembargador federal brasileiro Fausto Martin De Sancti, que pesquisou o tema durante seis meses nos Estados Unidos)

Em 2013, um caso de lavagem surgiu quando uma pintura de Jean-Michel Basquiat, no valor de US $ 8 milhões, foi encontrada em uma caixa no Aeroporto Kennedy a caminho de Londres. A caixa passou pela alfândega com uma avaliação de US $ 100, embora continha a pintura de Basquiat, em 1982, Hannibal (mercadorias com valor inferior a US $ 200 não precisam ser declaradas na alfândega).

Hannibal Jean Michel Basquiat: lavagem de dinheiro
Hannibal, Jean Michel Basquiat

A pintura foi comprada e expedida pelo banqueiro brasileiro Edemar cid Ferreira em uma elaborada lavagem de mais de US $ 50 milhões obtidos ilegalmente, quando o banco de Ferreira, o Banco Santos, faliu. Em 2004, Ferreira ficou com US $ 1 bilhão em dívidas depois que seu império financeiro, grande parte do qual foi construído sobre fundos desfalcados, desmoronou. Durante seu reinado sobre o Banco Santos, ele havia comprado 12 mil peças de arte.

Em 2006, Ferreira foi condenado a 21 anos de prisão por fraude bancária, evasão fiscal e lavagem de dinheiro. Mas antes de sua prisão, US $ 30 milhões de sua coleção de arte foi contrabandeado para fora do Brasil. O esquema foi descoberto quando ele foi encontrado nos Estados Unidos. De acordo com documentos do tribunal, a pintura foi originalmente comprada por US $ 1 milhão em 2004 por uma empresa panamenha chamada Broadening-Info Enterprises, que mais tarde foi descoberta como propriedade da esposa de Ferreira, Márcia.

Assim, para aqueles de vocês interessados em lavagem de dinheiro através da arte em um futuro próximo, aqui vai um guia prático:


1- Obter quantidades obscenas de dinheiro ilegalmente

  • Vamos deixar você usar sua própria criatividade sobre este.
  • Se você não conseguir idéias, pergunte a um congressista talvez.

2- Smurf o dinheiro

  • De acordo com a ex-consultora Beth Fiore, as pessoas normalmente não compram arte com dinheiro nos EUA. “Pagamentos em dinheiro para arte acontecem na Rússia e no Oriente Médio” mais frequentemente. Então, se você está mantendo a sua fortuna sob o seu colchão e não vive em qualquer um desses lugares, você precisará obter o seu dinheiro em uma conta bancária sem alertar as autoridades.
  • Uma maneira é fazendo um smurfing. Apesar da imagem mental de um personagem de desenho animado azul montando uma prancha de surfe, smurfing significa depositar dinheiro em uma conta bancária ou várias contas bancárias dividindo em muitas pequenas quantidades, depositando em diferentes momentos, por pessoas diferentes.
  • Os bancos no Brasil devem relatar quaisquer depósitos igual ou acima de R$ 10.000 para a Receita, portanto, a fim de permanecerem sorrateiros, você precisará fazer uma série de depósitos que são inferiores a esse valor.
  • Você pode contratar “smurfs” para ajudá-lo, que são muitas vezes pessoas comuns dispostos a fazer um dinheirinho extra, abrindo uma conta bancária conjunta em seu nome, que você ou sua empresa tem acesso e depositar dinheiro nele todos os dias.
Smurfete brava fazendo lavagem.
lavagem de dinheiro no mundo das artes
Smurfete brava fazendo lavagem.

3- Transferir o dinheiro para uma conta offshore

  • Abrir uma conta bancária estrangeira em um paraíso fiscal como a Suíça ou as Ilhas Cayman. Os bancos nesses países não são obrigados por lei a entregar informações sobre sua conta a ninguém sem seu consentimento.
  • Se você abrir o que é chamado de “conta numerada” em um banco suíço privado como o Union Bank of Switzerland ou Credit Suisse Group, um número ou nome de código será associado à conta, em vez de seu nome.
  • Para abrir uma conta numerada, você provavelmente vai precisar viajar para a Suíça para fazê-lo, embora se isso é impossível, existem empresas que ajudam as pessoas a criar contas bancárias off-shore que podem ajudá-lo.
  • Você provavelmente vai precisar fazer um depósito inicial de pelo menos US $ 100.000 para abrir a conta, que custará cerca de US $ 300 por ano para manter.

4- Encontrar alguma arte: a arte digital em particular pode ser uma idéia boa, a longo prazo.

  • Enquanto praticamente toda a arte pode ser escandalizada, alguns são mais suscetíveis a intrigas do que outras. O artista digital Daniel Temkin ressalta que a arte digital, que não precisa ser embarcada ou armazenada porque não tem manifestação física, é particularmente madura para o seu negócio arriscado.
  • Para tornar mais fácil para você, Temkin criou uma “casa de leilões on-line, oferecendo net arte de artistas de renome internacional e seus imitadores” chamado NetVVorth. O experimento de arte / criminal-in-cheek criminais recursos hospeda uma série de obras falsas criadas por legítimos net artistas.
  • “A coleção é oferecida para expor net art como um investimento viável para colecionadores sérios, estabelecendo um mercado de sombra, provando sua capacidade de esconder lucros ilícitos e transferi-los facilmente em todo o mundo. Todas as obras são fornecidas com documentos de proveniência. Todas as vendas estão em Bitcoin.
  • O verdadeiro falsificador é identificado apenas para o proprietário da peça.
Mario Clouds Not Bootleg V1. lavagem de dinheiro
lavagem de dinheiroMario Clouds Not Bootleg V1. Uma variação das nuvem de Super Mario de Cory Arcangel. Está disponível no site NetVVorth

5- Compre a arte e seja sorrateiro

  • Para acessar o dinheiro que você tem escondido em uma conta offshore, use o cartão de crédito que o banco lhe fornece.
  • Você também pode ligar uma galeria ou dinheiro de casa de leilão diretamente de sua conta bancária para deles. Isso pode se dar ao fato de que você tem uma conta externa, mas o nome do banco provavelmente será a única informação dada.
  • Edward Winkleman nos diz que “transferência de título para arte digital acontece com uma fatura. O colecionador geralmente recebe um certificado de autenticidade, que é necessário se eles nunca quiserem revender ou doar o trabalho para um museu. A obra poderia de fato ser entregue digitalmente, e o pagamento poderia de fato ser recebido digitalmente, mas os registros bancários mostrarão a transação.”

6- Quando você quiser liberar seu dinheiro para comprar coisas como um carrinho de golfe de $ 52.000 ou uma motocicleta feita de ouro, venda parte de sua coleção.

  • Entre em contato com um conselheiro de arte para ajudá-lo a encontrar um comprador para o seu trabalho ou ver se uma casa de leilão quer leiloar para você. Se eles ajudem a vender sua coleção, eles vão ganhar dinheiro, por isso não vão fazer perguntas.
  • Marque uma entrevista com uma casa de leilões para avaliar as peças em sua coleção.
  • Você vai assinar um contrato que diz que você está permitindo que os leiloeiros vendam sua coleção em consignação, o que significa que se eles venderem, você recebe o pagamento, e se não venderem, a arte devolvida a você.
  • Ele também iram lhe dizer que tipo de taxas você será cobrado – como seguro, transporte e corte da casa de leilões.
  • Você enviará o trabalho para a casa de leilões, aguardará que sua coleção seja vendida.
  • Neste ponto, não há necessidade de ser anônimo ou permanecer sorrateiro. Este é o passo que “prova” que o seu dinheiro veio de meios legítimos – venda de arte.
  • Quando é hora de pagar impostos, você pagará sobre o dinheiro que ganhou com a venda de sua coleção de arte, que parece ser a fonte legítima de sua riqueza recém-descoberta. Ebaaaa!

7- Faça o que fizer, não seja pego

  • Organizações em todo o mundo estão tomando medidas para responsabilizar os negociantes por relatar atividades ilegais.
  • Em Fevereiro de 2013, a Comissão Europeia aprovou decretos que exigem que as galerias europeias apresentem vendas superiores a 7.500 euros pagas em dinheiro, bem como registar relatórios de transacções suspeitas.
  • No início deste ano, foi realizado um fórum no Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça, no qual o economista Nouriel Roubini, entre outros, falou sobre a susceptibilidade do mercado de arte ao branqueamento de capitais e outros crimes econômicos, como a evasão e a evasão fiscais. “Qualquer um pode entrar em uma galeria e gastar meio milhão de dólares e ninguém vai fazer perguntas”, disse Roubini de acordo com a Swiss Info.

Ok, então talvez lavar dinheiro através da arte não seja prático. Requer toneladas de planejamento, uma equipe de cúmplices (mas você começa a chamá-los de smurfs!), Viagens à Suíça ou as Ilhas Cayman (coitadinho de você), e bem, cometendo um crime. Mas se você já está na posição de lavar dinheiro, começar uma coleção de arte parece ser a opção mais atraente.

No final, talvez este guia nunca seja destinado a empresários corruptos, talvez isso seja mais útil para os artistas emergentes que procuram validação (leia: sinais de dólar) em um competitivo mercado. Talvez o segredo do artista para o sucesso é apelar para a corrupção e se tornar um cúmplice de crime de colarinho branco (mas espero que não). Os criminosos econômicos são a força motriz da economia da arte? Provavelmente não, mas o que sabemos com certeza é que a arte não é apenas valiosa como a evidência de um gênio criativo. É, para muitos, um cofre.

Extremity | Emilio Gomariz : lavagem de dinheiro
Extremity | Emilio Gomariz

Via: Hope & Fears, The New York TimesGGN.


Veja também:

https://arteref.com/arte/curiosidades/6-dicas-para-ser-um-bom-colecionador-de-arte/
https://arteref.com/arte/curiosidades/6-dicas-para-ser-um-bom-colecionador-de-arte/
Não foi possível salvar sua inscrição. Por favor, tente novamente.
Sua inscrição foi bem sucedida.

Você quer receber informações sobre cultura, eventos e mercado de arte?

Selecione abaixo o perfil que você mais se identifica.

Inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Veja todos os comentários