Arte

15 grandes mulheres envolvidas no mercado de arte brasileiro

Desde galeristas, curadoras, diretoras até colecionadoras de arte, veja quem são essas mulheres fundamentais para o mundo das artes.

Por Equipe Editorial - junho 19, 2020
280 0
Pinterest LinkedIn

Em decorrência das transformações políticas e sociais ao longo dos séculos – que marcaram o silenciamento e a desvalorização do trabalho feminino – a partir da década de 1960 as mulheres passaram a se envolver com maior frequência na criação de arte sob diversos campos: curadoria, colecionismo, crítica, patronato e galerista.

Até hoje existem desafios diários relacionados a preconceitos de gênero. Por isso, nós do Arteref, resolvemos eternizar o reconhecimento merecido em uma lista com grandes mulheres envolvidas no mercado da arte brasileiro.

Em uma matéria separada, ligada a esta, faremos sobre grandes artistas contemporâneas.


Esta lista não está em hierarquia de popularidade ou relevância, ela encontra-se em ordem alfabética.


Angela Gutierrez

Angela Gutierrez - mulheres envolvidas no mercado de arte
Angela Gutierrez

Empresária mineira, atua como pesquisadora e colecionadora, principalmente do barroco brasileiro. Por intermédio do Instituto Cultural Flávio Gutierrez, que criou e preside desde 1998, ela está à frente de projetos museológicos, publicações e programas culturais diversificados, cujo foco é a valorização e o respeito ao patrimônio cultural brasileiro.

Ex-secretária de Estado de Cultura de Minas Gerais, Angela Gutierrez participa de Conselhos de organismos nacionais e internacionais – no Brasil, entre outros, o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). É membro do Conselho de Administração do Grupo Empresarial Andrade Gutierrez e integra, ainda, o Conselho da Fundação Dom Cabral.


Anita Schwartz

Anita Schwartz - Foto Leo Martins - mulheres envolvidas no mercado de arte
Anita Schwartz | Foto: Leo MartinsAge

Após dirigir três importantes galerias, Anita Schwartz inaugurou em 1998 a galeria de arte contemporânea que leva seu nome, na cidade do Rio de Janeiro. 

Ao mesmo tempo, Anita abre as portas de sua galeria para artistas estrangeiros, incentivando intercâmbios e interseções, promovendo experiências estéticas, intensificando diálogos entre diferentes culturas.

Através da criteriosa seleção dos artistas representados e suas obras, e contando com grandes nomes da arte brasileira além da aposta em jovens artistas com trajetória emergente, há o investimento na divulgação e propagação da cultura brasileira.


Brenda Valansi

Brenda Valansi - mulheres envolvidas no mercado de arte
Brenda Valansi

Formada em veterinária, Brenda Valansi mudou o rumo de sua vida profissional depois de uma viagem a Londres. Ela trabalhava em um hospital veterinário em Nova York, e acabou se encantando pela atmosfera de museus, exposições e espaços culturais da capital britânica. Na volta ao Brasil, foi estudar na Escola de Artes Visuais do Parque Lage, mergulhou no curso de História da Arte da PUC e virou artista plástica.

A ausência de uma feira de arte numa cidade conhecida como polo cultural e criativo a fez tomar a iniciativa de criar a ArtRio. Em 2012, já em seu segundo ano, o evento chegou a reunir 120 galerias, sendo metade delas internacional. 

“Hoje, apesar de durar oficialmente menos de uma semana, é um trabalho de ano inteiro. Quando a feira, termina já estamos pensando na edição seguinte, e logo um mês depois começam as inscrições (das galerias) para o novo ano. Eu vivo de arte 365 dias por ano”, diz Brenda em entrevista para a revista VEJA


Denise Mattar

denise mattar
Denise Mattar

Denise Mattar é curadora de Artes Plásticas. Foi diretora das seguintes instituições: Museu da Casa Brasileira – São Paulo, (1985-1987), Museu de Arte Moderna de São Paulo (1987-1989), Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (1990-1997).

A partir de 1997 passou a atuar de forma independente, realizando mostras retrospectivas dos mais célebres artistas brasileiros como: Di Cavalcanti (1997), Flávio de Carvalho (1999 – Premio APCA), Ismael Nery (2000 – Prêmios APCA e ABCA), Pancetti (2000), Anita Malfatti (2001), Samson Flexor (2003 – Prêmio APCA), Frans Krajcberg, (2003), Mary Vieira (2005), Di Cavalcanti – Um Perfeito Carioca (2006), Di Cavalcanti – De Flores e Amores ( 2007), Maria Tomaselli (2009).


Elisangela Valadares

Elisangela Valadares
Elisangela Valadares

Jornalista especializada em História da Arte, Arquitetura e Gestão de Museus, Elisangela Valadares está no mercado das artes desde 1998, quando assumiu a direção da Galeria Toulouse, no Rio de Janeiro. Foram 12 anos à frente de todos os projetos, incluindo feiras internacionais. 

Em 2010, participou da fundação da maior feira de arte da América Latina até então, a ArtRio. 

Depois, Elisangela começou um projeto que atendia a seus anseios pessoais. Fez da sua própria casa, de número 70 numa rua do bairro da Gávea, um point de curadoria, encontros, performances e exposições.  

Em 2019, transpôs essa ideia para Portugal, criando a Casa70 Lisboa: espaço que promove a exposição de obras, workshops, laboratórios, visitas guiadas, exibições de filmes e até lançamentos de coleções de moda e de produtos de design.


Fernanda Feitosa

Fernanda Feitosa
Fernanda Feitosa

Fernanda Feitosa lançou, em 2005, a SP-Arte. Formada em Direito pela Universidade de São Paulo, ela exerceu nessa área até 2001, quando se mudou com a sua família para outro país.

De volta ao Brasil três anos depois, Fernanda juntou seu grande gosto e conhecimento sobre arte os transformando na brilhante ideia de criar a feira de arte que, na época, só contou com a presença de 40 galerias. Hoje, a SP-Arte é a maior feira de arte do Hemisfério Sul.

Dois anos após o lançamento da SP-Arte, Fernanda inaugurou a SP-Foto que, em um curto período de tempo, ganhou grande reconhecimento se tornando o encontro de fotografia autoral mais importante do Brasil.


Jaqueline Martins

Jaqueline Martins - mulheres envolvidas no mercado de arte
Jaqueline Martins

Jaqueline Martins é galerista, dona da Galeria Jaqueline Martins. Ela começou a atuar no mundo da arte há alguns anos, quando trabalhou em um escritório de arte secundário. Foi a partir dessa experiencia que, a principio, Jaqueline foi adquirindo conhecimento sobre técnicas artísticas, pinturas, e os demais assuntos da história da arte.

A galerista abriu a Galeria Jaqueline Martins em 2011, criando é um espaço de pesquisa, documentação, fomento e exibição da produção artística contemporânea. O intuito da mesma é propor estratégias curatoriais colaborativas, que fomentem o diálogo entre diferentes gerações e distintas perspectivas culturais.

A diretriz principal da galeria é o estímulo às práticas artísticas caracterizadas pelo conceitualismo, pela ênfase nos processos, e pela postura crítica, e muitas vezes subversiva. 


Lily Safra

Lily Safra - mulheres envolvidas no mercado de arte
Lily Safra

Listada como uma das mulheres mais ricas do mundo, a filantropa e colecionadora Lily Safra tem uma das maiores coleções de arte do mundo. Ela possui um acervo de esculturas, quadros e porcelanas russa datadas desde o século 19 até os dias atuais.

Além de participar do conselho de administração do Museu do Patrimônio Judeu de Nova Iorque e da Associação de Artes de Somerset House, em Londres, Lily Safra participa do conselho do Museu de Arte Moderna de Nova York e do John F. Kennedy Center for the Performing Arts

A filantropa também também criou a bolsa Edmond J. Safra Visiting Professorship (para professores itinerantes) na National Gallery of Art em Washington. Lily também está envolvida com o Instituto de Arte Courtauld, em Londres, dando apoio a curadores e bolsas para estudantes exemplares de história da arte.


Luciana Brito

Luciana Brito - mulheres envolvidas no mercado de arte
Luciana Brito

A galerista Luciana Brito é dona da Luciana Brito Galeria. Formada em artes plásticas pela FAAP, ela já trabalhou no departamento educativo do Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo e da Fundação Bienal de São Paulo.

Dentre as diversas ações que ela já participou, foi curadora do projeto Arte na Rua, com Mônica Nadore e também do projeto Arte Pública, com Tadeu Chiarelli, produzido pela mesma.

Além disso, Luciana coordenou exposições e produção de livros de mostras como, Regina Silveira no Museu Arte de São Paulo Assis Chateaubriand, Ana Maria Tavares no Museu Brasileiro da Escultura e no Museu de Arte da Pampulha, entre outros.


Luisa Strina

Luisa Strina - mulheres envolvidas no mercado de arte
Luisa Strina

Luisa Strina é dona da galeria de arte contemporânea mais antiga de São Paulo, a Galeria Luisa Strina, inaugurada em 1974. Antes de abrir a sua galeria, ela já trabalhou como marchand para seus amigos e artistas Wesley Duke Lee, Fajardo, Baravelli, José Resende e Babinski.

a Galeria Luisa Strina se tornou uma das galerias mais famosas do Brasil não somente pelo seu tempo de existência mas também meu seu vasto catalogo de artistas importantíssimos. No mesmo ano de seu lançamento, ela trouxe pela primeira vez ao Brasil obras dos artistas pop americanos James Rosenquist, Roy Lichstenstein, Andy Warhol, e Jim Dine.

Trabalhando tanto com artistas nacionais quanto internacionais, a galeria lançou nomes como os de Leonilson, Cildo Meireles, Tunga, Antônio Dias e Edgard de Souza.

No ano de 1992, a Galeria Luisa Strina foi a primeira galeria latino-americana convidada a participar da famosa Feira de Arte de Basel, e foi esse e os demais expoentes que levaram a galerista Luisa Strina a estar entre as 100 pessoas mais importantes do mundo da arte pela revista britânica Artreview.


Márcia Fortes

Márcia Fortes
Márcia Fortes

Marcia Fortes, formada em Literatura Inglesa e Americana na New York University, já trabalhou como jornalista, tradutora, crítica e curadora de arte.

Durante sua estadia em Nova Iork, ela trabalhou como jornalista para diversos veículos como a revista de arte inglesa Frieze, a mexicana Poliester, Vogue/Brasil, o caderno Ilustrada da Folha de São Paulo e catálogos de artistas. Ela também foi correspondente cultural do Jornal do Brasil, em NY.

No ano de 2001, Fortes se juntou com Alessandra D’Alóia, sua sócia, e juntas transformaram a Camargo Vilaça em Fortes Vilaça. As duas, juntas, levaram a galeria a lugares fantásticos, a transformando em uma das maiores galerias do Brasil.


Mariana Guarini Berenguer

Mariana Guarani - mulheres envolvidas no mercado de arte
Mariana Guarini Berenguer

Mariana Guarini Berenguer é, atualmente, diretora do Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM-SP). A advogada, colecionadora e ex-professora do Insper, assumiu o cargo de diretora do museu após o mesmo pertencer durante 24 anos a Milú Villela.

Em entrevista, Mariana diz que é uma honra e uma responsabilidade muito grande assumir um museu que se tornou referência para o cenário cultural brasileiro, e conclui dizendo: “Agradeço à confiança da Milú, do Conselho e dos diretores do MAM. Vamos trabalhar para fortalecer ainda mais o museu neste momento em que a cultura atravessa grandes desafios no país”.


Nara Roesler

Nara Roesler
Nara Roesler

Fundou, em 1989, a Galeria Nara Roesler. Seu espaço fomenta a inovação curatorial, sempre mantendo os mais altos padrões de qualidade em suas produções artísticas. Ela desenvolveu um programa de exposições seleto e rigoroso, em estreita colaboração com seus artistas além de apoiá-los para além do espaço da galeria, trabalhando em parceria com instituições e curadores em exposições externas. 

Sua galeria duplicou o espaço expositivo em São Paulo (2012) e inaugurou novos espaços no Rio (2014), e em Nova York (2015), dando continuidade à missão de proporcionar a melhor plataforma possível para que seus artistas possam expor seus trabalhos.


Silvia Cintra


Com mais de trinta anos de serviços prestados à arte contemporânea brasileira, Silvia Cintra é proprietária da Galeria que leva seu nome. O espaço firmou-se como uma das principais galerias do país e seguramente como uma referência no Rio de Janeiro, representando nomes como Amilcar de Castro, Miguel Rio Branco, Nelson Leirner, Carlito Carvalhosa, Iole de Freitas, Ana Maria Tavares, Daniel Senise, Sebastião Salgado, Cristina Canale, entre outros.

Em 2010, uniu-se com a galeria Box 4, dirigida por sua filha Juliana. Com isso, incorporou ao seu espaço jovens talentos como Cinthia Marcelle, Laercio Redondo, Marcius Galan e Rodrigo Matheus e aumentou ainda mais sua participação em feiras e exposições no exterior.


Valeria Piccoli

Valeria Piccoli
Valéria Piccoli

Valéria Picolli é curadora, pesquisadora e historiadora da arte. Atualmente ela trabalha como curadora chefe na Pinacoteca de São Paulo.

Graduada em arquitetura e urbanismo pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo, ela fez mestrado e doutorado em história da arte, também pela FAU/USP. Ainda no campo acadêmico, Piccoli participou como pesquisadora de diversos projetos de exposições e livros sobre arte brasileira.

Entre 1997 e 2000, Valéria atuou como assistente de curadoria da 24ª Bienal Internacional de São Paulo, e no decorrer de sua carreira também já colaborou com diversos projetos internacionais, tendo sempre a pesquisa histórica aliada à curadoria.


Veja também


Não foi possível salvar sua inscrição. Por favor, tente novamente.
Sua inscrição foi bem sucedida.

Você quer receber informações sobre cultura, eventos e mercado de arte?


Selecione abaixo o perfil que você mais se identifica.


Fontes

Inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Veja todos os comentários