Arte no Mundo

O bilionário espanhol Jaime Botín enfrenta processo por um Picasso em seu iate

Por Paulo Varella - julho 31, 2017
3256 0
Pinterest LinkedIn

Em um processo judicial em curso contra o bilionário espanhol Jaime Botín (um dos donos do Santander), está sendo acusado de contrabandear um Picasso para fora da Espanha. O promotor pediu uma pena de prisão de quatro anos e uma multa de 100 milhões de euros contra o herdeiro e colecionador.

Polícia que transporta o Picasso Picado. Cortesia de Douane Française.

Botín é dono de uma pintura de Pablo Picasso, Busto de uma jovem mulher (1906), que foi apreendido pelas autoridades francesas no verão de 2015 dentro de seu iate ancorado na Córsega e registrado em uma empresa da qual Botín é o principal acionista .

A pintura de 26 milhões de euros foi declarada um tesouro cultural pelo Tribunal Nacional espanhol em maio de 2015 e foi recusada uma licença de exportação antes da apreensão.

Fonte: https://pendennis.com/yachts/adix/

Em agosto de 2015, a pintura apreendida foi transportada para o Museu Reina Sofía em Madri, onde permanecerá até a conclusão da investigação. No entanto, poderá permanecer no museu por mais tempo: além da pena de prisão e da multa pesada, Segundo o El Pais, o promotor solicita que a propriedade do trabalho seja transferida para o estado, invocando o artigo 29 da Lei do Patrimônio Espanhol .

 

fonte: Artnet

Não foi possível salvar sua inscrição. Por favor, tente novamente.
Sua inscrição foi bem sucedida.

Você quer receber informações sobre cultura, eventos e mercado de arte?

Selecione abaixo o perfil que você mais se identifica.

Estudou cinema na NFTS (UK), administração na FGV e química na USP. Trabalhou com fotografia, cinema autoral e publicitário em Londres nos anos 90 e no Brasil nos anos seguintes. Sua formação lhe conferiu entre muitas qualidades, uma expertise em estética da imagem, habilidade na administração de conteúdo, pessoas e conhecimento profundo sobre materiais. Por muito tempo Paulo participou do cenário da produção artística em Londres, Paris e Hamburgo de onde veio a inspiração para iniciar o Arteref no Brasil. Paulo dirigiu 3 galerias de arte e hoje se dedica a ajudar artistas, galeristas e colecionadores a melhorarem o acesso no mercado internacional.

Inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Veja todos os comentários