História

5 famosos que provavelmente nunca existiram de verdade

Jesus, Sócrates e muitos outros que você acredita que foram reais apesar da pequena quantidade (ou até mesmo ausência) de evidências.

Por Equipe Editorial - agosto 8, 2019
16485 21
Pinterest LinkedIn

Na nossa época de informação onipresente, é fácil procurar a biografia de uma celebridade ou de um político, uma vez que a história está melhor preservada do que nunca. Infelizmente, nem sempre foi assim. Os fatos sobre muitos ícones famosos da história, não foram escritos até anos — décadas ou mesmo séculos — depois de supostamente viverem. Dada esta quantidade de tempo, a evidência da própria existência do indivíduo pode ter se deteriorado completamente, além das próprias histórias.

Com isso em mente, abaixo estão alguns exemplos de pessoas famosas cujos nomes você vai reconhecer, mas que provavelmente nunca existiram, pelo menos em sua forma popular.


Sócrates

Socrates-philosophy-essay; ícones famosos

Sócrates é uma espécie de mito pois não se conhece nada escrito por ele nem se sabe direito onde e quando viveu boa parte da vida. Provavelmente, nasceu, viveu e morreu em Atenas, entre 469 e 399 A.C.

Ele escolheu não escrever, para ser coerente com sua filosofia, mas por outro lado há evidências documentais suficientes de seus alunos (Alcibiades, Antisthenes, Isocrates, Xenofonte, Platão) e outros contemporâneos (Aristophanes, Gorgias, Critias, Eurípides, Sófocles, Diógenes, Prodicus) que ele existia.

Praticamente, tudo que se conhece sobre Sócrates vem dos escritos de Platão, que foi seu discípulo. Aristófanes pôs Sócrates em algumas de suas peças. Temos, portanto, que acreditar nas versões desses contemporâneos para conhecer sobre a vida e a obra de Sócrates.


Jesus

jesus-de-nazareth; ícones famosos

Os pesquisadores que se dedicaram ao estudo das origens do cristianismo sabem que, desde o século II de nossa era, tem sido posta em dúvida a existência de uma das figuras mais famosas da história da humanidade: Cristo.

Muitos, até mesmo entre os cristãos, procuram provas históricas e materiais para fundamentar sua crença. A existência, a vida e a obra de Jesus carecem de provas indiscutíveis.

As bibliotecas e museus guardam escritos e documentos de autores que teriam sido contemporâneos de Jesus, os quais não fazem qualquer referência ao mesmo. Por outro lado, a ciência histórica tem-se recusado a dar crédito aos documentos oferecidos pela Igreja, com intenção de provar-lhe a existência física. Ocorre que tais documentos, originariamente, não mencionavam sequer o nome de Jesus; todavia, foram falsificados, rasurados e adulterados visando suprir a ausência de documentação verdadeira.

Além disso, pouco pode ser extraído das fontes não-bíblicas e não-cristãs, sendo a principal advinda do historiador judeu Flavius ​​Josephus, tendo qualquer alegação razoável de estar escrevendo sobre Jesus dentro de 100 anos de sua vida.

E mesmo esses relatos esparsos estão envoltos em controvérsias, com divergências sobre quais partes foram alteradas por escribas cristãos (os manuscritos foram preservados por cristãos), o fato de que ambos os autores nasceram após a morte de Jesus (eles provavelmente teriam recebido isso informações dos cristãos), e a estranheza que se passaram séculos antes que os apologistas cristãos começassem a fazer referência a eles.

O agnosticismo sobre o assunto já é aparentemente apropriado, e o suporte para esta posição vem da recente defesa do historiador independente Richard Carrier de outra teoria – a saber, que a crença em Jesus começou como a crença em um ser puramente celestial (que foi morto por demônios em um reino superior), que se tornou historicizado com o tempo. Para resumir o tomo de 800 páginas de Carrier, esta teoria e a teoria tradicional – de que Jesus foi uma figura histórica que se tornou mitificada ao longo do tempo – ambas se alinham bem com os Evangelhos, que são misturas posteriores de mito óbvio e o que pelo menos parece histórico.

Se ele realizou todos os feitos divinos descritos na Bíblia está aberto à interpretação religiosa individual. No entanto, se ele era divino, um homem comum, ou uma figura mitológica, ele certamente está entre os indivíduos mais influentes da história.


Aleijadinho

Existência Antonio Francisco Lisboa - Aleijadinho

Para algumas pessoas, o artista Antônio Francisco Lisboa não passa de uma lenda. O historiador paulista Dalton Sala é autor de uma tese de doutorado em que afirma que Aleijadinho é um mito criado pelo Estado Novo, comandado pelo presidente Getúlio Vargas. Para Sala, o mito foi criado para a construção da identidade nacional, como foi Tiradentes, sendo um protótipo do brasileiro típico: superou as dificuldades por meio da criatividade.

Waldemar de Almeida Barbosa, no livro O Aleijadinho de Vila Rica, apresenta algumas contradições na vida do artista, como a indefinição da data de seu nascimento, mas não nega a existência do artista. Barbosa apresenta a biografia de Rodrigo Bretas e conclui que ele não poderia ser pessoa leviana: “Devia, ao contrário, ser reto, merecedor de confiança”. No capítulo “Lendas e Exageros”, Waldemar Barbosa apresenta equívocos relativos à vida e à obra de Aleijadinho, como obras da igreja de São Francisco, de Mariana — o artista não trabalhou nesta igreja. Há ainda obras em Caeté atribuídas ao artista, mas o mestre nunca esteve nessa localidade.


Shakespeare

Existência Shakespeare

Como é possível que um plebeu provinciano tenha se tornado um dos escritores mais famosos e eloquentes da história? Até mesmo no início da carreira, Shakespeare contava histórias que exibiam conhecimento profundo sobre assuntos internacionais, capitais europeias e história, assim como familiaridade com a corte real e a alta sociedade.

As mais de 40 peças e 154 sonetos apresentam um vasto conhecimento em diversas áreas, como política, geografia e latim – sendo que Shakespeare só teria passado apenas cinco ou seis anos na escola, segundo historiadores. Além disso, as obras utilizam mais de 29 mil palavras diferentes, um vocabulário maior que o do dicionário de inglês da época.

Por essa razão, alguns teóricos sugeriram que um ou vários autores que queriam esconder sua verdadeira identidade usaram a pessoa de William Shakespeare como fachada. Os candidatos incluem Edward de Vere, Francis Bacon, Christopher Marlowe e Mary Sidney Herbert.

A maioria dos estudiosos e historiadores da literatura continuam céticos com relação a essa hipótese, embora muitos suspeitem que Shakespeare, às vezes, tenham colaborado com outros dramaturgos. Por outro lado, também era comum um dramaturgo se inspirar em outro ou mesmo escrever a quatro, ou mais mãos. Quando um texto era vendido para uma companhia de teatro, ele não pertencia mais aos autores.


Transforme - Banner Instaarts

Homero

Existência homero

Para finalizar a lista das figuras mais famosas temos Homero, um poeta grego, autor de dois épicos mitológicos: Odisséia e Ilíada. Apesar da popularidade e importância desses livros, Homero continua envolto em mistérios. Por um lado, acredita-se que Homero não é o verdadeiro autor dessas obras, que de acordo com o historiador Adam Nicolson, teriam precedido seu suposto autor em, mais ou menos, mil anos. Outros dizem que Homero era cego, enquanto alguns afirma que era, na verdade, uma mulher. Não apenas, alguns historiadores também acreditam que Homero era um grupo de estudiosos gregos.


Provavelmente nunca saberemos se ícones históricos famosos realmente existiram ou não. Mas, de uma coisa temos certeza, seus legados permanecerão. E, para encerrar (ou apimentar) a discussão, Carlos Drummond de Andrade escreveu:

Aleijadinho, simples mito?
Nunca existiu? Tanto melhor.
Shakespeare também, e é infinito.
Homero é o tal. Fica maior.

O que você acha sobre a existência (ou não existência) desses famosos? Quais outros deveriam estar na lista? Compartilhe suas ideias nos comentários!


Veja também


Fontes

Quora (sobre Sócrates)

Seara da Ciência (sobre Sócrates)

Estética e História das Artes (sobre Aleijadinho)

History (sobre Shakespeare)

Mundo Estranho (sobre Shakespeare)

Washington post (sobre Jesus)


Não foi possível salvar sua inscrição. Por favor, tente novamente.
Sua inscrição foi bem sucedida.

Você quer receber informações sobre cultura, eventos e mercado de arte?

Selecione abaixo o perfil que você mais se identifica.

Inscrever
Notificar de
guest
21 Comentários
Inline Feedbacks
Veja todos os comentários
nada
nada
2 anos atrás

Jesus n existiu? Viajaram legal agora!!!

Wagner
Wagner
2 anos atrás

Absurdo, cadê as fundamentações teóricas, históricas?

thomaz
thomaz
2 anos atrás

Sobre Jesus, esqueceram de falar que Flavio Josefo no século I fala sobre ele e que a maioria dos historiadores hoje não duvidam do Jesus histórico. Vocês pesquisaram onde mesmo?

testemunho da mentira
testemunho da mentira
2 anos atrás

faltou leonidas e alexandre o grande. faltou tambem faraos de diversas dinastias do egito

Pedro
Pedro
10 meses atrás

Hahahahaha!!! Faltou grandes figuras históricas como foi comentado aqui, Leônidas e Alexandre o Grande, fora outros. Mas pela quantidade de fontes que vocês se dispuseram a trazer aqui deixando bem claro que Jesus não teria existido acaba se tornando patético de tão óbvio que a única intenção era somente essa, dizer que Jesus não existiu. Com certeza existem muitas fontes que vão falar que o tal judeu não existiu mas a quantidade de fontes confiáveis que mostram o Jesus histórico que viveu em Israel e avassaladoramente maior. O único erro do artigo, além é claro de ser tendenciosa, é dizer… Leia mais

Luiz Donizet Martins
Luiz Donizet Martins
9 meses atrás

Sim, esse personagem Jesus, nunca existiu, é uma construção do Império Romano.

Otony
Otony
5 meses atrás

Boa Tarde.

Quanta desonestidade da sua parte, existem hoje uma vasta quantidade de evidências da existência de Jesus! Sugiro que faça seu trabalho de forma honesta!

Jeazi Pinheiro Souza
Jeazi Pinheiro Souza
5 meses atrás

Jesus não existiu e jamais vai existir, assim como deuses nunca existiram.

Ryath
Ryath
1 mês atrás

Muito interessante.

Cezar Gomes
Cezar Gomes
11 dias atrás

Jesus existiu como um homem comum. ele nâo escreveu nada, e nem escreveram nada sobre ele. so existe na biblia criada pelo imperio romano. mais de cem anos apos sua morte. jesus cristo o milagroso e uma invençâo. não ha a minma prova, nada que ele supostamente disse acontece, porque ele não cura cegos amputados, sindrome de donw.
porque ele nâo existe. passei 35 anos sendo enganado em igreja evangelica, milagres so existe dentro da biblia fora nada acontece..