9 mitos sobre o feminismo que você precisa descartar

0
408

Existe um grande desconhecimento sobre a essência do movimento feminista. Do que muito se ouve falar, boa parte não representa a verdade.

Se você concorda ou não com o feminismo, vale a pena ler sobre este assunto para  se aprofundar e, principalmente, entender a diferença entre feminismo e femismo.

Aqui vai uma lista sobre os principais mitos sobre o feminismo:

Mito:

O feminismo tornou as mulheres iguais agora, e não há necessidade de feministas ou do movimento atual das mulheres.

Verdade:

As mulheres ainda estão por trás em muitas maneiras diferentes; eles continuam a receber menos em média do que os homens, muitos empregos não são amigáveis para as mães e as mulheres continuam sendo responsáveis pela maioria do trabalho doméstico.

* Além disso, as feministas não apenas acreditam na igualdade entre mulheres e homens, mas também na igualdade entre todos os sexos, classes, raças e orientação sexual.

Mito:

As mulheres não podem ser femininas e serem feministas ao mesmo tempo.

Verdade:

O feminismo se baseia  fundamentalmente em dar escolhas  às mulheres, não sobre encontrar novas maneiras de limitar sua auto-expressão;

Logo, se as mulheres decidem que a escolha de agir de uma maneira tradicionalmente feminina é inteiramente aceitável nada a impede de ser assim.

Mito:

O objetivo do feminismo é fazer das mulheres o gênero dominante”

Verdade:

O feminismo visa erradicar a opressão dos gêneros imposta pelas antigas sociedades “patriarcais”. O feminismo não visa criar nova opressão.

Mito:

“O feminismo ignora os problemas dos homens”

Verdade:

O feminismo sugeriu que as questões de mulheres, homens e outros gêneros não são entidades separadas, mas derivam todas do mesmo sistema de desigualdade.

Mito:

Feministas são apenas mulheres.

Verdade:

Sim, existem homens feministas! Claro, se você pedir para alguem nomear uma feminista, é mais provável que o nomeie uma mulher, mas isso não significa que o feminismo seja apenas para mulheres.

A chave aqui é que os homens que são aliados na luta contra o patriarcado precisam ser hiper-conscientes de seus próprios privilégios masculinos.

O autor Noah Berlatsky diz: “É verdade que às vezes os feministas homens as vezes criam uma fantasia de serem os corajosos aliados, salvando as mulheres de forma altruísta. Mas sonhos como estes são apenas mais uma versão da misoginia, e, neste caso em particular, totalmente retrógrada.

A misoginia é uma gaiola para todos. Um homem feminista , não é assim porque acha que vai salvar as mulheres. Ele é feminista porque acha importante que os homens reconheçam que, enquanto as mulheres não forem livres, os homens também não serão.

Existem mulheres feministas que não admitem isto, dizendo que podem somente haver homens simpatizantes ao feminismo. O fato é que o endurecimento das definições nada colabora com o progresso das relações. Assim como existiram abolicionistas brancos e ativistas pelos direitos humanos que não foram oprimidos, devemos entender que a luta pelos direitos pode e deve vir de todos os que entendam o sofrimento dos outros. A empatia nos torna humanos e capazes de lutarmos pelas injustiças.

Mito:

Feministas são bravas.

Verdade:

Em conjunto com todo o estereótipo que odeiam os homem, o mito da feminista raivosa é uma das linhas mais repetidas na história do anti-feminismo. Remontando a uma ou duas imagens icônicas de feministas queimando sutiãs, esse estereótipo tem sido usado por homens e mulheres para manchar o movimento como emocionalmente motivado, da mesma forma que o estereótipo da feminista “histérica” ​​é usado.

Sim, talvez às vezes as feministas tenham expressado sua frustração com o patriarcado e o sexismo em tons menos que cordiais.

Acontece que a manutenção da cidadania de segunda classe não é algo nos faz sentirmos muito felizes

Sejamos claros: as feministas têm o direito de ficar com raiva. Seja a agressão sexual desenfreada sem responsabilização, a diferença salarial, a discriminação baseada no gênero em geral ou a diminuição do acesso ao controle de natalidade entre outras injustiças.

Mas é muito mais que isso. Como Jessica Valenti observou em 2013: “Temos o direito de estar com raiva, temos o direito de estar tristes e chocadas. Temos o direito de estarmos exaustas …

Essa raiva, essa tristeza, pode nos ajudar a fazermos o que fazemos. E eu estou zangado, triste e exausto com vocês, mas também sei que o que nos une é mais do que uma confluência de dificuldades.

Nós não fazemos esse trabalho por causa da raiva – fazemos por causa do amor. Nós fazemos isso por causa da compaixão “.

Mito:

É o século 21, então não há mais nada para as feministas lutarem

Verdade:

Um longo caminho for percorrido quando se trata da luta pela igualdade dos sexos, mas se você der uma olhada em qualquer mídia popular, verá o feminismo sendo discutido sob uma falsa luz ou a perpetuação do estupro.

Em outras palavras, você verá estupro, acusação de vítima, noivas, crianças, tráfico sexual, mutilação genital, crimes de honra, infanticídio, violência doméstica, prostituição forçada e outros crimes que ocorrem predominantemente em mulheres.

Além disso, os homens também estão sendo alvos desses estabelecimentos sociais, seja fazendo com que eles pareçam animais desenfreados que não podem controlar seu impulso sexual, espalhando expectativas irreais e puramente prejudiciais que também afetam suas vidas. O feminismo visa eliminar ambos, a fim de permitir que homens e mulheres vivam sem objetivação ou opressão.

Mito:

O feminismo é misandria (ou feministas odeiam homens)

Verdade:

Que tal começarmos com uma definição, já que parece que a maioria das pessoas está confusa quando se trata do significado básico de “feminismo”:

Feminismo (substantivo) – “A defesa dos direitos das mulheres com base na igualdade dos sexos.”

Este mito é um grande paradoxo, pois se um feminista fosse um homem ele odiaria a si mesmo: alguém que quer igualdade não pode odiar as pessoas com quem elas querem ser iguais.

É verdade que você não pode negar a presença de algumas feministas extremistas que são misandristas. Mas nós não podemos uma minoria radical para criar uma reputação pelo resto do movimento.

Mito:

Feministas ficam ofendidas com cavalheirismo

Verdade:

Ao contrário das crenças populares, nem todas as feministas lhe darão uma palestra sobre opressão sistemática quando você abrir uma porta para elas.

Este mito é frequentemente usado para afirmar que as feministas não podem diferenciar entre polidez genuína (ou esforços românticos) e puro sexismo que é disfarçado de cavalheirismo.

Feministas agradecem quando alguém se oferece para abrir portas, ou insiste em leva-las de volta para casa, ou se oferece para pagar o jantar – contanto que eles façam isso porque querem, não porque se sentem obrigados. Ao mesmo tempo, deve-se permitir retornar o favor se elas quiserem.

Veja Também:

Qual a diferença entre Feminismo e Femismo?

 

Comente:

Please enter your comment!
Please enter your name here