arte do dia

Reuben Margolin e suas esculturas cinéticas

Por Equipe Editorial - abril 21, 2020
21009 1
Pinterest LinkedIn

Muitas vezes caímos na besteira de achar que arte e ciência não podem andar juntas, mas Reuben Heyday Margolin nos prova ao contrário.

Ele desenvolve seu trabalho criando padrões em suas esculturas as quais reproduzem seu modo de ver a natureza, buscando retratar, na arte, a linha que separa o modo científico e o modo poético de ver as coisas.

Seu trabalho é, ao mesmo tempo, muito orgânico e inorgânico. Inorganicamente, Heyday reproduz os movimentos orgânicos da natureza, usando, para isso, materiais que mesclam esses dois extremos.

Entre os diversos trabalhos de Margolin, podemos encontrar também um contato do artista com a Parformance Arte através de uma união entre ele e o coreógrafo australiano Gideon Obarzanek, onde os movimentos dos dançarinos se conectam com os movimentos de suas esculturas, tornando o processo mais natural e dinâmico.

Reuben Margolin: Biografia

Nos últimos 20 anos, Ruben faz esculturas cinéticas que buscam combinar a sensualidade da natureza com a lógica da matemática. Seu estúdio fica em um armazém em Emeryville, Califórnia, a poucos passos da Baía de São Francisco.

Durante um dia típico, muitas vezes ele se pega movendo-se em um arco circular: começando, talvez, com a memória da luz no oceano e a sensação do vento, mais tarde sendo puxado para um problema irresistível que envolve curvas senoidais, depois indo para a mesa de desenho para considerar a proporção, o passo da rosca e a cor, fazendo uma pausa no torno de metal para fazer uma peça de precisão, perfurando incontáveis furos em um pedaço de madeira, sempre trabalhando na excitação incomparável de alternar uma escultura pela primeira vez.

O que ele faz hoje em dia?

Ele mora em Berkeley com sua parceira Amber e nossos dois filhos. Vai ao estúdio de segunda a sexta-feira, das 9 às 5. Dos vinte anos que fez esculturas de ondas, aprendeu que tudo está sempre mudando e, ao mesmo tempo, tudo permanece o mesmo.

Essa contradição desaparece se você se afastar o suficiente. Tanto a arte quanto a matemática derivam seus poderes quando alcançam o infinito; portanto, os dois devem se confundir nas extremidades.

Ele não faz nenhum esforço para distanciar os dois. Recentemente, a ideia da morfologia da lagarta voltou à tona e ele passou os últimos meses trabalhando em um novo design.


Veja abaixo Reuben falando sobre seu trabalho e conheça mais deste universo de ondas do artista em uma palestra do Ted Talks:

Veja também:

https://arteref.com/arte-no-mundo/esculturas-realista-do-espanhol-romulo-celdran/
https://arteref.com/arte-no-mundo/esculturas-realista-do-espanhol-romulo-celdran/

Conheça mais o artista, aqui

Inscrever
Notificar de
guest
1 Comentário
Inline Feedbacks
Veja todos os comentários