Artes Plásticas

Coleção de $30 milhões foi encontrada numa garagem em Long Island.

Por Equipe Editorial - março 11, 2013
5059 0
Pinterest LinkedIn

Dois recém donos de uma pequena cabana de $300.000,  fizeram o investimento de suas vidas após acharem a coleção do artista Arthur Pinajian na garagem da casa. A coleção é estimada em $30 milhões de dólares.

Thomas Schultz e Larry Joseph – dois amigos investidores- compraram uma pequena cabana em ruínas em Bellport, Nova York, em 2007, na esperança de reformá-la. Mas dentro, eles encontraram muito mais do que uma casa pedindo reforma; recentemente milhares de pinturas e desenhos do artista armênio-americano Arthur Pinajian, que morreu em 1999, aos 85 anos de idade.

Pinajian, um ex-proprietário da residência, que se esforçou para encontrar o sucesso no mundo da arte durante toda sua vida, havia instruído para que todas as obras fossem jogadas fora quando morresse. Seus desejos foram ignorados, e as obras ficaram abandonadas em meio a poeira, insetos, pragas e mofo. Ao descobrirem o tesouro, os novos proprietários decidiram pagar o valor extra de $2500 para ficarem com a coleção do artista.

As peças incluem pinturas abstratas e expressionistas, paisagens, desenhos realizados durante a Segunda Guerra Mundial, ilustrações, baseado nas histórias em quadrinhos dos anos 1930, e imagens das colônias artísticas de 1960, no Woodstock. Ao todo somam mais de 3.000 pinturas, desenhos e ilustrações.

Alguma das pinturas abstratas estão atualmente sendo exibidas em Nova Iorque e estão a venda pelo preço de $87.000 cada.

De acordo com a Island News 12 Long, a coleção foi avaliada por Peter Hastings Falk, autor Who Was Who in American Art, por 30 milhões. Já tendo também avaliado as obras da propriedade de Andy Warhol.

Sr. Falk conta ao The Weekly sobre o armênio: “Ele (Pinajian) pintava todos os dias, mas ninguém via sua arte. Ele não recebeu nenhuma crítica ou comentário sobre sua obra, e jamais seus trabalhos foram exibidas em galeria ou museu em NY.” Pinajian sofreu dificuldades financeiras durante grande parte de sua vida e contava com o apoio financeiro de sua irmã que trabalhava como secretária. Os irmãos viveram juntos por grande parte de suas vidas e nenhum acabou casando.

Falando ao The New York Times após a descoberta das obras em 2007, o primo de Pinajian, John Aramian, disse: “Ele pensava ser o  próximo Picasso.  Eles acreditavam que ele se tornaria famoso e pagaria tudo para eles um dia, mas isso nunca aconteceu.

“Então, ele ficou frustrado e isolou-se de tudo e de todos, apenas pintava.” O historiados de arte americana William Innes Homer, que morreu no ano passado, havia dito que Pinajian era um “pesquisador solitário trancafiado em seu laboratório de conhecimento buscando seu próprio bem” O historiador de arte ainda escreveu: “Ele perseguiu seus objetivos de forma isolada, com a determinação de um Gauguin ou Cézanne, recusando-se a parar frente a indiferença pública.

Era apaixonado e inequivocamente comprometido. Finalmente, o trabalho Pinajian reflete a alma de um falho, mas brilhante gênio artístico. Quando ele atinge a marca, especialmente em suas abstrações, ele pode ser classificado entre os melhores artistas de sua época.”

Art Pinajian abstract

art

Inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Veja todos os comentários