Artista da Semana

Robert Mapplethorpe

Por Paulo Varella - julho 30, 2012
6591 0
Pinterest LinkedIn

Robert Mapplethorpe nasceu em 1946, em Floral Park, Queens. Sobre sua infância, ele disse, “Eu venho da América suburbana. Era um ambiente muito seguro e foi um bom lugar de vir, assim como era um bom lugar para sair.”

Em 1963, Mapplethorpe se matriculou no Pratt Institute no Brooklyn, onde estudou desenho, pintura e escultura. Influenciado por artistas como Joseph Cornell e Marcel Duchamp, ele também experimentou vários materiais em mídia mista, como colagens feitas de imagens recortadas de livros e revistas. Ele adquiriu uma câmera Polaroid em 1970 e começou a produzir suas próprias fotografias para incorporar às colagens, dizendo que “assim era mais honesto.”

Naquele mesmo ano, ele e Patti Smith, que conheceu há três anos, mudaram-se para o Hotel Chelsea. Mapplethorpe rapidamente encontrou a satisfação de tirar fotografias Polaroid  e algumas realmente aparecerem em seus trabalhos de mídia mista. Em 1973, a Light Gallery em Nova York, montou sua primeira exposição solo em galeria, intitulada “Polaroids”. Dois anos depois, ele adquiriu uma câmera Hasselblad de médio formato e começou afotografar seu círculo de amigos e conhecidos, como artistas, músicos, socialites, estrelas de cinema pornográfico, e membros do subterrâneo S & M. Ele também trabalhou em projetos comerciais, criação de capa do álbum de Patti Smith e Television e uma série de retratos e imagens de festas para a Interview Magazine.

No final dos anos 70, Mapplethorpe ficou cada vez mais interessado ​​em documentar a cena underground de  S & M em Nova York. As fotografias resultantes são chocantes pelo seu conteúdo e notável por seu domínio técnico e formal. Mapplethorpe disse à ARTnews no final de 1988, “Eu particularmente não gosto dessa palavra ‘chocante’. Eu estou olhando para o inesperado. Estou procurando por coisas que eu nunca tinha visto antes … Eu estava em posição de fazer essas imagens. Senti a obrigação de fazê-las. “

Enquanto isso, sua carreira continuou a florescer. Em 1977, ele participou na Documenta 6, em Kassel, Alemanha Ocidental e em 1978, a Galeria Robert Miller, em Nova York tornou-se seu distribuidor exclusivo. Mapplethorpe conheceu Lisa Lyon, primeira campeã do mundo de Bodybuilding, em 1980. Ao longo dos anos seguintes ela colaborou com uma série de retratos e estudos de figura, um filme, e o livro “Lady, Lisa Lyon”.

Ao longo dos anos 80, Mapplethorpe produziu várias imagens que, simultaneamente, desafiavam e aderiam aos padrões estéticos clássicos: composições estilizadas de nus masculinos e femininos, delicados florais, naturezas mortas e retratos de estúdio de artistas e celebridades, para citar alguns de seus gêneros preferidos. Ele apresentou refinadas técnicas e formatos diferentes, incluindo polaroids coloridas de 20×24, fotogravuras, impressões de prata em papel e linho, Cibachrome e estampas coloridas. Em 1986, ele projetou cenários para a performance de dança Lucinda Childs, criou uma série de fotogravuras para A Season in Hell de Arthur Rimbaud, e foi contratado pelo curador Richard Marshall para tirar retratos de artistas de Nova York para a série e livro, “50 Artistas de Nova York”.

Nesse mesmo ano, em 1986, ele foi diagnosticado com AIDS. Apesar de sua doença, ele acelerou os seus esforços criativos, ampliou o escopo de sua investigação fotográfica, e aceitou encomendas cada vez mais desafiadoras. O Museu Whitney de Arte Americana montou sua primeira grande retrospectiva em um museu americano, um ano antes de sua morte em 1989.Sua vasta, provocativa e poderosa linha de trabalho o estabeleceu como um dos mais importantes artistas do século XX.

Hoje Mapplethorpe é representado por galerias na América do Norte e do Sul e Europa e sua obra pode ser encontrada nas coleções de grandes museus ao redor do mundo. Além do significado da arte histórica e social de seu trabalho, seu legado vive através do trabalho da Fundação Robert Mapplethorpe.

Ele criou a Fundação em 1988 para promover os museus de fotografia, e apoiar aqueles que exibem arte fotográfica, e para financiar a investigação médica na luta contra a AIDS e infecções relacionadas ao HIV.

Saiba mais aqui: http://www.mapplethorpe.org

Não foi possível salvar sua inscrição. Por favor, tente novamente.
Sua inscrição foi bem sucedida.

Você quer receber informações sobre cultura, eventos e mercado de arte?

Selecione abaixo o perfil que você mais se identifica.

Próximo artigo

Estudou cinema na NFTS (UK), administração na FGV e química na USP. Trabalhou com fotografia, cinema autoral e publicitário em Londres nos anos 90 e no Brasil nos anos seguintes. Sua formação lhe conferiu entre muitas qualidades, uma expertise em estética da imagem, habilidade na administração de conteúdo, pessoas e conhecimento profundo sobre materiais. Por muito tempo Paulo participou do cenário da produção artística em Londres, Paris e Hamburgo de onde veio a inspiração para iniciar o Arteref no Brasil. Paulo dirigiu 3 galerias de arte e hoje se dedica a ajudar artistas, galeristas e colecionadores a melhorarem o acesso no mercado internacional.

Inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Veja todos os comentários