Fotografia

Rio do Céu, a beleza e a poesia do Rio de Janeiro

Por Equipe Editorial - julho 12, 2016
2673 0
Pinterest LinkedIn

Quem é o artista?
Cláudio Edinger.
Fotógrafo. Na década de 1950, muda-se com a família para São Paulo. Forma-se em economia pela Universidade Mackenzie em 1974, mas não chega a exercer a profissão de economista. Ainda no início da década de 1970, opta pela fotografia e realiza sua primeira exposição individual, Edifício Martinelli, no Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand – Masp em 1975.

O que terá na mostra?
Fotografias.

Onde vai ser?
Galeria Lume (endereço abaixo).

É um bom programa?
Sim, a galeria representa um seleto grupo de artistas estabelecidos e emergentes, dedicado a introdução da arte em todas as suas mídias, voltados para a audiência nacional e internacional, através de um programa de exposições plural e associado a idéias que inspiram e impulsionam a discussão do espírito de época.

Quando?
22 de julho a 28 de agosto de 2016.

Como você despertaria a consciência feminina com a fotografia?

“Como posso pintar algo lindo depois de ter testemunhado duas guerras mundiais?” foi o que o pintor anglo-irlandês Francis Bacon (1909-1992) se perguntou no pós-guerra, sintetizando a angústia de muitos artistas naquela ocasião. Muitas foram as tentativas de responder àquela questão, em distintas partes do mundo, ao longo do século 20 – e ainda hoje. Para o fotógrafo Cláudio Edinger, a resposta é apenas uma: a beleza, como alimento espiritual e inspiração. É esse elogio à beleza que o artista leva à Galeria Lume, a partir de 21 de julho, na exposição Rio do Céu, individual que reúne 12 fotos aéreas, sob a curadoria de Paulo Kassab Jr e do próprio fotógrafo.

Inédita, a mostra é fruto de uma pesquisa que vem sendo realizada há 15 anos por Edinger na cidade em que nasceu e o inspira a fotografar. “Do céu tudo ganha outra dimensão. É como se os deuses de Olimpo estivessem nos observando. A beleza intoxicante do Rio elimina, ainda que momentaneamente, todos os problemas óbvios de uma grande metrópole”, afirma o artista.

Um dos mais belos cenários que se pode ter para uma cidade, o Rio de Janeiro foi também um dos primeiros locais do Brasil a serem retratados pela fotografia, graças às expedições de fotógrafos estrangeiros – sobretudo europeus – pela então capital do Império, e à importação do maquinário fotográfico francês.

Para a composição das fotos, Edinger valeu-se de uma técnica conhecida como “foco seletivo”, na qual a câmera volta-se a um ponto específico do cenário, aproximando a visão da imagem captada daquela de nossos olhos – se olhássemos com mais atenção, como faz o fotógrafo.

A técnica permite à fotografia ir além da mera representação e ao público uma experiência estética profunda com o objeto retratado, resgatando o vínculo entre arte e beleza, prazer e contemplação. “Dizer que o mundo é só tragédias, é como ir ao Rio de Janeiro e só enxergar favelas e violência. Claro que elas existem, junto com todos os outros problemas. Mas a beleza é fundamental. A arte do século 21 tem que falar disso, com a mesma intensidade que fala de todo resto.”

SERVIÇO
Rio do Céu, de Claudio Edinger
Local: 
Galeria Lume
Endereço: Rua Gumercindo Saraiva, 54 – Jardim Europa, São Paulo
Curadoria:
Claudio Edinger e Paulo Kassab Jr.
Abertura: 21 de julho (quinta-feira), a partir das 19h
Período expositivo: de 22 de julho a 28 de agosto
De segunda a sexta-feira das 10h às 19h
Sábados das 11h às 15h
(11) 4883 – 0351
Veja também:

Fotografia do finlandês Miemo Penttinen

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever  
Notificar de