Coletivo

Galeria Emma Thomas: “Solstício”

Por Equipe Editorial - novembro 27, 2012
3795 0
Pinterest LinkedIn

Quem é o artista? Claudia Hersz, Cleverson Salvaro, Gustavo Speridião, Isabela Prado, Jimson Vilela, Luiza Baldan, Marcelo Gandhi e Silvana Mello
O que vai ter na exposição?  Desenho, escultura, assemblage, fotografia, vídeo, entre outros.
É um bom programa? Sim
A galeria é conceituada? Sim
Até quando? 24 de janeiro de 2013

Galeria Emma Thomas promove primeira coletiva em seu novo espaço 

Mostra “Solstício” convida oito artistas para expor na nova sede: Claudia Hersz, Cleverson Salvaro, Gustavo Speridião, Isabela Prado, Jimson Vilela, Luiza Baldan, Marcelo Gandhi e Silvana Mello

No dia 30 de novembro, às 19h, a Galeria Emma Thomas localizada na Rua Estados Unidos, 2205, nos Jardins, promove a abertura da coletiva “Solstício” e convida oito artistas. A mostra vai expor produções recentes em diferentes suportes, como desenho, escultura, assemblage, fotografia, vídeo, site specific e pintura, com organização de Daniele Dal Col, e ficará em cartaz até 24 de janeiro de 2013.

Na astronomia, Solstício (do latim sol + sistere, que não se mexe) é o momento em que o sol atinge a maior declinação em latitude a partir da linha do Equador. No hemisfério sul, o solstício de verão acontece em dezembro, marcando o início de uma nova estação. “A ideia da mostra é celebrar o início de novos ciclos, a descoberta de novos processos e consequentemente a mudança de ideias fixas ou a quebra de paradigmas”, explica Juliana Freire, uma das sócias da Emma Thomas. A metáfora do ápice do movimento do sol é usada para explicar o clímax alcançado pelos artistas após reflexão, crítica e ação, movimentos de transformação e consequentemente, adaptação a novas perspectivas.

Para a mostra, o público poderá observar questões apresentadas pelos artistas dentro de um processo de investigação ou narrativa, sendo elas conceituais ou estéticas, mas que dialogam sobre o cenário cultural contemporâneo das artes. Claudia Hersz, Cleverson Salvaro, Gustavo Speridião, Isabela Prado, Jimson Vilela, Luiza Baldan, Marcelo Gandhi e Silvana Mello apresentam suas produções recentes em diferentes suportes.

Claudia Hersz
Formada em Arquitetura e Urbanismo pela FAU-UFRJ em 1982, seu trabalho flerta com o design em performances, pinturas, instalações e assemblages. Entre as principais exposições estão Rumos Artes Visuais – Convite à Viagem, Itaú Cultural, São Paulo, SP [2012]; Nova Escultura Brasileira, Caixa Cultural, Rio de Janeiro, RJ [2011]; Performance Presente Futuro Vol III , Espaço Oi Futuro, Rio de Janeiro, RJ [2010]; TOYS É NóIS, Centro Cultural Justiça Federal , Rio de Janeiro, RJ [2010]; SESC Arte 24hs, Pier Mauá, Rio de Janeiro, RJ [2010]; 7ª Bienal do Mercosul, Porto Alegre, RS [2009]; NANO, Studio44, Estocolmo, Suécia [2009]; Lusovideografia – Espaço Oi Futuro, Rio de Janeiro, RJ [2007]; Jardim da Delícias  – Museu da República, Rio de Janeiro, RJ [2006]; Rede de Trocas – Projéteis Redemergências, Funarte, RJ [2005]; Posição 2004 – Parque Lage,  Rio de Janeiro, RJ [2004] e X Salão da Bahia, Salvador, BA [2003]. Já ganhou o Prêmio Interferências Urbanas [2008] onde apresentou o projeto NINHUMANOS, realizado no Parque do Flamengo – Rio de Janeiro, RJ e também recebeu o Prêmio Aquisição do 17º Salão de Pequenos Formatos UNAMA, Belém, PA [2011].

 Cleverson Salvaro
Formado em Artes Plásticas, pela Faculdade de Artes do Paraná em 2010, com Mestrado em Artes Visuais, pelo Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais do Centro de Artes da Universidade do Estado de Santa Catarina PPGAV/ UDESC, em 2001, o artista trabalha transformando o espaço e também utilizando objetos encontrados na rua, resignificando-os. Entre suas principais exposições estão: Autorretrato, Casa Andrade Muricy, Curitiba PR [2010]; O Estado da Arte, Museu Oscar Niemeyer, Curitiba PR [2010]; Obra inventário, Espaço Cultural Marcantônio Vilaça, Brasília DF [2010]; Rumos Artes Visuais – Trilhas do Desejo, Itaú Cultural, São Paulo, SP, e Paço Imperial, Rio de Janeiro RJ [2009]; Corpo na cidade – performance, Centro Cultural Solar do Barão, Curitiba PR [2009]; Gabinete, Museu Victor Meirelles, Florianópolis SC [2009]; Poética da Percepção – questões da fenomenologia na arte brasileira, Museu Oscar Niemeyer, Curitiba PR [2008]; 4ª Mostra Latino-americana de Artes Visuais VentoSul, Museu de Arte Contemporânea do Paraná, Curitiba PR [2007]; Coletiva do programa de exposições, Centro Cultural São Paulo, São Paulo SP [2005]; 58º e 60º Salão Paranaense, Museu de Arte Contemporânea do Paraná, Curitiba PR [2001 e 2003] e VII e VIII Salão Unama de Pequenos Formatos, Belém PA [2001 e 2002]. Em 2006 foi premiado com a Bolsa Produção para Artes Visuais, Fundação Cultural de Curitiba e em 2010 com a Bolsa Pampulha Museu de Arte da Pampulha, Belo Horizonte MG. Tem trabalhos nas coleções do Museu de Arte Contemporânea do Paraná e na Fundação Cultural de Curitiba.

Gustavo Speridião
Formado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro [UFRJ], Gustavo é considerado um expoente de sua geração, com trabalhos de pintura e desenho. Já expôs no Brasil e no exterior e entre suas principais exposições estão Fora do Plano Tudo é Ilusão, Anita Schwartz Galeria de Arte, Rio de Janeiro [2001]; Uma Epopeia Fotográfica, Galeria Kiosko, Bolívia [2009]; Sobre Desenho, Galeria Artur Fidalgo, Rio de Janeiro [2008], Funarte Prêmio Atos de Artes Visuais. Projeto “Gráfica Utópica ou circo dos sonhos 2.” [2007]. Entre as coletivas, destacam-se: Em Torno da Escultura, Anita Schwartz Galeria de Arte, Rio de Janeiro [2011]; Route Barré, Residência Artística de três meses no atelier L’Imprimirie, FIN > RELOAD,  L’Espace Topographie de l’art, Paris [2009], Nova Arte Nova – Panorama da Arte Contemporânea Brasileira, CCBB São Paulo e Rio de Janeiro [2009]; Paper Trail – 15 Brazilian Artists, Allsopp Contemporary, Londres [2008]; Arquivo Geral, Centro Cultural da Justiça Eleitoral, Rio de Janeiro [2007]; Rumos 2005/ 2006, Itaú Cultural, São Paulo [2006]; Mostra “Espacios a la Experimentación II”, Museo de Arte y Diseño Contemporâneo, Costa Rica [2003].

Já entre os prêmios que já ganhou desde o início de sua carreira, vale mencionar o Prêmio de Artes Plásticas Marcantonio Vilaça, Funarte, Iphan; Prêmio Rumos Artes Visuais 2008/ 2009 – “Trilhas do Desejo”, Itaú Cultural, São Paulo; Prêmio Projéteis Funarte de Artes Visuais; Prêmio Conexões Funarte de Artes Visuais. Além disso, Gustavo tem trabalhos na Coleção Gilberto Chateaubriand – MAM Rio de Janeiro, Coleção Fabio Settimi e Coleção Rumi Verjee.

Isabela Prado
Isabela Prado é graduada em Gravura e Desenho pela UFMG, e Mestre em Artes Visuais pela Indiana University (EUA). Participou de vários programas de residência artística em diversos países (Argentina, Brasil, EUA, Jordânia, Palestina) e de exposições individuais e coletivas no Brasil e no exterior, além de ter realizado inúmeras performances e intervenções urbanas. Seu projeto “Entre Rios e Ruas”,  composto por desenhos, vídeos, instalações e performances, tem como ponto de partida o diálogo entre o espaço urbano construído e a paisagem natural de Belo Horizonte. Mais especificamente, discute a relação que a cidade estabelece e estabeleceu com os rios e córregos presentes em seu território, que foram desconsiderados na concepção urbanística original de Belo Horizonte sendo, ao longo do tempo, canalizados em seus percursos. O projeto “Entre Rios e Ruas”, iniciado em 2006, foi contemplado com o Prêmio Funarte de Artes Visuais em 2011.

Jimson Vilela
É Bacharel em Artes Visuais (IART/UERJ), formado em 2010. Desde 2008 desenvolve trabalhos em diversas mídias, tendo como principal foco de interesse as relações entre o texto e o corpo a partir do cruzamento entre os conceitos de realidade e ficção. Entre suas principais exposições destacam-se as individuais Cambio, Nuevo Museo Energía Arte Contemporáneo, [2012];  e Laboratório, Fundação Cultural de Criciúma [2011]; e as coletivas Convite à viagem, Rumos Itaú Cultural, São Paulo, SP [ 2012];  7ª Bienal Internacional da Bolívia, SIART [2011]; e a 5ª Bienal Internacional do Vento Sul , Cinemateca de Curitiba, PR [2009]. Em 2012, participou de residência junto ao Museu de Arte Nuevo Energía de Arte Contemporáneo, Buenos Aires,  Argentina e atualmente participa do Programa Rumos Artes Visuais Itaú Cultural 2011 – 2013. Possui trabalhos em coleções públicas como MAC Niterói, MoMA NY e Pinacoteca do Estado de São Paulo.

Luiza Baldan
É mestre e bacharel em Artes Visuais pela UFRJ (Rio de Janeiro, 2010) e Florida International University (Miami, 2002). Em 2012 a artista participa do projeto nacional itinerante Rumos Artes Visuais 2011-2013 do Itaú Cultural, onde foi selecionada para a residência artística no CRAC Valparaiso (Chile). Das exposições individuais destacam-se: Studio-X, Rio de Janeiro, RJ [2012]; MAC Niterói, Rio de Janeiro [2011]; Centro Universitário MariAntonia, São Paulo, SP [2010]; Plataforma Revólver, Lisboa, Portugal [2010]; Galeria Olido/ CCSP, São Paulo, SP [2008]. Entre as coletivas destacam-se: Collecting Collections and Concepts, curadoria de Paulo Mendes, Guimarães, Portugal [2012]; O Lugar da Linha, curadoria de Felipe Scovino, Paço das Artes SP e MAC Niterói [2010]; Nova Arte Nova, curadoria de Paulo Venâncio Filho, CCBB RJ e SP [ 2008-2009]; BAC!, Centre de Cultura Contemporània de Barcelona, Espanha [2008]. Sua lista de prêmios concentra o XI Prêmio Marc Ferrez de Fotografia da Funarte [2010]; prêmios aquisição no 37º Salão de Arte Contemporânea de Santo André – SP [2009] e na 1ª Mostra de Fotografia CCSP [2008]; menção da Fundação Iberê Camargo [2007], e o Brown & Marion Whatley Scholarship, Miami [2002].

Marcelo Gandhi
Formado pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte em 1999, atua nas áreas de música experimental, desenho e performance. Integra o Viewing Program do Drawing Center, EUA. Já participou de várias exposições coletivas no Brasil e no mundo, onde destacam-se: Ikra Dance Festival – Landscape Body, Suécia [2011]; Jogos de Guerra – Caixa Cultural RJ, e DF Brasil [2011]; College of Arts, Califórnia, USA [2010]; Bienal Deformes, Chile [2010]; Funarte, Rio Grande do Norte, Brasil [2009]; Do papel ao pixel, Memorial da América Latina, São Paulo, Brasil [2009]; Salão do Pará, Brasil [2008]; Paradoxos Brasil, Rumos Artes Visuais, Itaú Cultural, SP, RJ, CE [2006] onde foi bolsista premiado. Além disso, possui trabalhos nas coleções do Centro Cultural Banco do Nordeste, no Centro Cultural Dragão do Mar e na Pinacoteca do Rio Grande do Norte.

Silvana Mello
Silvana já trabalhou com design gráfico, animação, edição, moda, tatuagem; explorou todas estas mídias que se transformaram em suportes para a sua arte. A alma do trabalho está exatamente na edição dos mais variados suportes e na escolha de técnicas correspondentes. Nas obras da artista toda escolha é usada como elemento expressivo. A artista costuma falar sobre a injusta condição feminina em nossa sociedade, sobre o abuso contra crianças. Comove-se e traduz com doçura as diferenças sociais que nos oprimem. Ela nos mostra essa estupidez através da manipulação de ícones pop, e situações do nosso próprio cotidiano tão americanizado.

Silvana trabalha a relação de conforto e incômodo que os estereótipos nos causam. Neste contexto, a vida pessoal da artista não fica de fora: a todo o momento, ela consulta suas memórias e sentimentos para criar, reunindo experiências boas e ruins e as expressando por meio da imagem de mulheres fortes, que cuidam de seus filhos e famílias em busca da sua felicidade e bem-estar. Ela não se poupa ao buscar referências em revistas, fotografias, familiares, amigos e bancos de imagens. Embora não intencionalmente, as obras têm grande repercussão no universo feminino, justamente por conta dessa pesquisa. Silvana usa imagens familiares, figuras carismáticas e nostálgicas, para mostrar as contradições do espírito humano, que pode ser suave e cruel ao mesmo tempo.

Sobre a galeria Emma Thomas
A galeria Emma Thomas, das sócias Flaviana Bernardo e Juliana Freire, foi inaugurada em 2006 com o intuito de democratizar a arte contemporânea, modificando e adaptando as práticas do mercado a fim de aproximar a produção artística do público em geral. A galeria representa cerca de 14 artistas da nova geração e em maio de 2012, ganhou o Prêmio de Melhor Galeria Jovem em Buenos Aires. Além das mostras, projetos e feiras nacionais e internacionais, o novo programa da Emma Thomas promove o livre intercâmbio do conhecimento e do questionamento cultural. Desde outubro de 2012, a galeria está em novo endereço no bairro dos Jardins e passa a contar com a empresária Mônica Martins como nova sócia.

“Solstício” @ Galeria Emma Thomas
Abertura: 30 de novembro, das 19h às 22h
Período expositivo: 01 de dezembro a 24 de janeiro 2013
Rua Estados Unidos, 2205, Jardins – São Paulo
[email protected]
www.emmathomas.com.br
De segunda-feira a sexta-feira, das 11h às 19h; sábados das 11h às 17h
Programação de final de ano: a galeria estará fechada do dia 24 de dezembro a 06 de janeiro
Entrada gratuita/ Livre

Não foi possível salvar sua inscrição. Por favor, tente novamente.
Sua inscrição foi bem sucedida.

Você quer receber informações sobre cultura, eventos e mercado de arte?

Selecione abaixo o perfil que você mais se identifica.

Inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Veja todos os comentários