Artes Plásticas

Hubble e Universos

Por Paulo Varella - julho 31, 2012
2034 0
Pinterest LinkedIn

Quem é o artista? Manoel Veiga
O que vai ter na exposição?
Pinturas e fotografias
Até quando?
08 de setembro

MANOEL VEIGA NA GALERIA DUMARESQ

Em sua quinta exposição individual Na Galeria Dumaresq em Recife, Manoel Veiga traz novas pinturas e fotografias das séries “Hubble” e “Universos”. A técnica particular de pintura do artista, influência de sua formação em engenharia eletrônica com passagem pela física, consiste em apropriar-se de fenômenos da natureza (difusão, gravidade, etc.) e usar as propriedades químicas dos pigmentos para gerar o deslocamento da tinta sobre a tela. Com a tela deitada, utiliza pigmentos, água e pulverizador para construir fluxos, através dos quais articula relações de tempo e espaço, criando um sistema que inclui o acaso.

Nestas novas obras, amadurece uma geometria ordenadora e sutil dos movimentos fluidos internos e o uso de gesso acrílico de preparação de tela como matéria pictórica, atingindo surpreendente  luminosidade e elaborada variação tonal de brancos.

Na série “Hubble”, o artista manipula digitalmente fotografias astronômicas, partes do espaço real, do cosmos, transformando-as de forma a criar novo espaço fictício cuja estrutura se relaciona diretamente ao seu trabalho pictórico. Na série “Universos”, a mais recente, parte de fotos de detalhes de suas pinturas para retrabalhá-los em computador e gerar um resultado que aponta para estruturas cosmológicas, espécie de caminho inverso ao da série “Hubble”.

Ao lado de sua formação acadêmica, Manoel Veiga (1966, Recife, PE), sempre esteve próximo ao campo das artes. No início, em Recife, buscou orientação do artista Gil Vicente, além de, em 1997, estudar arte em Paris. Depois quando veio morar em São Paulo, a partir de 1998, estudou História da Arte com Rodrigo Naves e Leon Kossovitch e desenvolveu estudos técnicos com Carlos Fajardo e Nuno Ramos.

O artista realizou individuais em Recife (Fundação Joaquim Nabuco, Museu Murillo La Greca, Galeria Dumaresq), Curitiba (Museu de Arte Contemporânea do Paraná), Porto Alegre (Centro Cultural Usina do Gasômetro), João Pessoa (Centro Cultural de São Francisco), São Paulo (Paço das Artes, Galeria Virgílio e Galeria Nara Roesler), Stuttgart-Alemanha (Galeria Dengler Und Dengler) e Paris (Galera D’Est et D’Ouest). Participou de várias coletivas, ente as quais, “Shwarz” na Galeria Dengler Und Dengler em Stuttgart  Alemanha em 2012, “Blue Connection” no Familie Montez Kunstverein em Frankfurt  Alemanha em 20120, “A espiral de Moebius ou os limites da pintura” no Centro Cultural Parque de Espanha em Rosario  Argentina em 2007, “Geração da virada – 10+1: os anos recentes da arte brasileira” no Instituto Tomie Ohtake em São Paulo em 2006, Centro de Arte Marnay em Marnay-Sur-Seine França em 2005, “Pintura vs. Fotografia” no Paço das Artes  São Paulo em 2004 e “Novas aquisições” no Museu de Arte Moderna Aloísio Magalhães em Recife em 2004.

O artista recebeu prêmios como o “Mostras de Artistas no Exterior”, concedido pela Fundação Bienal de São Paulo e pelo Minc em 2010, e o “Prêmio Flamboyant” no Salão Nacional de Artes de Goiás em 2006.

 

Abertura: 08 de agosto de 2012, das 18:00 às 22:00 horas

 

Artigo anterior
Próximo artigo
Avatar

Estudou cinema na NFTS (UK), administração na FGV e química na USP. Trabalhou com fotografia, cinema autoral e publicitário em Londres nos anos 90 e no Brasil nos anos seguintes. Sua formação lhe conferiu entre muitas qualidades, uma expertise em estética da imagem, habilidade na administração de conteúdo, pessoas e conhecimento profundo sobre materiais. Por muito tempo Paulo participou do cenário da produção artística em Londres, Paris e Hamburgo de onde veio a inspiração para iniciar o Arteref no Brasil. Paulo dirigiu 3 galerias de arte e hoje se dedica a ajudar artistas, galeristas e colecionadores a melhorarem o acesso no mercado internacional.

Inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Veja todos os comentários